Não resisti…meu filho me comeu!



Click to Download this video!

Quando completei 16 tive meu filho Carlos.
Minha família era composta de meu pai, mamãe e mais duas irmãs e morávamos em um sitio perto da cidade.
Por ter muita pouca informação sexual engravidei nas minhas primeiras relações que tive com um homem que havia vindo trabalhar na região instalando postes de luz na região rural.
Era uma garota muito inocente, mas tinha um fogo intenso entre as coxas e facilmente perdi a virgindade com o pai do meu filho, só que aconteceu o pior pra mim. Quando descobri que havia engravidado, ele já tinha ido embora da região, como também nem trabalhava mais na empresa para a qual tinha vindo fazer o serviço ali. Resumindo acabei ficando com um filho na barriga e por meu pai ter uma formação muito rígida, minha vida se tornou um inferno. Apanhei varias vezes dele, tive que parar os estudos e mamãe ao ver meu sofrimento quando completei 18 anos, aconselhou-me que deixasse meu filho com eles no sitio e fosse tentar a vida em uma cidade maior porque a perspectiva era muito ruim.
Apesar de ter que abandonar meu filho com meus pais, decidi que realmente não havia outra solução para tentar fazer com minha vida pudesse melhorar e fui embora para a capital. O pouco dinheiro que tinha e mais algum que minha mãe conseguira para me ajudar era suficiente apenas pra alugar um quarto em uma pensão durante um mês enquanto procurasse um emprego.
Quando cheguei à pensão onde fiquei havia uma moça que trabalhava de diarista e logo fizemos amizade e ela viu que eu era uma pessoa que não tinha medo de serviço e me chamou pra trabalharmos juntas. Ela já tinha vários apartamentos em que trabalhava e depois de me ensinar como tinha que ser feito aquele serviço, passamos a tralhar em parceria.
O dinheiro não era muito, mas já era o suficiente para que depois de uns meses pudéssemos alugar uma quitinete pra nós duas.
Éramos muito econômicas e rapidamente conseguimos comprar as coisas que precisávamos pra ter nossa quitinete toda arrumadinha e com muito conforto.
Minha vida sexual praticamente deixou de existir, mais por medo das conseqüências, pois na verdade eu nem sabia direito o que fazer pra me cuidar. Mas tesão tinha até demais, não podia ver um filme mais picante na TV que já ficava com a bucetinha piscando.
Minha companheira Julia era também uma mulher muito fogosa, solteira, mas sem filhos, e logo me ensinou tudo sobre métodos de prevenção de filhos, doenças e tudo mais.
Ela uma mulher muito bonita de 23 anos e de mente bem aberta, muito safada, porque não ficava apenas com um homem, tinha pelo menos uns 3 com quem saia regularmente. Ela comentava que gostava de variar…cada um era melhor que o outro.
Logo ela começou a me incentivar a arrumar um macho bem gostoso…pra me comer. Ela brincava dizendo que isso era muito bom para deixar a pele mais bonita e a mente mais leve.
Eu tinha cabelos negros compridos, pele bem branca, seios médios que apesar de ter amamentado meu filho não eram caídos e o que era mais bonito era minha bunda grande e redondinha que chamava a atenção por onde passava. Julia dizia que tinha inveja “boa” da minha bunda e comentava que se ela fosse homem minha bundinha não iria escapar…ia me comer toda dia, de tão gostosa que era.
Acabei saindo com uns rapazes…mas eram muito “fraquinhos”. Gozavam muito rápido ou não sabiam fazer carinho como gostava e quando comentava com Julia ela dizia que eu não levava sorte com os machos que arrumava, e que os dela eram ótimos que qualquer dia ela iria me emprestar um pra me comer gostoso.
Era ótimo conviver com ela, sempre alegre e espirituosa…principalmente quando comprávamos umas garrafas de vinho e bebíamos nas nossas noites de folga, rolava besteira da grossa.
E foi em um fim de semana chuvoso, não dava para sairmos e estávamos em nossa quitinete já na segunda garrafa de vinho, bem alegres pela bebida, quando bateram na porta, e ao abri-la vi um homem negro alto, forte, bem vestido, com um sorriso lindo procurando por Julia.
Mandei-o entrar dizendo que ela estava no banheiro, nem me preocupei em avisar Julia que tinha gente na quitinete.
Quando ela saiu apenas de calcinha do banheiro dizendo que tinha tirado a calça jeans que usava por estar apertando, deu de cara com a visita e deu um grito e pulou no pescoço daquele homem e beijou-o na boca com ardor.
