Como o meu primo tirou o meu cabaço



Click to Download this video!

Me chamo Grace, tenho 30 anos, e queria contar prá vcs um lance que tive com um primo aos 14 anos, lógicamente, ninguém mais, além de quem está lendo agora e eu sabemos. Era férias de final de ano e sempre iamos todos para a fazenda do vô e da vó no interior de Minas. Era muito legal, uma festa! Muitas brincadeiras, cavalgadas, vaquejadas…muito legal mesmo! Estavamos num churrasco na fazenda, todos com roupa de banho, aproveitando a piscina, quando um dos meus primos teve a idéia de caçar…éramos 15 jovens alegres, porque além dos primos, neste dia estavam alguns amigos e os filhos dos empregados da fazenda. Gostamos da idéia e saímos todos pela mata adentro pra caçar nem sei o que, era mais a folia
mesmo. Num certo momento da caçada vi que meu primo Antonio foi andando sozinho prá o lado do curral, segui sem que ele percebesse, fiquei escondida atrás da árvore e vi ele se masturbando, depois agarrando a nossa égua e enfiando o pau nela… fiquei arrepiada…fazendo sexo com a égua? Que nojento… Fiquei espiando e meus peitos começaram a inchar de tesão ao ver como ele gozava gostoso agarrado na anca da égua.
– Venha minha gostosa, vou te foder toda, venha minha gostosa, tesuda com esse biquini pequenininho, vou gozzzaarrr, minha cavaluda, ai gostosa…ai, ai, venha Grace, vou tirar seu cabaço!!! Ai, ui, ai Grrraaaaacccccceeeeee….prima Grace!Gente! Ele tava pensando em mim, como pode trepar com uma égua pensando em mim? rsrs
Fiquei quietinha e sai na ponta do pé sem deixar ele ver que eu tinha visto aquilo. Ele só me viu quando já estavamos todos no rio, brincando, rindo muito, num banho bem gostoso.
– Vem Antonio, vem prá água, aqui tá bem gostoso! provoquei. Ele pulou na água e eu logo subi nas costas dele, pega dali, amassa daqui, agarrei no pescoço dele prá provocar e senti o mastro durão na minha perna, os outros estavam perto e Antonio me empurrou pra longe dele. Entardeceu, voltamos prá a fazenda, fizemos uma serenata a noite e fomos dormir, não conseguia parar de pensar naquela cena, me masturbei embaixo dos lençóis, pensando ser eu, a égua do primo Antonio. Levantei e fui me lavar no banheiro, quando ia saindo o primo Antonio ia entrando, aproveitei prá sacanea-lo:
-Vi vc no curral hoje… Assustado e sem graça, ele tapou a minha boca, arranquei a mão dele e taquei-lhe um beijo que aos poucos ele foi retribuindo, até que começou a passar a mão por cima da minha blusa no meu peito. Parou de me beijar e me perguntou se eu estava maluca, pois ali poderiamos ser pegos. Sugeri então que entrássemos no banheiro, mas ele teve medo e correu para o quarto. Foi a sorte! Quando sai do banheiro, um de nossos tios apareceu sonolento querendo entrar. Quase éramos pegos! No outro dia bem cedinho, meu primo me chamou prá dar soltar os cavalos, me olhava sem graça e desconfiado. Eu topei na hora…fomos prá o curral, no caminho ele tentava me explicar o que eu tinha visto, mas eu nem escutava, pagaria se fosse preciso prá ver aquela cena novamente pois estava cheia de tesão, só de pensar. Ele soltou todos os cavalos e começou a acariciar a égua olhando os meus peitos. Eu bem quietinha, só assistia a cena sem nada fazer. Ele acariciou as ancas dela, alisava, passava alingua e fazia bastante carinho olhando pra mim, eu já tava doida de tesão. Ele me chamou para ficar junto dele, se virou e com uma das mãos começou a acariciar meus peitos por cima da blusa, a essa altura minha xana virgem tava molhadinha e o pau de Antonio parecia que ia escapulir de dentro da bermuda. Beijei sua boca com paixão, desci até o seu pau e beijei, lambi, mordisquei e mamei aquele caralho lindo do primo. Ele enloqueceu, agarrou meus cabelos, pegou o seu pau e passou a se masturbar .
-Para Antonio, calma! Quero ver vc com a égua tbm. Logo em seguida beijou-me pelo pescoço, foi descendo até minha xaninha e me chupou. Nossa! Que trem bom…que loucura, chupou tanto e tão bem que quase gozei, mas consegui segurar, ele se posicionou atrás da égua, e enfiou o seu pau enquanto eu o acariciava por trás, beijava a sua nuca e sussurrava no ouvido dele: – me fode primo Antonio, me come, goza na sua priminha Grace, goza! Come o meu cuzinho, come Antonio, vai…nos beijavamos, um longo beijo com o pau dele imóvel dentro da égua, comecou um vai e vem frenético, que aos poucos foi aumentando o rítmo e metia na égua e urrava, puxou o pau de dentro da égua, eu segurei e aumentei o rítmo da punheta nele, o chupei, até que ele gozou em minha boca e engoli tudinho, logo em seguida ele voltou a me chupar, eu gozei e queria mais. Ficamos ali no chão num roça roça danado, metendo seu pau em minhas coxas com medo de tirar a minha virgindade e a minha mãe descobrir, então fizemos um 69 e gozamos juntos. Voltamos para a fazenda. Á noite nem eu e nem Antonio conseguiamos dormir…rolavamos na cama e o calor piorava a situação. Nos esbarramos novamente no banheiro e ai foi o estopim…saímos da fazenda e fomos para o celeiro, nos jogamos num monte de feno e ele me beijava, se esfregando no meu corpo, roçamos até não aguentar mais, puxou a cueca prá o lado, tirou aquela pica linda e enfiou todinha na minha buceta, eu gemi quietinha, como loucos começamos um vai e vem, ele bombava, estocava, parava, me beijava, puxava meus cabelos, estava louco de tesão. Eu remexia como uma putinha safada, mexia e apertava a pica dele na minha bucetinha ex virgem…Eu gemi baixinho:-tô gozando priminho… E ele explodiu na sua égua verdadeiramente…gozamos. Tiramos o feno sujo de sangue do paiol e fomos dormir satisfeitos e plenos…Gozamos como loucos e passamos a fazer isso todas noites até ir embora da fazenda, já esperando as próximas férias…