Acampamento com a Prima virgem



Click to Download this video!

Olá, meu nome é Noah Natan, e estou aqui para relatar um fato verdadeiro, que ocorreu comigo.
Tenho 25 anos, e chamo muito atenção das mulheres, pela minha forma de vestir, e pelo meu papo, sou bonito, não tanto, mas compenso com minha estrutura psiquica.
Eu sempre fui fanatico por minhas primas, a maioria são da minha idade, e eu sempre fantasiava namorando com elas, mas devido a proximidade e minha familia não permitir esse “tabu” eu ficava meio sem jeito de chegar nas meninas, muitas vezes agente chegava a dormir na mesma cama, eu passava a mão nelas, mas meu coração ficava tão desesperado que eu pensava que iria morrer se continuasse. Eu tenho uma prima, esta do fato, que vou chama-la de IT, é a abreitura do nome dela, ela é cinco anos mais nova que eu, este
conto ocorreu no feriado de 7 de setembro. Eu amo viajar, e esta minha prima sempre me admirava pois eu sempre fiz esporte radicas, com bungge jump, raffitng etc.. e ela era doidinha para fazer uma locuras dessas, ela tinha acabado de chegar do interior para fazer faculdade. Antes disso agente so encontrava nos fim de ano e feriado prolongado. Eu vivia querendo ficar com ela, mas nunca contava, chamava ela para sair, ir no cinema, shows, eventos, só para ter a oportunidade de ficar com ela a sós. ela me considerava como irmao e eu queria come-la.
Até que chegou o dia sete de setembro, combinei em ir acampar com ela, numa praia aqui que fica na região metropolitana de onde moro. tinha combinado com ela dizendo que mais pessoas iriam, mas era tudo mentira, na verdade só ia eu e ela acampar, falei isto para que não houvesse implicancia da familia, e dela tambem, me senti mal, mas o desejo de possui-la era muito grande. Enfim, peguei minha moto, passei na casa dela peguei nossas coisas, e fui ate o mercado onde supostamente tinha que encontrar meus amigos. Ao chegar no mercado, liguei e fingi que falava com alguem, fiz uma cara triste e disse para ela:
_ IT, não podemos ir mais, o pessoal não vai mais, vou te deixar em casa e ir sozinho!
Fiquei esperando a resposta: ela nada respondeu e subiu na moto, e eu fui levando-a para casa, triste e desolado, coração partido, e de pau murcho.
Na ultima esquina antes de chegar na casa dela, ela tocou no meu ombro e disse:
_ vc vai só mesmo?
eu respondi que sim, com a cabeça e ela continuou:
_ então vou com você. quero muito acampar, deve ser legal, dormir na barraca nunca fiz, quero ir!
Acelerei a moto, antes que ela mudasse de ideia, e nós fomos ate a praia que fica a mais de 60km da minha casa. Era o lugar ideal. Eu tinha esperado por este momento a muito tempo.
Ao chegar na praia, o lugar reservado para o camping, estava lotado, muitas pessoas, os homens olhavam para ela, pois ela é loira, e aqui na loira dos olhos claro faz sucesso. Ai eu pensei, me fudi, trouxe para que os outros comam. Fiquei desesperado, achando que ia babar o meu plano. Ao montar minha barraca, montei o mais longe possivel das outras. Para que não houvesse nenhum tipo de assedio.
O dia foi passando, almoçamos, brincamos de voley, ate de pega-pega com umas crianças eu brinquei, para mim isso era horrivel, ja que odeio voley e criança nao tenho muita afinidade, mas o que agente não faz por interesse??
A noite foi caindo, a iluminação no local é precaria, estavamos um pouco longe do acampamento, tinha bebido um pouco, não muito, e estavamos andando a pé. Por um caminho escuro. IT pegou na minha mão e disse que tinha muito medo de escuro, andamos de mãos dadas eu achei o maximo. E fiquei muito feliz. Chegamos no acampamento, estava tudo quieto, ja se passavam da meia noite. O banho, ficava afastado do local de dormir, então IT me pediu pra ficar no banheiro ate ela tomar banho. Eu prontamente disse que sim. o banheiro tinha dois locais, um de tomar banho e a parte da privada. eu fiquei perto da pia, pensando no corpo dela e aproveitei pra me masturbar. Enquanto ela tomava banho, eu fiquei olhando pela abertura lateral da porta, meu coração disparava. eu vi ela peladinha. gostosa, como eu tinha imaginado. A xaninha dela raspadinha. que mulher escultural. fiquei doido, quando ela saiu do banheiro, eu me manti de costa. ela disse, Noah, pode olhar estou vestida, mas eu estava de costa pois meu pau não descia de jeito nenhum, entrei rapidamente no banho. e tentei pensar em outra coisa, mas não consegui.
