O porteiro do hotel comeu minha buceta e ofereci também o cu



Click to Download this video!

Viajava sozinha indo para Botucatu, quando meu carro começou a ferver na estrada. Puta que pariu! Que azar! Uma merda de estrada que não passava carro nenhum. Pensei: ‘ agora fudeu! Já são quase 17 horas e não posso seguir com esta carroça fervendo. Caralho!!!!’ O radiador estava vazio, no carro não havia nem uma garrafinha de água…
Uma meia hora depois, parou um senhor num caminhão parou e me socorreu. Encheu o radiador e aconselhou: ‘ melhor a senhorita não seguir à noite porque pode ser perigoso. Pare na cidade mais próxima, durma e amanhã a senhora verifica isso antes de seguir’. Agradeci e segui seu conselho. Andei mais 14 km e parei em Lençois Paulista, procurei logo o hotel. Como já estava meio cansada dei uma boa cochilada.
Acordei umas 20:30 com um pouquinho de fome. Tomei um banho e desci p/ arrumar um restaurante próximo. Quem sabe não seria lá que pintaria um gato p/ salvar minha noite naquela cidade onde eu não conhecia ninguém? Comi uma saladinha de palmito, tomei 4 chopps e só apareciam casais, pintou um sozinho lá, mas devia ter quase 70, puta que pariu, né? Cansei de esperar por nada e voltei p/ o hotel.
Na portaria notei um carinha muito gatinho, deveria ter uns 24 anos, era funcionário. Sabe aquele menino com cara de bonzinho? Aquele era assim. Pensei: ‘ Hummmm!!!’. Fui p/ quarto pensando em algo p/ por em prática.
Cheguei andei de um lado p/ o outro até que tive a ideia. Pus uma camiseta comprida, tirei a calcinha peguei uma cerveja comecei a tomar e liguei p/ portaria dizendo que o controle da TV não funcionava. Hotel pequeno não deveria ter muitos funcionários, apostei que viria um dos 2 que vi lá fora. Qualquer um deles dava p/ o gasto, ambos eram jovens.
Imediatamente bateu na porta e era o gatinho, pensei: ‘ pelo menos isso de bom de hoje.’ Reclamei da TV que não ligava, mas antes eu já tinha invertido as pilhas do controle remoto, não funcionariam mesmo!
Ele tentou, tentou… e nada (lógico). Mas, ele estava todo respeitoso comigo. Me aproximei bem dele e falei: ‘ me deixe tentar mais uma vez’ – falei e virei a cerveja na boca e perguntei: ‘ aceita?’ – ele: ‘obrigada. Não posso beber em serviço.’ – falei: ‘ok.’ Nisso me abaixei com a desculpa de verificar de novo o plug da TV, só que me abaixei bem na frente dele (e sem calcinha). Quando me levantei o menino estava transpirando o rosto todo. Eu disse: ‘ nossa vc parece com calor. Aceita um pouquinho de cerveja, não vou contar p/ ninguém…’ – ele meio desconcertado aceitou.
Fui buscar e de novo me abaixei na frente dele p/ abrir a geladeira. Ele abriu a lata e tomou quase toda numa golada!!!! Falei: ‘ nossa!!!! Mais sede do que eu pensava, hein! Se vc não arrumar esta TV não sei o que fazer estou sem sono’ – ele acabou de virar a cerveja e falou que ia na portaria buscar novas pilhas pq devia ser esse o problema do controle remoto. Pensei: ‘ agora fudeu! Se esse franguinho fugir, to ferrada. Mas acho que ele volta’.