Eu fiquei olhando aquele beijo cheio de paixão, ele a levantava no ar segurando a bunda dela com aquelas mãos grandes, a safada nem se importou comigo ali, e só depois de alguns minutos de abraços ela disse:
-que legal vc aparecer Moacir! Faz tempo hein…que saudades! Ops…fiquei tão contente de te rever que esquecei de apresentar minha amiga e companheira Janete…dividimos a quitinete!
Ele pegou na minha mão e me dando beijinhos no rosto disse:
-que mulher linda…a sua amiga Julia…o ape é pequeno pra tanta beleza junta!
Julia então brincou dizendo:
-Janete…este negão lindo é muito safado…tem uma lábia…tem que tomar cuidado…deixa todas as mulheres apaixonadas por ele…mas é um cara legal demais…em tudo!
Caímos no riso e logo estávamos tomando vinho juntos.
Julia nem se preocupou e ficou de calcinha mesmo abraçando e dando uns beijinhos rápidos nele dizendo que Moacir já a conhecia bem, tanto por fora como por dentro. Ele contou que tinha ido trabalhar durante um ano no Nordeste e resolveu voltar pois havia conseguido um emprego pra ganhar bem mais além de estar sentindo falta dos amigos, principalmente das mulheres.
Eu sabia que Julia era bem putinha e quando Moacir pediu pra ir ao banheiro…ela disse uma coisa surpreendente:
-Janete minha amiga…não assusta não….fica na tua…mas quando Moacir sair do banheiro…vou dar pra ele…este negão é uma delicia…ele ta sem carro…e com esta chuva…não vou sair daqui…faz 3 dias que não transo com ninguém…vou deixar vc assistir…ele tem um pauzão super gostoso….hj vai ter filme ao vivo…rss.
-vc é doida Julia…eu sei que vc uma putinha tarada…mas vc não tem vergonha…e o cara…o que vai…pensar…acho melhor eu sair então!
-deixa de ser boba…vai pra onde…com esta chuva…vc vai gostar de assistir! Vergonha eu? Com tesão não to nem ai minha amiga! Relaxa que vc vai adorar!!
Ele saiu do banheiro e não deu pra continuar a conversa com a maluquinha da minha amiga, e como fiquei sem saber o que fazer resolvi tomar um banho demorado, quem sabe quando eu saísse já tivesse terminado o “namoro” dos dois.
Ledo engano. Quando sai encontrei o casal em cima da cama. Ele ainda de sunga mas a putinha da minha amiga já estava nua e se beijavam ardentemente. Só a luz de um abajur iluminava o quarto.
Eu poderia ter colocado novamente minha roupa, mas sai do banheiro com apenas uma toalha enrolada no corpo e como tinha um pequeno sofá no canto, me sentei e liguei a TV com o som bem baixinho. Até tentei parecer que iria assistir alguma coisa, mas no fundo o que eu queria mesmo era ver a Julia e o Moacir se pegando. Logo fiquei com os olhos bem abertos vendo o que rolava na cama.
Acho que Julia queria que eu assistisse ela transar porque logo que sentei no sofá a safada foi tirando a sunga do negão e começou a chupar aquela pica enorme e grossa com vontade. Ele socava aquela vara na garganta dela fazendo-a dar umas engasgadas. Dali a pouco ela ficou de 4 na beira da cama e escutei ela dizer toda dengosa:
-Vem negão gostoso…lambe a bucetinha da sua cadelinha branca…vem seu cachorrão safado…chupa….minha buceta e meu cuzinho…vem!
Eu sempre soube que Julia era muito safadinha, mas com uns copos de vinhos a mais ela mostrava ser uma devassa.
Ele ajoelhou atrás dela e lambia e chupava com fervor aquela toda aquela buceta. Ela gemia como uma puta…e quando ele deu uns tapas bem fortes na bunda dela ela mais safada ainda sussurrou:
-Ai tarado…maldoso….vc tem uma mão muito pesada….não bate…assim…que eu gosto muito….seu cachorro safado…gostoso!
-Rebola na minha língua puta branquela…vou fazer esta buceta gozar gostoso….goza na minha língua….puta safada…vadia!
Mais alguns tapas fortes estalavam na bunda branca de Julia que já gritava de prazer…ela gozava na língua daquele negão safado….seu corpo tremia igual vara verde…igual ao meu. Meus dedos ágeis esfregavam meu grelinho numa siririca deliciosa…gozei quase junto com minha amiga. Que delicia assistir aquilo. Ela continuava de quatro na beira da cama e ele ficou de pé atrás dela com aquela pica negra enorme, e sem dó enfiou de uma vez na buceta dela que gemeu forte dizendo:
-Ai…seu cavalo…vai arregaçar minha buceta….tarado…safado….devagar…ahhh!
