EU ERA INOCENTE E VIRGEM!



Click to Download this video!

OLÁ! Meu nome é SARA, sou morena queimada deo sol, cabelos lisos e castanhos, olhos verdes, seios pequenos, redondos e durinhos, e xota quase peladinha, sou filha única, meus pais trabalham a semana toda em uma empresa em Guarulhos – São Paulo, fico sozinha em casa, só minha tia (rabugenta) vem dormir comigo à noite. No final da semana passada meus pais avisaram que eu ia ficar sozinha em casa, e minha tia também não podia ficar comigo, achei o máximo ficar sozinha em casa, aproveitei e fui no quarto de meus pais, lá tem DVD, resolvi ver alguns filmes, meu pai tinha comprado alguns filmes e tinha escondido, achei eles no fundo do guarda-roupa, era tudo pornô, coloquei no DVD e fiquei eletrizada com o que vi. Uma mulher fazia sexo com dois homens, de tudo quanto era jeito, olhei para o relógio, eram seis horas da tarde, tirei a roupa e alisei minha xotinha meladinha e fiquei vivendo fantasias. Eu era virgem, nunca tinha pego em um pênis, só tinha visto em revistas). Gozei varias vezes com as cenas do filme. De repente ouvi alguém perguntado: Gostou do filme? Era meu pai, fiquei gelada e muda de medo, gaguejei, tinha certeza que eu ia apanhar, levantei escondendo o corpo, mas ele pediu pra eu ficar calma, que minha mãe não tinha vindo, e que também entendia minha curiosidade por sexo, que era normal, disse se eu quisesse poderia terminar de ver o filme, que ele ia tomar banho e beber alguma coisa. Tentei, mas estava assustada e com vergonha, desliguei o DVD. Ele saiu do banho, se vestiu e disse: Vou sair . Fui tomar banho, fiquei com vergonha do flagrante que tomei. No banho me demorei muito. Meu pai bateu na porta do banheiro e falou que tinha comprado uma pizza pra gente. No jantar não comentamos nada, meu pai ficou bebendo na sala enquanto fui pro quarto, lá pelas 22:30, ele foi até meu quarto e perguntou se eu que queria assistir um filme com ele, perguntei que filme era, ele disse: Igual aquele que você estava vendo. Mas não pode contar pra ninguém . Aceitei e falei que eu ia já, troquei de roupa, vesti uma camisetinha e coloquei meu short. Quando o filme começou, ele falou que era lançamento e muito bem recomendado por seus amigos. O filme começou e eu deitada ao lado, notei que tinha um volume bem grande no calção dele. Tinha uma mulher beijando um homem, o cara chupava os seios dela e depois xota dela, então ela tirou a calça do cara eu disse: Nossa . Meu pai notou e perguntou: O que foi filhinha? ., Eu perguntei se existia um pênis daquele tamanho todo e grossura, ele disse que existia perguntou se eu já havia visto um de bem de perto, respondi: Não. Papai eu sou virgem se esqueceu? . Mas bem que queria, estava curiosa pra ver um . No filme o cara começou a comer a mulher de quatro e por trás, eu não agüentei de tanta excitação, enfiei a mão sob meu short, alisei a xotinha molhada e iniciei uma siririca. Notei que papai parou ate de ver o filme, senti um tesão invadindo meu corpo, queria fazer igual a mulher do filme, ter um pau dentro de mim. E ele não tirava os olhos de mim, vi que me desejava não como filhinha dele mas sim como uma putinha. Não aguentou muito e disse: Tire sua roupa que vou lhe ensinar algumas coisas . Fiquei nua, mostrando meus peitos que estavam com os bicos retesados, mostrando também minha xaninha, acho que tudo misturado com o que ele tinha bebido, ficou com um tesão louco na hora, e disse: Que bucetinha linda, lisinha. do jeito que eu gosto . Me pediu pra deitar na beirada da cama e abrir as pernas, ele ajoelhou e começou a passar a mão na minha xota. Nesse momento eu não me contive mais, passei a aproveitar as