Meu time foi goleado e a minha esposa arrombada



Click to Download this video!

“Eu sou empresario bem sucedido, casado com uma pessoa maravilhosa há uns sete anos. Nós sempre tivemos uma vida muito boa graças ao meu trabalho, o meu ramo não permite muitas ausências, mas viajamos por curtos períodos, já que não temos filhos.
Minha esposa fica completamente maluca só de ouvir a palavra ‘viajem’, mas ela também trabalha duro gerenciado minha loja. Sempre ficava semanas se preparando, se arrumando, comprando roupas novas, e nossas viajens sempre eram muito quentes em termos de sexo.
Ela ficava descontraída pois sabia que em um lugar diferente ninguém a conheceria e ela poderia liberar suas mais loucas fantasias. A nossa vida sexual sempre se renovava nas viagens e acontecimentos improváveis faziam com que pudéssemos ter momentos de intenso prazer.
Assim foi desde nossa lua de mel porto de galinhas, onde acabamos transando em uma praia deserta, Natal onde certa vez fizemos sexo em um hotel as janelas abertas e o vizinho da frente se masturbava enquanto ela fazia um strip tease para mim, em recife onde saíamos juntos em bares e ela voltava cheia de tesão comentando a beleza dos pernambucanos e transando como uma verdadeira devassa, provavelmente imaginando como seria foder com todos aqueles homens viris.
Minha outra grande paixão é o Leão do Mercado, acompanho todos os jogos do nosso Guarani.
Minha esposa tem a pele bem clarinha, cabelos curtos e bem arrumados, um lindo rosto e sorriso. Além da sua bunda branquinha, deliciosa e desenhada, ela tem um par de seios de fazer inveja a muitas mulheres siliconadas. Nem precisei gastar dinheiro com silicone pois seus seios são maravilhoso e possuem um belo par de bicos que costumam ficar muito duros no frio ou quando ela está excitada.
Cada vez que Guarani vencia, íamos comemorar em bares e festas. Ela adorava dançar, e provocar os homens. Algumas vezes deixava ela na pista de dança só para observar a reação dos caras nos bares. Não era incomum ver jovens que se aproximassem dela e depois de alguns minutos de dança ficavam com suas calças estufadas.
Minha esposa adorava provocar, mas não fazia mais que estas coisas.
Ela estava se comportando muito bem e sempre acabava saindo de fininho e voltando pra mesa, muito excitada.
Certa vez ela voltou a mesa depois de dançar com uns rapazes em Itapipoca, sentou-se ao meu lado e levou minha mão no meio de suas pernas. Eu nunca havia sentido sua bucetinha tão molhada. Os dedos escorregavam pra dentro da sua vagina sem eu fazer nenhuma força .
Pegamos um táxi pro hotel. E quase transamos no carro. O motorista olhava pelo espelho e dava pra ver que as vezes esfregava seu próprio caralho enquanto trocava de marchas.
Na cama chupei ela toda e meti naquela bocetinha deliciosa. Gozei rápido, pois estava com muito tesão e ela ainda queria mais. Acabei chupando o grelinho dela, pois estava muito cansado da viajem.
Em 20011 viajamos pra Fortaleza para a decisão do Cearense. O Leão do Mercado estava com chances reais de ganhar tinha um bom time e eu acreditava na conquista.
Colocamos o manto rubro negro e fomos ao estádio.
Na entrada minha esposa ficou alucinada com uns rapazes da Cearamor que gritava no Portão principal e eu apenas comentei quase gritando:
-“são um bando de gays”
Ela riu muito e disse que queria um gayzinho daquele só pra ela.
Eu brinquei e falei…
“-Vamos fazer uma aposta: se o Leão ganhar eu deixo você trepar com qualquer um que você quiser, e se o Leão perder você vai ter que tirar uma foto em local público sem calcinha…e com as pernas abertas.!”
Ela topou depois de hesitar um pocuo. Pensei comigo que minha esposinha iria pela primeira vez receber uma pica negra na minha frente, afinal a vitória do Guarani era tida como garantida.
O resultado do jogo todo mundo já sabe foi aquela humilhação: Ceará 5 e Guarani 0, o que significava que eu teria que me consolar com a foto. Mas aposta é aposta.
No dia seguinte, ainda de ressaca por causa da bebedeira de consolação depois do jogo, minha esposa colocou um vestido marrom, tipo tubinho, seu salto preferido, se arrumou toda, baton combinando com as unhas e um casaco preto.
Eu ainda fiz questão de provocar ela perguntando se ela tinha se “vestido” direitinho.
Ela fez cara de brava e desentendida, mas no fundo eu sabia que ela estava gostando da safadeza.
No café da manhã ainda fiquei provocando ela, falando pra ela abrir as pernas… pra mostrar um pouquinho. E ela coxixando brava:
-“Você tã louco? Aqui no hotel? Tá maluco? Aliás tenho uma surpresinha pra você…Acho que vai adorar…”
Eu retruquei:
-“Mesmo? Arrumou um negão???”…risos
Ela me provocando mais ainda:
-“Não seu candidato a corno…risos…fiz uma coisa que vai te deixar louco…”
Caramba….Minha esposa sabia apimentar a relação. E eu morria de curiosidade.