Ele demonstrava que sabia como tratar minha amiga vadia e dizia:
-Deixa de ser fresca…só porque tá dando a buceta na frente da tua amiga…vc gosta de levar vara com força….rebola sua vagabunda…rebola na pica do negão aqui….vc gosta de vara negra….vadia…puta….gostosa….toma…vou meter do jeito que vc gosta….vagabunda gostosa…com força!
Ele metia como uma garanhão e os tapas na bunda branca dela se sucediam com força…ela parecia ligada no 220 volts rebolava sem parar naquele pau negro duro como aço….meus dedos dedilhavam meu grelinho todo durinho…minha buceta tava toda melada…minha pernas estavam abertas no sofá…a toalha que cobria meu corpo já tinha escorregado do lado…a TV eu já tinha desligado fazia tempo…concentrava-me em ver os dois metendo com vontade. Já estava sentindo uma vontade incontrolável de estar no lugar da minha amiga vadia com aquele negão pintudo engatado por trás…metendo sem dó…e aquela vadia deu um grito forte parecendo que estava tendo orgasmos múltiplos…e aquele safado continuava a meter…sem gozar… controlando o tesão dizendo todo macho:
-goza vagabunda…gostosa…goza gostoso no pau do teu macho….goza….isso assim…que bucetinha molhada…que bucetinha gostosa…rebola!
Ela se deitou toda largada na cama…satisfeita….tinha levado uma surra de pica negra…e descansava…pra se recuperar. Ele estava com o pau ainda completamente duro e agora olhava pra mim sentada de pernas abertas, toda nua naquele pequeno sofácom uma mão em cima da bucetinha melada. Ele deu 4 passos, parou na minha frente com aquele vara grossa e sussurrou:
-chupa meu pau…bem gostoso…quero sentir tua boca…chupa…eu sei que vc quer…enfia na boca…seja minha putinha agora…vou fazer vc gozar gostoso…chupa…putinha!
Fiquei por alguns segundos divagando, mas logo ouvi a voz de Julia, chegando nua ao lado do Moacir sussurando toda safadinha:
-minha amiga…chupa este pau…é uma delicia…vc tá louca pra sentir ele na tua garganta…seja uma putinha bem obediente….vc vai gozar gostoso…vc tá precisando de um macho…de verdade…mama nesta vara…preta…é uma delicia.
A vadia da Julia percebendo que eu estava sem saber direito o que fazer…pegou minha nuca e empurrou minha cabeça de encontro aquela vara…meus lábios se entreabriram e senti aquela coisa deliciosa deslizar dentro da minha boca…ele enfiava até o talo…e eu mostrava que sabia o que fazer…engolia praticamente tudo…meus olhos lacrimejavam…mas aquilo ia fundo na minha garganta…e Julia ao lado dizia:
-Ahhh…que amiga chupadora de pau….eu tenho…a puta engole tudo…nossa…negão…não te falei que ela era uma vadia…deliciosa!
Todo tarado ele sussurrava cheio de tesão:
-que delicia….de boca….chupando meu pau….assim… não para…Janete…deliciosa…engole tudo…minha gostosa…engole…minha pica preta…
Minha amiga se sentou ao meu lado no sofá e continuou com a mão em minha nuca forçando que minha boca engolisse toda aquela vara grossa…eu adorava a sensação de sentir aquela pica no fundo da minha garganta. Chupava com vontade fazendo aquele negro safado se contorcer entre meus lábios.
Julia já não pressionava minha nuca com sua mão, não precisava mais. Eu controlava aquela pica na minha boca.
Então sentia que uma das mãos dela deslizava por minhas costas e a outra acariciava meus seios. A vadia estava me bolinando. Essa faceta de minha amiga putinha eu não conhecia, mas não era ruim as sensações que aqueles dedos delicados me proporcionavam e percebi que, se eles imaginavam que iriam me conduzir…eles estavam enganados…eu sabia muito bem o que me dava prazer, apesar de não muitas experiencias a minha intuição era forte.