caricias, ele passava o dedo pela entradinha, eu gemia e miava que nem gato, Ele parou com a mão e disse: Vou chupar e lamber essa bucetinha, ela vai ficar bem molhada, pois hoje vou meter meu pau em você ate as bolas . E me arrepiei ao ouvir isso e quando senti a língua dele tocar minha xotinha, senti um choque pelo corpo, a língua dele se mexendo dentro de mim, e gozei com a chupada maravilhosa, e ele dizia: Goza filhinha, sua buceta tá com um gosto delicioso. Sem saber como eu disse: Quero seu pau dentro de mim . Ele falou: Tá na hora de você ver uma pica e aprender a fazer uma chupetinha . Eu nem sabia o que era, ele ficou de pé e abaixou a bermuda, na minha cara bateu uma baita de pica, grande, grossa, cheia de veias, igual a do filme. Ele mandou eu pegar, estava como um ferro de passar-roupa, dura como aço, pulsava na minha mão e tinha uma cabeça brilhante feito uma maçã vermelha, fiquei segurando a pica por uns momentos depois fiz como vi no filme, comecei a chupar a cabeça, senti que um gosto meio salgadinho, ele me dizia: Lambe, chupa feito um sorvete, põe tudo na boca . Tentava enfiar, mas o pau não ia, então ele forçou e o cacete foi até a minha garganta, engasguei com o pau na minha goela, ele ria, comecei a pegar o jeito de fazer uma chupeta, ele passou a gemer mais alto e gozou na minha boca, tentei tirar, mas engoli muita porra. Ele ria e perguntou: Gostou do leitinho? Eu só balancei a cabeça, ele me falou: Agora vamos fazer mais gostoso . Levantou minhas pernas, enfiou o dedo na minha xota e disse: Tá molhadinha, hora de receber o pau do papai. Tirei o cabaço da mãe e vou tirar o da filha . enrolei as pernas em volta dele e senti o pau forçando na entrada da minha bucetinha, ele abriu mais minhas pernas e a cabeça do pau entrou, falei que estava doendo, que o pau dele era muito grosso que tava me rasgando. Ele dizia Relaxa, vai doer mais agora, AGUENTA um pouco . Senti aquela pica entrando, ele falava: Já foi quase a metade. Vai relaxa mais . De repente senti uma dor mais aguda e meu cabaçinho se rompeu. Senti o pau sendo empurrado mais fundo em mim, olhei e vi que tinha entrado tudo, só vi os pelos dele, o pau tinha sido engolido. Aí veio o vai-e-vem bem devagar, ele levantava o corpo até a cabeça do pau aparecer e empurrava tudo até as bolas – como ele dizia E ficava dizendo: Que buceta quente, apertada, papai tá comendo sua buça . Então ele saiu de cima de mim e pediu para eu sentar no pau, vi que o pau dele tinha sangue, ele disse que era do meu cabaçinho. Sentei de frente e ele mandou eu sentar de costas pra ele, posicionei a pica na entrada da xota que estava inchada e achei que o pau dele estava mais grosso ainda, doía muito, não dava pra enfiá-lo inteiro, ele me mandou rebolar no pau dele, foi ai que o tesão voltou e a dor diminuía, eu gemia, fiquei como louca cavalgando naquela posição, ele me pediu pra ficar de quatro, fiquei, ele colocou travesseiros em baixo de do meu corpo e fiquei com a bunda empinadinha., O pau dele passava da minha xota até o cuzinho, que piscava sem descanso e cada vez mais forte, mas ele disse Ainda não é hora de levar no CUZINHO, que ainda era a vez da bucetinha .Achei ele mais agressivo, o pau foi enfiado na xotinha e foi socado com força, as bolas batiam em mim fazendo barulho, comecei a gemer e soltei uns gritos: AI, AAII, AIIIII, AIIIIIIIIIIII, HHHUMMMMM . ele deu um puta de um, acelerou mais e senti aquela pica latejar e despejar porra, me inundando toda, desta vez a quantidade foi maior, ele havia gozado e eu aliviada, pois doeu. Fui pro banheiro e vi que escorria porra e sangue pelas pernas, tomei uma ducha, voltei ele falou: Vamos dormir, que de manhã