Passados 05 minutos ele volta com as pilhas. Trocou e falou: ‘ pronto! A srª precisa de mais alguma coisa?’
falei: ‘ srª é a sua avó! Tenho idade p/ ser sua irmã.’ Ele riu, pediu desculpas. Eu disse que estava mesmo sem sono e ofereci mais uma cerveja. Ele aceitou. Perguntei se ele trabalhava ali há muito tempo, o que fazia antes e etc. Ele tb perguntou de onde eu era e etc. Isso tudo, eu sentada na cama e ele em pé. Perguntei se não queria se sentar, ele pediu licença, aceitou. E ficou conversando. Como ele transpirava muito, sugeri que ele tirasse o paletó pq estava muito quente. Ele falou:
‘ posso mesmo?’ – acenei com a cabeça que sim.
Ele perguntou: ‘ lá em Goiânia tem muita mulher bonita como a srª?’
‘ algumas… pq vc me acha bonita?’
‘ a srª é linda!’
‘ obrigada! Vc tb é um rapaz muito bonito’.
‘ que nada! A srª sim, é maravilhosa!’
falei: ‘ vc tem um rosto lindo e parece ter um corpo muito lindo tb, mas com esta camisa não dá pra ver’.
‘ se a srª quiser, posso lhe mostrar, faço musculação’.
‘ adoraria ver, vc se importa de tirar?’ ele muito timidamente desabotoou a camisa e eis que surge um peito lisinho, definido…
‘ posso tocar?’ perguntei.
‘ sim, pode fazer o que a srª quiser’ – adorei ouvir isso.
Nisso a calça do menino denunciava sua ereção. Toquei no bíceps dele e exclamei: ‘ nossa! Duro hein!’ fui apalpando o outro braço e ele suspirando.
Bem pertinho do rosto dele falei: ‘ aposto como tem pernas linda também. Posso ver?’
ele desabotoou e abriu o zíper, a calça desceu. Ele: ‘ a srª tem um cheiro delicioso’
falei: ‘ é mesmo? se quiser pode sentir mais de perto…’
ele se aproximou mais cheirou meu cabelo, meu pescoço enquanto eu apalpava seu bíceps. Ele roçou o rosto nos meus seios por cima da minha camiseta e foi descendo, meio que com medo, até minhas pernas. Passou a língua na minha coxa devagar e veio rumo à minha xana. Não encontrando resistência enfiou a língua acertando já meu grelinho que pulsava de tesão. Minha xana molhada se abriu para aquela língua explorá-la.
O garoto passava aquela língua quente, me deixando mais molhadinha. Eu suspirei e apertei a cabeça dele contra minha pélvis. Sentei-me na beira na cama com as pernas apertas e me fartando na língua do franguinho. O menino sabia trabalhar um grelo!!! O tesão aumentava com aquela língua brincando no meu grelinho. Estava louca p/ sentir a pica dele, na qual eu nem havia tocado ainda. Notei que ele chupava e se masturbava enquanto eu me contorcia na boca dele.
Com voz murmurada ele falou: ‘ a sra. está gostando?’
‘ estou adorando!’
‘ queria pedir uma coisa p/ srª. Posso comer a srª? Meu pau tá latejando de vontade!’
‘ só se for com força’ ele apenas escancarou mais minhas pernas e de joelho no chão, puxou-me contra seu pau:
‘ vou por tudo na srª…’ e introduziu a pica até o meio: ‘ posso por mais?’
‘ põe tudo, gatinho!’ Puxou-me pelas ancas contra seu colo até às bolas do saco.
Gemi e suspirei: ‘‘ ai que delícia!!!’ mexi gostoso com aquela rola todinha dentro da buceta. Rebolei na piroca, enquanto o gatinho gemia e suava. Mais tesão me dava vendo ele me cravar ali no chão. Ele me fudia com gosto! Com força e rápido!
‘ vou gozar no seu pau, gatinho! Vou gozar, gatinho, continua metendo, assim, assim, mete com força, mete tudo, mete, gato! Vou gozar gato, não para não. Não para não!!!!!!!!’ Gozei de melar o pau dele.
Ele parecia possuído, socava o pau até o talo! De repente tirou e falou:
‘ ai, que droga! to gozando! Desculpa.’ Tirou o pau e eu abocanhei e engoli a porra toda. Ainda com o pau duro como antes, meteu na minha xana de novo e continuou num vai e vem alucinante!