Como ela estava bem ao meu lado…nossos rostos estavam praticamente colados…eu tirei o pau do negão da minha boca…e enfiei na boca dela. Ela chupou me olhando…tirei da boca dela e coloquei de volta na minha…o negão gemia forte…duas gostosas chupando a pica dele…uma de cada lado. Quando senti a mão da Julia alisando a minha bunda…dei uma levantada no meu rabo e logo senti os dedos dela se enfiando na minha bocetinha toda melada. Ai beijei-a com força sugando sua língua e sendo sugada com volúpia…ela gemia de prazer…e ai o negão não se agüentou mais…deu um berro alto e esguichou porra fervente entre nossos lábios…sugamos toda aquela porra…que escorria sem que conseguíssemos engolir tudo. Eu havia gozado nos dedos de Julia…eu havia descoberto que aquela putinha era doida de tesão por mim…fazia tempos que ela me desejava…e depois de um banho rápido…aquele negão meteu a vara negra na minha bucetinha como eu gostava, com força e sem parar e o mais delicioso…é que ele fazia isso com a putinha da Julia por baixo de mim…chupando meu grelinho. A sensação de uma pica grossa na buceta e a língua macia de uma putinha no meu grelinho era insuportavelmente maravilhosa.
Depois disso as coisas tomaram outro rumo em minha vida e na de Julia. Fizemos sexo a três muitas e muitas vezes. Foi uma experiência super deliciosa, e foi através de Moacir, que ele nos incentivou a partir para um ramo mais lucrativo e menos trabalhoso do que fazer faxina. Ele tinha um amigo que tinha uma agencia de acompanhantes de luxo…e como eu e Julia éramos bem liberais e os homens adoravam transar com duas mulheres logo unimos o útil ao agradável monetariamente.
Logo mudamos para um apartamento bem melhor e rapidamente juntamos um bom dinheiro e em menos de 2 anos já conseguimos comprar um bom apartamento para cada uma. De vez em quando eu mandava algum dinheiro pra minha mãe pra ajudar a cuidar de meu filho.
Passados alguns anos…meu pai teve uma doença grave e faleceu. Minha mãe, meu filho junto com minhas duas irmãs que se casaram, tiveram filhos continuavam a morar no sitio…e sobreviviam do que conseguiam ganhar com a lavoura e as frutas que vendiam.
Depois que papai morreu eu visitava meu filho de vez em quando….eu continuava juntando dinheiro e estava esperando ele terminar o colegial pra levar ele comigo pra capital, principalmente depois que tivesse parado de trabalhar naquele ramo.
E foi então que conheci um homem viúvo e com muito boa situação financeira que se apaixonou por mim e passamos a viver juntos e como ele era proprietário de 3 farmácias logo aprendi a trabalhar no ramo e consegui uma vida muito boa.
De vez em quando encontrava Julia que também havia se casado e relembrávamos nossas aventuras cheias de safadezas.
Quando completei 33 anos meu marido morreu em um acidente de carro e fiquei em uma situação financeira ótima.
Meu filho Carlos tinha completado 17 anos tinha terminado o colegial e resolvi trazê-lo pra morar e estudar na capital…não havia mais razão pra deixar que ficasse naquela cidade sem poder estudar e se formar…principalmente agora que eu tinha dinheiro pra pagar bons cursinhos e fazer uma boa faculdade.
Agora eu era uma mulher muito mais bonita e desejável, e antes de viajar pra buscar meu filho aproveitei pra fazer um implante de silicone deixando meus seios maravilhosos. Como tinha a bunda enorme fiquei muito mais “gostosa”. Como também não gostava do excesso de pele nos lábios da vagina resolvi deixá-la “lindinha” igual quando tinha meus 15 anos. O mais difícil seria agüentar o período de abstinência sexual que o médico havia recomendado. Porem como meu filho estava chegando para morar comigo seria até bom pra que tivéssemos tempo de nos curtir e ao mesmo tempo se conhecer melhor. Afinal durante vários anos nosso relacionamento quase não existiucomo mãe e filho.
Como tinha um bom gerente e muito honesto que cuidava bem das minhas farmácias tirei 3 meses de ‘férias’ pra poder cuidar bem do meu “menino” e poder repousar bem das minhas cirurgias plasticas.
Carlos era um rapaz bem quieto pra idade dele, normalmente os adolescentes são mais ativos, mas no começo achei que ele estava estranhando a mudança brusca que havia acontecido na vida dele, de uma vida pacata no sitio pra uma vida bem agitada na cidade e procurei deixá-lo bem à vontade, conversando numa boa sem impor nada, deixando que devagar ele conseguisse se soltar.
Ele era um rapaz magro alto de sorriso bonito, muito inexperiente e achei melhor alertá-lo sobre os perigos da cidade grande, tipo drogas, doenças sexuais e gravidez indesejáveis.
Eu com apenas 33 anos linda e toda gostosa não gostaria de me tornar avó de jeito nenhum. Rss.