Saímos na porta do hotel e eu falei bem seco com ela:
-“Ali” apontando para um banco!
De onde estávamos dava pra ver claramente a entrada do hotel, e o movimento ainda não era muito grande por ser cedo. Na hora ela protestou veementemente:
-“Você tá louco? E se passar alguém? Você tá maluco …o Leão perdeu o jogo e você o juízo…”
Eu fui me afastando e preparando a máquinha dizendo:
-“Aposta é aposta, meu bem!”
Não queria perder aquela foto por nada neste mundo.
Dava pra ver na cara dela que tinha um misto de excitação e desejo. Mas a razão ainda falava mais alto. Lentamente ela se sentou e eu fiquei ali esperando.
Ela olhou pros dois lados, abriu as pernas rapidamente e fechou.
Eu protestei:
-“Nem deu pra tirar a foto”
-“você que é lerdo “
-“E vê se sorria meu bem…”, eu disse sinicamente.
Aos poucos ela foi perdendo o medo cruzou as pernas e começou a sorrir. Aproveitei e fui clicando, bem devagar e ela ficando cada vez mais soltinha, abriu as pernas e deixou o vestido escorregar oferecendo uma visão que jamais esquecerei em toda a minha vida.
Ela tinha depilado sua bocetinha deixando um fio de pelos que seguia as belas curvas de seus lábios vaginais.
Meu pau ficou duro na hora. Tive que tirar muitas fotos até que elas não saíssem tremidas…riso.
Minha esposa estava entregue e cada vez se exibia mais pra mim. Neste momento passou um senhor com uma cara mal humorada. Ela fechou de imediato as pernas e logo que ele entrou no hotel continuou a se exibir para mim.
Aí aconteceu uma coisa que mudaria o destino da nossa vida. Eis que surge de repente um segurança do hotel, com ternos, óculos escuros e um invejável porte físico. Ficamos disfarçando, mas logo chegou numa educação impecável que tinha recebido uma reclamação, e que precisava confiscar a máquina com as fotos.
Percebi que minha esposa tinha ficado muito brava e embaraçada com aquilo e eu completamente apavorado. Pensei que por causa de uma brincadeirinha dessas as nossa férias poderia ir por água abaixo, mas estava enganado.
O Segurança fez menção de chamar os outros seguranças, daí eu interví e argumentei com ele se não tinha algum modo de resolver a coisa com menos escândalo… Eu estava pensando em subornar aquele segurança ao invés de entregar as fotos da minha esposa sem calcinha e ainda por cima ter que ir a uma Delegacia.
Mas Segurança começou a olhar na minha esposa de forma estranha. Ficou pensando o que poderia lucrar com aquela história. Minha esposa ficou meio encabulada no começo, mas o cara era muito simpático e acho que nenhuma mulher resistiria aquele belo negro. Talvez fosse melhor ceder aos seus impulsos que ter sua foto publicada na internet.
Segurança perguntou que quarto estávamos e disse para nos encontrar num bar perto do hotel depois de terminado o seu expediente no fim do dia, e que se não fôssemos lá usaria as imagens do circuito interno no caso de um processo. E que era para eu levar a máquina de fotografia conosco no nosso encontro.
Eu fiquei branco na hora e olhando para traz vi uma enorme câmera de segurança apontada para a entrada principal do hotel.
Ficamos muito nervosos e apreensivos no quarto do hotel o dia todo. Chegamos no horário combinado e ao entrar no piano-bar, que era aconchegante, logo encontramos Segurança vestindo uma bela camisa social e calça jeans. Ele parecia um tanto quanto nervoso também. Eu acho que se alguém soubesse da sua proposta ele prontamente perderia o emprego.
Por incrivel que possa parecer o papo começou a transcorrer numa boa depois que percebemos que ambos não estávamos com segundas intenções.
O Segurança foi se soltando e já fazia elogios descarados a minha mulher, provavelmente ele deve ter observado bem a xoxotinha dela pelo circuito interno do hotel antes de chegar para nos pegar no flagrante.
Ele pediu para tirar uma foto com minha esposa. Ela logo foi do lado dele e já estava toda elétrica se esfregando nele. Eu achei que a história acabaria aqui. Que eu pagaria a conta, retornaria para o hotel e tudo bem. Mas eles começaram a se olhar com mais intensidade, minha mulher pegava na mão dele pra conversar e o clima esquentou.
O Segurança sem pestanejar sugeriu que fôssemos para a casa dele… Achei que Minha esposa fosse esbravejar, ou ao menos dar uma de difícil, mas nada disso aconteceu ela pediu apenas tempo para ir no banheiro passar baton.