vou comprar umas pílulas pra você tomar e um creme-lubrificante, pois estou maluco pra comer seu cuzinho . Dormimos juntos, ele estava motinho de tanto me comer e dormiu logo, eu demorei, minha xotinha doía. Também aguentei um pau de quase 20 cm, mas estava feliz, pois agora eu poderia fazer e pedir qualquer em troca da minha xaninha. Acordei me sentindo a garota mais feliz do mundo. Papai me disse: Comprei um remédinho e é bom você tomar logo, não quero que você fique grávida:. Tomei o remédio e o café. Depois ele pediu que eu vestisse uma roupa que nos íamos comprar uns presentes que eu poderia escolher o que quizesse. E assim fizemos. Quanto mais presentes ele me dava mais eu queria estar sentando na rola do papai novamente, queria gozar no pau. Isso me excitou e eu disse: Tá na hora de dar o leitinho, a filhinha quer mamar. Na volta pra casa já estava escuro, e vi que papai tentava esconder seu pau muito duro disfarçando com um jornal. Ele tinha deixado o carro no estacionamento que era mal ilumindo, entramos no carro e ele me disse: Você me deixou com a pica dura, vê se dá um jeito de fazer algo pra sossegar ISSO AQUI. Me mostrou o pau, perguntei: O que que eu faço papai? De um jeito provocante. Ele me responde: Dá uma MAMADA, aqui ninguém vai ver, mas quero que você engula tudo, e quando o papai gozar, não pode cair porra no banco, trate de tomar todo o leitinho sem desperdiçar. Ouviu putinha? Abrindo a bermuda me mostrou aquele mastro e disse: Vem, cai de boca. Comecei a chupar o pau dele, já adorava o gosto, dei uns beijinhos na cabeça daquele piroca e chupei com força e vontade, passei a língua em volta da cabeça que ficou latejando na minha boca, já estava pegando prática e me viciando naquilo, ele dizia um montão de sacanagens: Chupa putinha, chupa com vontade!!! issssooooo!!!!!, lambe bem a cabeça filhinha!!!!!! iiisshshshshsiiiiii !!! Teu papai vai gozar agora, engole até a garganta cadela, andaaaaaaaaaa!!!!!!. Não deixei uma gota cair, fiquei com a pica na boca e com essa cheia de porra, mostrei e ele pediu pra eu abrir a boca, abri e ele mandou eu engolir tudo, engoli, ele riu e disse: Vamos pra casa agora, quero minha recompensa pelos presentes . Chegamos e papai me mandou ir pro quarto. Depois ele entrou, peladão, com aquele cacete apontando paro teto, ele me pegou e rasgou minhas roupas como um tarado, me jogou sobre a cama e me colocou de quatro, estava irreconhecível, estava violento comigo, com uma estocada só ele me penetrou, foi até o talo, soltei um grito, doeu muito e ele nem ligou, metia com força minha buceta doía muito, mas comecei a relaxar e minha xotinha ficou molhada, facilitando o entra-e-sai daquela pica, pedi pra ele: Vai mais rápido que tá gostoso, estou gozando na sua rola. E ele falava: Engole minha pica com a buceta sua putinha, você é com a sua mãe, gosta do pau ATOLADO dentro da buceta, como é apertada. Ta gozando filhinha no cacete do papai? E eu respondia: Mete…mete mais….aaaaaaaiiii… maaiiiissssssss!! . Gozei tão intensamente que meu corpo ficou mole e aquela TORA sair da minha buceta, fiquei largada sobre a cama. Papai ficou de pé e foi na gaveta da cômoda, pegou um frasco e voltou para cama dizendo assim: Eu te dei uns presentes caros, agora eu quero um anel de presente. Inocente eu disse: Não tenho dinheiro pra te dar um, ele deu gargalhada, euão tinha entendido nada, e perguntei: Ta rindo por que? e ele respondeu: Quero outro tipo de anel, quero o seu anelzinho! Perguntei que anel não tenho anelzinho algum?!?!?!?, e ele gargalhou novamente: Quero seu anel rosadinho, seu cu filhinha, esse cuzinho rosado ai, cheio de préguinhas, pro papai arrebentar uma por