Uma Ninfeta caindo na pica do pedreiro



Click to Download this video!

Meu nome é Mônica, tenho 22 anos e quero relatar algo muito gostoso que aconteceu comigo quando eu ainda era apenas uma menina (rs..). Sempre fui muito sapeca e ainda nova já tinha uma idéia muito legal de sexo, apesar de ter transado só duas vezes na época.
Fato é que era uma Terça-Feira, acordei tarde era umas 10hs porque não tinha aula, e ao acordar notei som de vozes grossas conversando pela casa, uma eu reconhecia, era a voz de meu pai, mas a outra não.
Prestando atenção na conversa percebi que era o pedreiro que meu pai comentou que ia chamar pra avaliar quanto ficaria a reforma da casa. Depois de um tempo ouvi meu pai pedindo para ele esperar na sala, pois iria só tomar um banho, pois estava indo trabalhar e poderia dar uma carona para o pedreiro.

A curiosidade logo veio à tona pra saber como era o pedreiro, e do jeito que eu estava eu levantei, somente com meu vestidinho branco de sede ele é bem curtinho (uso pra dormir) e descalça e com o cabelo meio desajeitado.

Abri a porta delicadamente, o banheiro estava com a porta fechada e meu pai nem tinha começado a se banhar ainda (ainda bem, porque sabia que ele demora muito no banho e eu poderia aprontar bastante rs …).

Fui caminhando na ponta dos pés até o começo da escada e fui descendo, espiei no cantinho da parede e vi um homem magro coitado, eram do tipo destes nordestinhos cabeçudos, barba por fazer, e estava sentado no sofá. Fiquei matutando e tive a idéia que iria fingir estar procurando meu Mp3 e assim aproveitar pra me exibir e deixar o homem louco (rs…)

Então fui descendo as escadas, ajeitando o cabelo, logo ele me viu, sorrindo me desejava “bom dia moça”, eu respondi sorrindo o bom dia, eu notava seu olhar nas minhas pernas e por todo meu corpo, eu ficava ali na sala olhando a mesinha, os cantos, fingindo procurar algo, ele até perguntou o que eu procurava e eu disse que era meu mp3.

Ele não fez nem menção de ajudar-me, só ficava me olhando eu adorando, pois eu me inclinava de frente pra ele, tipo procurando algo no chão, e ele via meus peitinhos através do decote do vestidinho, dava pra vê-los por inteiros devido o vestido estar bem soltinho.

Coloquei um joelho em cima do sofá onde ele estava, fiquei de costas pra ele, praticamente de quatro, abria ligeiramente as pernas e seguia enfiando a mão no cantinho do sofá, e falando “ah ele deve der caído por aqui”, pra disfarçar. Ainda no sofá fiquei de frente pra ele fazendo a mesma coisa, seus olhos devoravam meus peitinhos e nossa!!! A calça dele apresentava um volume enorme que ele fazia questão de deixar amostra, eu deixei escapar uma olhadinha safada para ele.

Ao lado do sofá fica uma estante, subi o olhar para ela e disse “ai ele pode estar lá em cima”, subi no sofá fiquei de pé sob ele, e o homem me olhando, pedi licença e passei em cima do moço e fiquei em pé sob o braço do sofá. Empinadinha e com as pernas abertinhas eu fingia procurar o mp3, e o deixava ver minha minúscula calcinha socadinha na bunda.

O telefone começa a tocar e na hora de sair dali, fingindo ser sem querer, eu pego e piso levemente no pau dele, ele urra de dor “aiiii menina” na mesma hora ele enfiou um tapa no meu pé me fazendo cair de quatro no sofá. O vestido subiu mostrando bem minha calcinha e ele olhava sedento de tesão eu olhando pra trás fazendo uma carinha bem safada falei “desculpa moço”, e sai correndo pra atender o telefone. (Ele nem ficou nervoso rs …)

Atendi ao telefone, que ficava um pouco atrás do sofá, era minha mãe e reparei que enquanto eu falava ao telefone aquele homem fazia movimentos massageando o pinto dele. Pelo reflexo da TV que ficava bem na frente do moço, vi-o tirando o bicho pra fora e massageando-o, ele estava muito duro, aquilo me deixou louquinha pra dar pra ele.

Pra ajudar a disfarçar perguntei pra minha mãe do meu mp3 e o mais engraçado foi a ouvir dizer pra eu olhar dentro de um vaso de enfeite que está na parte de cima da estante, (rs…) e muito mal intencionada eu já fui tirando minha calcinha enquanto falava com ela, no momento que eu me despedia de minha mãe vi que ele guardou seu brinquedinho.

Então desliguei o telefone, e fui andando novamente para próximo dele e falando “minha mãe disse que está ali em cima, moço o senhor pode vir mais pra cá pra eu não pisar em você?” e olhava seu volume, sorrindo, ele disse que tudo bem e arredou-se um pouco.

Subi no braço sofá, ficando na ponta dos pezinhos, toda empinadinha, perninhas abertas eu até brincava com meus pezinhos dobrando a perna pra trás e assim me exibindo todinha para aquele macho e pelo reflexo na TV dava pra vê-lo me olhando, chegando bem pertinho e me devorando com seu olhar. Fiquei louquinha quando vi o safado abrindo o zíper de tirando seu pau pra fora, uhmm, e se tocando sem parar de me olhar.

Só que fiquei olhando tanto pelo reflexo da TV que me distraí (de verdade rs…) e acabei caindo bem no colo dele com as pernas abertinhas o vestido quase todo levantado mostrando minha xaninha lisinha, eu sorria bem safada “ai moço não achei meu mp3”, e ele “arhhh sua putinha”, e enfiou a mão na minha xaninha esfregando seus dedos, foi chegando seu rosto no meu pra me beijar, eu não queria, pois de pertinho assim reparei que ele não tinha uns dentes (rs…), mas ele foi forçando e acabei beijando, ele babava muito.

Senti-o socando dois dedos na minha xaninha, bem forte, o safado abafava meus gemidos com sua boca, eu segurei no pau dele e fui o masturbando, nisto ele olhou pra mim, sorrindo, e me chamando de putinha, safada, vadia … uhmmm eu adorava, sorria pra ele.

Ele não quis perder tempo, sabia que meu pai poderia aparecer a qualquer momento. Deitou-me no sofá, veio por cima ajeitou sua rola na minha xaninha e penetrou, socando bem gostoso e forte, eu me segurava no sofá enquanto o safado me comia, o bicho estava ofegante.

Ele abaixou as alcinhas do meu vestido e passou a chupar meus peitos sem parar de meter, ele chupava de uma forma tão estranha me deixando toda babada (rs..), eu até ria do desespero dele, coitado deveria fazer um bom tempo que não comia uma guria como eu.

Ele ia gozar, este momento foi demais, pois ele tirou seu pau da minha xaninha, me puxou pela nuca e foi pra cima de mim enfiando aquela rola na minha boca e gozou me inundando de porra e era tanta que não consegui engolir tudo chegando a engasgar, caindo porra sob os meus peitinhos.

Logo após veio o medo, escutamos os passos de meu pai, eu segurando meu vestidinho corri e me escondi no quartinho da bagunça que agente tem lá em casa, (lugar onde guardamos de tudo), ouvi a voz do eu pai na sala chamando-o para ir e fiquei com medo e ao mesmo tempo excitada ao ouvir meu pai falando “puxa vida!! minha filha sempre deixa suas calcinhas jogadas em todo lugar da casa, ela não tem jeito mesmo”. Eu ria sozinha esperando eles saírem para poder ir tomar meu banhozinho. (rs..). E ai gente gostaram?