Fomos para a barraca, meu pau ainda tava duro, mas estava escuro, e acho q ela não percebeu.
Minha barraca era grande, mas tinha pego a menor, do meu primo, para que agente ficasse juntos, tinha pensado nisso antes de vim.
Minha prima pediu para eu virar pois ela ia colocar a roupa de dormir. Eu virei, quando ela terminou disse pronto, olhei para ela, e lá estava com uma camisola transparente e que dava pra ver ate a calcinha. era branca. Que linda. meu pau continuava duro. Ficamos conversando durante um tempo, sobre namoro, sexo, ela disse que era virgem, e eu afirmei que era, mas ela me chamou de mentiroso, pois ela tinha conhecido uma ficante minha que tinha contato pra ela, fiquei encabulado, e disse que menti, pois não gostava de falar desses assuntos. conversa vai conversa vem, estavamos enrolados no mesmo lençol. ela com a cabeça no meu braço, e nossas respirações perto.
Ao tentar dormir, eu sem pensar, meti minha linga na orelha dela, ela deixou, creio que estava tão assustada quanto eu. Peguei no seu pescoço e tentei beija-la: Ela disse que não queria, e que agente não podia pois eramos primos e ela nao ficava com primos, pois tinha-nos como irmãos. Neste momento eu estava completamente cego e doido, continuei lambendo seu ouvido, beijando seu pescoço e sua orelha, a nuca. ela pedia para eu parar, mas com uma voz mansa. Que eu não conseguia parar, fiquei em cima dela e ela dizendo esta me machucando, para Noah. Não guentei, coloquei ela em cima de mim, peguei em sua bunda e forcei um beijo, ela exitou, não quiz, entao enfiei minha lingua no ouvido novamente, e ela falando baixinho. “Para” “não posso” “não quero”, aquilo soava como como um “sim”, não parei fiz ela se esfregar no meu pau, ate que tao derrepente quanto o que estava acontecendo, ela me beijou. sua xaninha estava tao molhada, que estava me enxarcando. Ela me beijava loucamente, tirei sua camisola, e minha cueca, ela so de calcinha, nao queria tirar, mas insisti, ela nao deixou eu tirar, continuei beijando e forçando-a tirar, ate que ela cedeu. Chupei ela todinha, desde olho ate o pé. Fiz ela gozar varias vezes, ela me chamava de louco, e falava para darmos um tempo. Mas eu não recuei. Fui beijar, e preparei meu penis para tirar a virgindade dela, ao colcoar meu penis, ela disse: “Nao faz isso que vou me arrepender”, eu disse “voce vai se arrepender se nao fizer”, enfiei, meu pau entrou naquela xaninha gostosa, molhada. ela dizia que estava doendo, e eu que iria passar a dor. Transamos varias vezes. e outras ja era quase quatro da manha, e estavamos la transando. no dia Oito de setembro.
Gozei muito, e ela muito mais.
No outro dia, ao acordar, ela estava olhando para mim, eu dei um bom dia, e ela disse:
_foi tudo armardo não foi?
_ eu disse, sim.
Ela me mostrou as roupas sujas de sangue, e eu disse que a muito tempo estava esperando por isso.
Ela pediu para ir para casa, voltei, feliz e triste ao mesmo tempo.
A noite no dia oito, ela ligou para mim, dizendo que queria sair. Eu disse: “ok”
Para minha surpresa, ao chegar na casa dela, ela pediu para apenas eu dirigir, calado estavamos. Ao passar num motel, ela disse vc pode entrar aqui?
Entrei.
Ai voces ja sabem né? Esta parte fica para outro conto!
Mas ate hoje, fazemos sexo casual. Ela tem namorado, e eu tambem, mas depois daquele dia, nao conseguimos parar.