Após uma semana de sua chega já estávamos mais entrosados e então fomos juntos a um shopping pra comprar roupas para meu filhão porque o que ele havia trazido não tinha nada a ver com a nova realidade que estava vivendo.
Compramos de tudo para deixá-lo bem bonito…ele ficou todo feliz…principalmente por causa das vendedoras lindas que ficaram elogiando-o e quando fomos tomar um lanche depois das compras, brinquei dizendo que não ia o deixar ir sozinho naquela loja porque as vendedoras tinham cara de “taradas”, era perigoso que quisessem agarrá-lo dentro do provador. Todo sorridente ele disse que então eu devia deixá-lo voltar na loja…ele iria gostar. Rss.
Safadinho ele…já estava colocando as manguinhas de fora. Por instantes fiquei imaginando o quanto ele se parecia comigo. Ai não ia prestar.
Como ele estava bem alegre resolvi continuar a conversa tentando saber a respeito de sua vida sexual e então senti que já estava confiando em mim porque acabou me confessando “constrangido” que ainda era virgem. Já beijara algumas garotas na escola e até teve três dela que tentou transar, mas elas desistiram quando viram o “negócio” dele duro.
Cai na gargalhada dizendo que ele não tinha “um negócio”, ele tinha um pênis, ou pinto, ou pica ou vara….tinha vários adjetivos…mas chamá-lo de negócio era muito feio. Rss. Lógico que quis saber detalhes da recusa das garotas…e ele disse que elas comentarem que era muito grande e largaram o coitadinho na mão.
Nossa conversa continuava bem aberta e comentei que o pinto do pai dele era de um tamanho normal e brinquei dizendo talvez ele tivesse puxado a mim. Ele ficou intrigado e expliquei que quando coloquei o silicone nos seios aproveitei pra tirar o excesso de pele que eu tinha na vagina…só que dei uma gargalhada dizendo que o que fiz podia ser feito, mas com o pintão dele não tinha o que fazer, cortar um pedaço não podia. rss.
Rimos bastante daquelas palhaçadas que eu havia dito…mas logo o confortei dizendo que logo ele iria conseguir várias mulheres que iriam adorar o pintão dele…e até brinquei que tinha uma amiga (Julia) que se não estivesse viajando iria gostar muito se resolver o problemão dele.
Sem querer brinquei dizendo que qualquer dia gostaria de ver seu pintão, pra saber se era tão grande assim. Eu tinha ficado curiosa. Rss.
Durante vários dias eu e meu filho saiamos juntos constantemente…fazendo compras, indo ao cinema e nos divertindo muito.
Foi então que, ao voltar pra casa depois de ter ido ao cirurgião plástico para uma visita de rotina pós-operatória. Tudo estava perfeito e logo poderia voltar a fazer de tudo, principalmente tomar sol, adorava ficar bem bronzeada, e com meus novos seios enormes, eu iria ficar muito mais gostosa…iria deixar os homens mais loucos por mim…só de pensar nestas coisas e me sentindo maravilhosa minha bucetinha já dava sinais que necessitava urgente de pica.
Tomei um banho rápido e coloquei um vestidinho bem leve curtinho por causa do calor.
Lembrei-me que não tinha visto meu filho depois que cheguei do médico e fui ver onde ele estava e ao abrir a porta de seu quarto escutei a água do chuveiro…o garoto estava no banho…em segundos me veio a cabeça o problema “grandão” dele.
Como a porta do banheiro estava entreaberta fui dar uma “olhada”. Levei um susto…realmente o pau de meu filho era enorme…cabeçudo, grosso e comprido, ele se masturbava violentamente e em segundos começou a gozar jatos fortes de porra que escorriam pelo vidro. Carlos gemia forte…e para não constrangê-lo sai devagar do quarto, não deixando que percebesse que o tinha visto se masturbando.
Quando entrei no meu quarto levei minha mão entre minhas coxas e ao passar os dedos na minha bucetinha senti-a completamente molhada. Deitei-me na cama e bati uma siririca deliciosa…gozei que nem louca…com a imagem daquela pica gigante de meu filho em minha mente.
Aquilo que aconteceu fez com que alguma coisa despertasse em meu corpo um desejo proibido mas incontrolável…eu desejava pegar, sentir aquela pica maravilhosa em toda sua plenitude…era loucura…mas desejei ser a primeira mulher de meu filho…e certamente iria fazer com que aquilo acontecesse.
O medico havia recomendado que ficasse ainda 15 dias sem transar, mas a sedução de meu filho se iniciaria quase que imediatamente…
Ter me masturbado ao invés de me acalmar, acabou incendiando meu corpo, a puta que estava um pouco adormecida voltou com força total.