uma . Com medo respondi: Mas papai, teu pau é muito grande e grosso, vai doer muito, eu não agüento, teu cacete não entra aqui, meu buraquinho é pequeno! . Me virei de costas, abri a bunda e mostrei o cuzinho. Ele passou o dedo e disse: Entra sim, papai comprou um lubrificante pro cuzinho e uma pomadinha analgésica pra passar depois. Ainda com medo perguntei: Você como o CU da mamãe também? . Ele respondeu: No inicio foi difícil, mas hoje ela já faz dupla penetração, enfio minha pica e depois um consolo. Ela adora!!!! . Concordei e disse: Ta bem, mas se doer muito você pára. Fiquei de quatro e senti um liquido gelado escorrendo na direção do meu cu, papai pegou e começou a lambuzar meu cuzinho, ponteou o dedo e passou a enfiar um pouquinho e tirava, perguntava se estava doendo muito, eu respondia que não, aos poucos eu estava com o dedo inteiro dentro do cuzinho, ele iniciou um vai-e-vem e mandou eu tocar uma siriríca, a sensação deliciosa tomou conta dos meus buraquinho, ficamos assim durante uns minutos, não agüentando mais de tanto tesão, pedi para ele: Encosta o pau no anelzinho, enfia no meu cuzinho . Ele lambuzou o pau de gel e veio por trás, pediu que eu levantasse mais a bundinha e me ajeitou na cama de uma forma que meu cuzinho ficasse bem na mira do pau, pedi: Mete, mete no meu cuzinho papai . Senti uma forte pressão daquela cabeçorra na entrada do meu anelzinho, aos poucos fui sentindo o pau forçando passagem no meu cuzinho, ele disse: Vou empurrar agora. com a pressão a cabeça entrou, tentei ir pra frente com a dor, tentei fugir, mas ele me segurou pela cintura empurrou mais um pouco, e ele falava: Relaxa esse CU que agora já foi quase tudo, e não tem mais jeito, de um jeito ou de outro, vou estourar esse CU quente e apertado . Coloquei a mão por baixo e fui até meu cu, senti que não tinha entrado nem a metade só tinha entrado um pouquinho além da cabeça, eu fui tentando sair de baixo dele, mas ele percebeu e enquanto forçava o quadril pra frente me puxou de encontro ao caralho dele, soltei um puta de um berro de dor e comecei a chorar, ele sem pena de mim, foi deitando sobre meu corpo, com o peso eu mal podia me mexer e ele enfiou o que ainda faltava entrar dentro do meu cuzinho. Doía enormemente, meu cu ardia demais, queimava como se tivesse pimenta com aquela rola inteira dentro dele e estava latejando sem parar, ele foi me beijando a nuca e me virando na cama, até ficarmos de ladinho, e bem devagar, começou a meter e a tirar do cuzinho e dizia: Que cuzinho filha, papai não vai aguentar muito tempo, vai encher esse seu CU de porra! Papai ta comendo o CU da filhinha putinha. Toma engolidora de pica, toma no cú putinha, vou arrobar esse CU, vou soltar todas as preguinhas e quero comer esse CU todos os dias. Ele metia cada vez mais, com mais força e mais acelerado, ate que deu uma parada com a rola no fundo do meu RABO, depois puxou, mas sem tirar a cabeçorra do caralho de dentro do meu CU, depois meteu com tanta força que berrei e chorei mais ainda, então senti aquela pica aumentando de tamanho e grossura, senti a cabeça e todo o pau latejar e um rio de porra invadindo meu cuzinho, que agora era um CUZÃO ARROMBADO. Aquele caralho não cansava ou parava jogar porra, meu CUZÃO ardia, queimava doía, mas tava tomando leitinho também. Papai retirou o pau todo lambuzado de sangue e muita porra, caiu pro lado e adormeceu. Passei o fim de semana levando piroca na boca, pau na xotinha e caralho no fundo do cu. ADOREI e quero muito mais.
Estávamos empatados por enquanto, mas agora, toda a vez meu papaizinho quer comer o meu anelzinho com o caralho dele, eu ganho outros presentinhos. E assim somos felizes.