‘ me come de 4, gato! Vem!’ Me pus de 4 na cama e ele veio por trás agarrou meus quadris e meteu a vara até o pé. Eu gemi alto e pedi mais:
‘ me come! me come gostoso pra eu gozar de novo neste pau… assim, gatinho!
‘ A sra. gosta assim? Ai que gostosa! Ai, ai, ai… ’
‘ adoro!!!! Me fode, assim, assim! Vou gozar agora, gato! Mete! Mete! Mete gostoso na minha buceta, mete! Mete! Aaiiiiiiiiiiii!!!!! Delícia!’
‘ A sra. é muito gostosa! Rebola na minha, rebola! Posso gozar dentro? Nooooosssa! Que bundão gostoso que a sra. tem…’
‘ quer gozar, gatinho?’
‘ não tô aguentando…’
‘ gostou do meu bundão?’
‘ a sra. é muito linda e gostosa

‘ então, vem aqui que tenho uma outra coisinha pra vc, gatinho. Você quer comer esse bundão?’
‘ nosssssa, a sra. é quem manda. A sra. tira a camiseta pra eu ver a sra. peladinha?’
Arranquei o camisetão e o franguinho me agarrou por trás apalpando meus seios, apertando os biquinho e me levando à loucura.
‘ que delícia seus peitinhos!!!!’ Chupou e apertou meus mamilos, meu tesão era grande e eu precisava de mais pica na racha. Posicionei-me no cacete do moço e dei uma encaixada legal, pus tudo pra dentro e mandei meter.
Ele tirou a rola: ‘ a sra. queria na bunda, agora me dá… vou por devagarinho só o tanto que a sra. aguentar’. Abriu minhas pernas, passou a língua quente no meu cu deixando ele molhadinho. brincou no grelinho mais uma vez e veio com a rola dura, pincelou a buceta, me deixando doidinha, doidinha pra que ele me cravasse de novo. Mas, agora ele queria meu rabinho, posicionou no lugar e pôs a cabecinha bem devagar…
‘ pode enfiar mais?’
‘ sim, mais…’ introduziu mais um pouco, parou para eu que acostumar e introduziu mais.
‘ tá doendo, minha gostosa? Pode pôr mais?
‘ simmmmmmmmmmm! Delícia, pode’!
Senti meu cu arder e o pau do garoto latejar:
‘ Põe mais um pouquinho, gato! Adoro!’
‘ Tá tudo dentro, agora me dá gostoso esse cu! Rebola na minha pistola! Rebola, assim, gostosa’!
Eu rebolava naquela pica dura enquanto ele me masturbava o grelo com as mãos. Era um tesão delicioso! Um gatinho delicioso, todo dentro do meu cu.
Falei: ‘ gato! Mete com força!’
‘ meto do jeito que a sra. mandar.‘
Me estocou o rabo com força e eu gozei com os dedos dele fazendo vai e vem no meu grelo. Quando sentiu os dedos molharem com meu gozo ficou ainda mais louco e meteu com fúria enchendo minha munda de porra na quarta ou quinta estocada.
‘ a sra. é gostosa demais!!!!!!!!!!! Tô gozando de novo!!!!!!!!!!!!!! Ai gostosa!!!! Gostosa!!!!!!!!!!!’
Senti o pau dele pulsar para encher meu cu de porra quente. O garoto deitou-se sobre mim suando feito uma chaleira.
Dois minutos depois, levantou-se, me deu um beijo suave nos lábios e disse:
‘ preciso ir, às 6:00 termina meu turno. nunca vou me esquecer da sra. nem que passe 100 anos’.
Pôs a roupa, foi embora e eu fui para o banho.
Na manhã seguinte, segui viagem. Quem sabe um dia não paro lá outra vez numa destas minhas andanças? Se bem que prefiro parar em um novo hotel e conhecer um novo gatinho… rsrsrs