Desejava fazer com que meu filho começasse a sentir tesão por mim…e então…imaginei um plano bobinho, mas que com certeza iria funcionar…coloquei um roupão de banho por cima de meu corpo completamente nu e fui procurá-lo em seu quarto e ao vê-lo abracei-o e beijei-o no rosto toda carinhosa dizendo:
-humm…que cheiro de homem gostoso…meu gato lindo acabou de tomar banho…é?
Ele todo sorridente disse:
-Oie…sim…e ai…vc ficou quase todo dia fora de casa…tudo bem lá no médico? Eu já tava um pouquinho preocupado.
-Sim…tudo tranqüilo…esta tudo ótimo…eu só queria pedir um favorzinho do meu filhinho lindo cheiroso e gostoso…
-Claro que sim…tudo que vc pedir…vc tá fazendo tanta coisa… por mim.
-Sabe o que é meu querido…por causa da operação fiquei com a pele manchada e muito seca principalmente porque não posso tomar sol…e hj quando reclamei pro médico ele me deu óleo pra passar no corpo todo durante uma semana…só que não queria pedir pra nenhuma pessoa estranha passar isso no meu corpo. Eu tenho que ficar peladinha…e tenho vergonha (rss)…então pensei que meu filhão lindo pudesse me ajudar…vc poderia fazer isso…meu anjo? Quero ficar linda e maravilhosa!
-Bem…bem…sim…vc tem que ficar pelada…mãe…vc…não tem vergonha…de mim?
-Deixa de ser bobo…meu anjo…vergonha do meu filho… de jeito nenhum! Teria vergonha se tivesse que mostrar meu corpo pra algum desconhecido (rss), vai me ajudar…ou vou ter que pedir outra pessoa?
-Sim…mãe….claro que sim! É que fiquei um pouco sem jeito…lógico que faço…é só vc me ensinar do jeito que vc quer!
Tudo se desenrolou do jeito que eu queria e desejava…sentia minha bucetinha já úmida antevendo o iria rolar e então dei um abraço forte e apertado no meu garotão e falei toda dengosa:
-Que filho maravilhoso…eu sabia que vc iria ajudar a mamãe…então faça assim querido: tira este short que voce tá vestindo pra não sujar de óleo e va lá pro meu quarto…to te esperando.
Fui pro meu quarto e peguei um vidro grande de óleo de amêndoa…porque além de fazer bem pra pele mesmo…era quentinho e bem cheiroso.
Em instantes ele entrou no quarto com uma toalha de banho enrolada no corpo. Que rapaz prestativo. Rss….eu brinquei com ele dizendo:
-nem precisava ficar de toalha meu querido…se quiser pode tirar tá…eu também vou ter que ficar sem roupa….ninguém vai ver a gente! Pegue o vidro de óleo que está em cima da cama…é o que vc vai passar em mim.
Ele ficou em pé sem responder nada…só me olhando…eu ainda de roupão…como o meu quarto era bem espaçoso…em um canto tinha um sofá e também uma namoradeira grande toda florida…era ali onde iria seduzir meu filho pauzudo. Estendi uma toalha em cima e de costas deixei que meu roupão deslizasse para o chão ficando completamente nua…minha bunda grande e redonda ficou diante dos olhos de meu garoto.
Sentei-me e chamei-o dizendo:
-vem meu anjo…vem passar o óleo…por favor….comece pelas minhas costas…passe em círculos…bem devagar…tá…meu querido!
Ele se sentou atrás de mim e muito timidamente começou a passar o óleo em minhas costas…mas logo deslizava gostosamente até perto de minha bunda e então eu disse toda dengosa:
-espera um pouquinho meu anjo…vou me deitar pra vc passar nas minhas pernas e nas coxas…tuas mãos são deliciosas…continua assim.
Eu evitava olhar pra ele, pra não quebrar o clima…e ao me deitar coloquei uma pequena almofada debaixo de meu ventre…minha bunda ficou mais alta…com certeza ele já não olhava pra mim só como a mãe dele…e eu também já deixava que meu lado “puta” aflorasse de vez e disse:
-passa nas coxas…no meu bumbum…passa em tudo…não tenha vergonha…passa bem gostoso…
Ele se ajoelhou no tapete ainda com a tolha no corpo…e colocou a mão esquerda nas minhas costas e com a mão direita deslizava nas minhas pernas e logo eu sentia aqueles dedos subindo pelas minhas coxas…e quando chegava às nádegas instintivamente apertava com um pouco mais de força…e com minha voz bem safada instigava meu filhão:
-hum…que delicia….assim mesmo…faz massagem no meu bumbum…eu gosto…aperta…sem machucar querido…faz com as duas mãos…passa no corpo todo…acho que vou querer que vc faça isso sempre…que gostoso…não para…só quando eu mandar…tá?