No táxi eles sentaram atras e ficavam conversando com o rosto bem próximo um do outro e numa grande grau de intimidade. No prédio onde morava o Segurança, assim que chegamos no corredor os dois já andavam de mãos dadas e eu mais atras só olhando.
Ele disse que iria mostrar sua casa, muito bem arrumada por sinal, e foi levando minha esposa para o quarto.
Ao entrar no quarto minha esposa repentinamente começou a beijar ele na minha frente, sem o menor pudor e foi logo arrancando sua camisa. O Segurança abraçava ela com suas mão gigantes e desta vez nem se importou com as fotos que eu tirava…risos
Ele foi logo colocando a mão na bocetinha recém depiladinha da minha esposa e repetia:
-“linda maravilhosa…”
Minha esposa só gemia e eu fiquei imaginando se, com todos aqueles pelos que ela tinha na xaninha antes de depilar, os meus dedos já escorregavam fácil, como seria deslizar os dedos naquela xoxotinha lisa?
O Segurança deve ter sentido cada detalhe da sua bocetinha com seus longos dedos e logo depois sentou-se na cama e abaixou as alças de seu vestido. Começou a chupar os peitos da minha esposa que até eu ouvia. Minha esposa delirava e ela mesmo se incumbiu de levantar a parte de baixo vestido até a barriga. Eu via sua linda bunda branca, que receberia uma pica negra pela primeira vez e resolvi tirar mais fotos.
Não queria esquecer aquele momento por nada na minha vida. Ela estava linda sarrando aquele segurança e com seu vestido todo enrolado em volta de sua barriga.
Ela percebeu que eu tirava fotos e não se fez de rogada, empurrou Segurança pra cama, empinou a bunda e ainda olhou para mim e disse:
-“Tá vendo esta bocetinha? ela vai perder a virgindade prum pau negro…e você vai virar corninho pela primeira vez”.
Ela estava muito excitada e começou a desabotoar a calça do segurança. Eu não acreditva no que via. Ela fazia questão de se exibir pra mim e dava pra ver sua mão com a nossa aliança desvencilhando a calça do segurança. Ela teve dificuldade, pois o pau do cara era grande.
Quando ela finalmente conseguiu soltar a calça dele, Segurança se levantou e ficou com o membro duro balançando na cara de minha esposa. Ela ficou por um longo tempo admirando aquela tora cheia de veias. Ela estava em êxtase. Nunca tinha visto ela com esta cara e começou a chupar o pau do segurança que ainda estava de cuecas. Eu me aproximei com a câmera e agora ela parecia uma modelo pornô, lambia a cabeça dele com vontade e ficava me mostrando.
Eu só conseguia crer que era minha esposa por causa da aliança.
Eu apontei o seio dela, pois queria tirar uma foto daquela linda tetona branca e ela percebendo minha intenção fez pose e ainda por cima segurou a base do pênis com uma mão e o corpo com outra para eu poder fotografar toda a potência daquele membro. O pau do cara era tão grande que quase a camisinha não cabia.
Depois de muita chupeta, o Segurança conduziu ela pro sofá. Eu sentei tirei meu diminuto membro pra fora e fiquei punhetando. A posição que eu estava era perfeita pra que eu pudesse assistir ao defloramento da minha esposa por aquela pica gigante.
O Segurança sentou no sofá e deu mais alguns beijos em minha esposa com cara de preocupada, mas com tanto tesão que foi sentando na pica dele de cócoras e de frente pra mim.
Eu não acreditei quando entrou a cabeça do pau e ela gemeu. Achei que ela fosse desistir. Qual não foi a minha surpresa quando ela soltou todo o peso do seu corpo em cima daquele caralho imenso.
O Segurança tentou segurá-la pelos seios, mas ela já estava completamente empalada naquela vara negra. E agora rebolava na pica toda enfiada. Segurança tomou controle da situação e começou a estocar ela cada vez mais, tirando e enfiando seu cajado negro em seus grandes lábios, até que a pica saísse completamente e depois retornasse fazendo com que os grandes lábios da minha esposa beijassem as bolas do seu saco a cada subida e descida.
O Segurança fodia muito bem, pois embora tivesse aquela verga enorme ainda controlava os movimentos dela forçando os seios dela pra cima e pra baixo. Ela só acompanhava sendo conduzida pelas suas tetas e o casal estava em total sincronia até gozarem entre gemidos. Seu membro não dava sinais de amolecimento.
Eles ficaram uns 15 minutos parados e depois o Segurança começou a dar umas estocadas de novo e acabaram tendo um novo orgasmo. Eu me retirei para a sala e depois ouvi o chuveiro ligar e eles ficaram lá sozinhos por quase mais uma hora.
Minha esposa voltou “vestida” e feliz, eu tentava deixar o clima mais leve servindo uma dose de wisky para o nosso segurança e ele parecia bem cansado mas fazia questão de andar pelado e balançando aquela benga, para pegar gelo na cozinha.
O Leão perdeu o jogo mas minha esposa ganhou o campeonato e um troféu grande e negro pela primeira vez.”