As mãos percorriam todo meu corpo com vontade…de vez em quando sentia que os dedos quase encostarem na minha bucetinha completamente molhada de tesão…ele evitava tocar.
Saber que eu não podia transar por recomendações médicas…deixavam-me mais tarada ainda…e então resolvi fazer a coisa ficar mais sensual e disse dengosa:
-Meu querido…espera um pouquinho…vou virar de frente. Mas e ai…tá gostando de fazer massagem na mamãe?
Eu fui me virando lentamente, coloquei a almofada na minha nuca…e me mostrei de frente…seios enormes…uma bucetinha toda exposta e ele com a voz um pouco embargada disse:
-é…é…é….bom..muito gostoso…vc é muito bonita…to…to…gostando sim…muito…
-Então tá meu anjo…que bom…também to adorando sentir suas mãos massageando a mamãe…vc tem mãos divinas…quando vc tiver namoradas…faça assim nelas…elas vão adorar…agora continua…faz bem gostoso…pode passar em tudo na mamãe…não tenha receio! Se quiser tira tua toalha…eu aproveito e passo um pouco de óleo em vc…enquanto vc passa em mim…tua pele vai ficar mais bonita também!
Ele nem falou nada…e enchendo as mãos de óleo deixou que as mãos deslizassem agora de frente…ele alisava meus seios com muito carinho… os mamilos estavam durinhos…a mão deslizava pela minha barriga e pelas minhas coxas…ele olhava com volúpia pra todo meu corpo e quando seus dedos tocaram timidamente minha bucetinha escancarei meu tesão dizendo :
-Isso…ai mesmo…quero que faça massagem ai…bem gostoso…passa os dedos….passa com carinho!
Eu afastei minhas coxas e senti os dedos deslizarem por entre os lábios de minha bucetinha…e gemi com tesão…dizendo:
-Isso…que delicia…continua…assim…não para….alisa meus seios…também…só para quando eu mandar…querido!
Comecei a rebolar nos dedos dele enterrados na minha bucetinha toda melada…e levei minha mão procurando tocá-lo…a toalha já não estava em seu corpo….e instintivamente ele chegou mais perto e minha mão pegou naquela pica imensa dura como aço…peguei com vontade e comecei a deslizar minha mão naquela vara magnífica e totalmente tomada pelo tesão sussurrei:
-nossa que pau grosso…meu filhão tem…não para….continua esfregando a bucetinha da mamãe….não para…que pau gostoso….tá assim por minha causa…é…que delicia….não para…faz a mamãe gozar com seus dedos…faz….gostoso…goza na mão da mamãe….goza….meu pauzudo!
Ele deu um gemido forte e senti aquela vara inchar mais ainda e começar a esguichar porra sem parar…nem parecia que tinha gozado no banho há uma hora atrás…gemi alto também…dei um gritinho de puta safada e meu corpo tremulou todo…fazia mais de dois meses que eu não transava…meu corpo parecia que levava choques sem parar.
Sentei-me e abracei o meu garoto enfiando seu rosto entre meus seios…ficamos assim durante vários minutos….e depois de recuperado das emoções…eu disse toda carinhosa:
-Vai…meu anjo…vai tomar um banho…foi uma delicia…não se preocupe com nada…mamãe adorou…amanhã…vou querer de novo.
Ele saiu meio tonto com o acontecido…eu fui tomar um banho também bem refrescante…tinha sido maravilhoso.
Realmente começava a duvidar que conseguisse esperar mais 15 dias pra transar…quando lembrava o calor daquele pauzão em minha mão ansiava que ele estivesse enterrado por completo dentro da minha bucetinha quase virgem.
Naquela noite saímos pra comer lanches no shopping e como se tivéssemos combinado, não tocamos no assunto a respeito do que tinha acontecido…mas parecia que nada havia mudado…disso eu tinha certeza absoluta.
No outro dia a tardezinha, após meu banho, Carlos meu filhinho querido bateu na porta do quarto apenas com uma toalha enrolada no corpo com um volume enorme na frente e com uma carinha de safado disse:
-Eu…eu…ontem vc falou….que hj vc ia querer …que eu passasse óleo em vc outra vez…eu…eu…vim ver se vc vai querer mesmo!
Eu só na ri da carinha de safado dele, porque poderia deixá-lo chateado…e então disse toda dengosa:
-Claro que vou querer…meu anjo…entra e senta…vou pegar o óleo! Promete que vc vai fazer tudo que a mamãe mandar?
-sim…eu faço…sim…é só pedir!
-tira a toalha…hj não precisa não é mesmo? Vc não tem mais vergonha…não é meu querido?
Ele ficou nu em segundos…aquela pica majestosa já estava quase dura…e enquanto tirava meu vestidinho ficando nua brinquei dizendo:
-nossa…filhinho…tudo isso é vontade de passar óleo na mamãe?
-é…sim….é….eu…eu gostei muito…quero…muito…de novo…
Agora não tinha mais o que esconder…o tesão estava à flor da pele…e então disse bem putinha:
-Hoje…vai ser um pouco diferente…deita na cama que mamãe vai te ensinar umas coisas bem gostosas e diferentes…quer aprender ?
-Sim…quero…tudo….quero sim…tudo que vc quiser mamãe.
Ele deitou de costas na cama com aquela pica descomunal apontando pro teto…o meu desejo era sentar nela e sentir aquele monstro entrar rasgando na minha bucetinha…quase virgem…depois da operação…mas teria que esperar….ainda…e então encaixei minha bucetinha na cara do meu filho safado e disse:
-lambe minha bucetinha…meu filhinho safado…lambe gostoso…vamos fazer um 69 delicioso….vou chupar seu pauzão…bem gostoso!
Ele não sabia o que fazer direito ainda….mas demonstrava que iria aprender rápido…lambia e chupava meu grelinho. Comecei a chupar aquele pau grosso e cabeçudo…eu sabia chupar uma pica….mas aquela só conseguia enfiar metade na minha boca….dei umas chupadas nele…e o safadinho encheu minha boca de porra fervente…também gozei deliciosamente rebolando na língua daquele garoto pauzudo.
Passamos uma água no corpo e voltamos pra cama…e logo aquela pica estava dura de novo….ficamos de conchinha e aquela pica deslizava entre minhas coxas e a segurava apertando contra minha bucetinha que melava rapidamente. Desejava que aquela pica estivesse dentro dela…aquele garoto me puxava pelos quadris metendo entre minhas coxas…como tivesse metendo de verdade…e então…pra tentar acalmar um pouquinho meu tesão…coloquei a ponta daquele pauzão na porta do meu cuzinho…apesar de gostar e ter feito sexo anal muitas vezes não teria como aquilo entrar no meu rabo…eu segurava ali desejando que ele gozasse ali…mas o tesão que ele sentia era demais e me contagiava também…e como eu estava toda melada…aquela cabeça enorme do pau…de vez em quando dava uma entradinha no cuzinho que laceava desejando um pouco mais.
Quando me dei conta…senti meu cuzinho sendo invadido por aquela cabeça enorme…dei um gritinho…em vez de fazer com que meu filhinho parasse com os movimentos de corpo…ele me segurou forte não deixando que eu fugisse e começou a gozar dentro do meu cuzinho…ele me inundou de porra quente…aquilo fez com que facilitasse a penetração e logo eu estava com mais da metade daquela vara descomunal no meu rabo…ele metia no meu cuzinho…gemendo e gozando….nem percebi que já rebolava naquela vara grossa gozando como uma louca. Eu sentia dor…mas me dava um prazer indescritível…eu gozava pelo cu…com meu filho…aquela pica foi amolecendo e escapou do meu cuzinho…a porra escorria pela popa da minha banda.
Ficamos deitados nos recuperando daquelas emoções…e após o banho fomos jantar…minha bundinha toda dolorida…nem pude me sentar direito no outro dia…mas…o safado gozava todo dia na minha boca…e chupava minha buceta….aprendia tudo muito rápido…e quando menos esperava eu estava dando o rabo de novo pro meu filhinho e desta vez ele me comeu de verdade…senti tudo aquilo enterrado no meu cuzinho…gozando de uma maneira que nem pensei que pudesse existir…adorava ser penetrada por aquela pica gigante…nunca tinha gozado com tanta intensidade.
E logo que o médico liberou…dei a buceta pra meu filho pauzudo…sentindo-me desvirginada pela segunda vez…e o que me fazia gozar cada vez mais gostoso….tanto pelo cuzinho quanto pela buceta era que meu filhinho tinha uma coisa que eu adorava…ele gozava como um cavalo, parecia que tinha litros de porra no saco…sentia-me lavada por dentro…o calor daquela porra me inundando me fazia ter orgasmos múltiplos.
Meu filho se tornou meu macho…alias um macho adorável e insaciável.