Minha irmã e meu marido



Click to Download this video!

Conto de Mayara Nascimento
Desde criança Eu e Caroline minha irmã, sempre fomos muito ligadas como unha e carne. Desde que eu comecei a namorar o Mateus e ela o conheceu, os dois acabaram fazendo também uma amizade muito forte. Caroline era muito alegre, espontânea, prestativa, desapegada as coisas materiais, mão aberta mesmo, o que era dela era dos outros, muito dada com as pessoas e por isso tinha uma facilidade incrível de cativar a todos a sua volta. Ela com o Mateus parecia duas crianças brincando, um agarra, agarra, tapas, beliscões, empurrões, mas tudo na base da brincadeira, e muitas risadas. Casei com o Mateus e tempos depois ela também se casou, mas o tempo foi passando e ela começou a reclamar do marido, muito ausente, distante, e quase sempre na cama deixava ela na mão, a ver navios. Sempre que o marido viajava ela ia dormir na minha casa pois não gostava de ficar sozinha, precisava de companhia. Eu gostava quando ela estava na minha casa pois a casa ficava muito mais alegre, cheia de vida, além do que ela me ajudava muito. As brincadeiras com o meu marido sempre acontecia, e um dia naquele agarramento e risadas Mateus pegou ela por traz e ficou segurando, e ela tentando se soltar, mas ver ele encostado, colado na bunda dela e ela tentando sair forçava sua bunda contra o pau dele e aquilo acabou me enchendo de tesão. Quando os dois se soltaram e ela correu percebi um certo volume na bermuda do Mateus, ele se virou e tentou disfarçar pra eu não perceber, fingi que não tinha notado nada e continuei também rindo das brincadeiras deles. Depois que ele saiu pra rua falei pra Caroline: Esse agarra, agarra de vocês ta deixando o Mateus com tesão, ele ainda vai comer você, eu conheço meu marido. Caroline riu e perguntou: como você sabe que ele ta ficando com tesão? Depois que ele te agarrou por trás e ficou roçando na sua bunda enquanto você tentava se soltar deixou ele de pau duro, vai dizer pra mim que você não sentiu o volume dele na sua bunda, Ela sorriu de novo, é senti mesmo. Depois que ele te soltou eu vi o volume na bermuda dele, ele tentou disfarçar e eu fingi que não tinha notado nada. Ai Caroline perguntou? E se ele quisesse me comer? Você deixaria. Nessa hora correu um frio na minha espinha e eu engoli à seco, pensei logo nas reclamações dela contra o marido que sempre deixava ela a ver navios, provavelmente ela deveria estar numa secura só, e fiquei imaginando como aquela bucetinha deveria estar melada e sedenta por uma pica. E ela perguntou de novo, desta vez com um sorrisinho sacana na cara, Você deixaria? Com aquele sorriso, aquilo me soou mais como um pedido do que como uma pergunta. Olhei pra ela também com um sorriso e disse: Como você é minha irmã querida e eu te amo muito, acho que não teria nenhum problema, eu deixaria sim. Nisso minha irmã correi pra cima de mim, me abraçando, me beijando e eu vi algumas lágrimas escorrerem dos seus olhos e ela me disse; nossas brincadeiras nuca teve segundas intensões, e eu nunca imaginei trair você, mas não vou negar que eu morria de vontade de transar com o Mateus, e muitas vezes já imaginei ele me fodendo e eu gozava muito. Quando você falou que ele iria acabar me comendo, pensei comigo, era tudo o que eu queria, ter o Mateus me fodendo, dar pra ele minha buceta, meu cuzinho e tudo mais que ele quisesse comer, ainda mais que eu estou numa secura louca, então resolvi perguntar se ele quisesse me comer se você deixaria. Mas e agora o que devo fazer? Nada, continua agindo normal com as mesmas brincadeiras e a hora que ele te agarrar como hoje, não tenta escapar, quando sentir o pau dele duro em sua bunda aproveita o momento, curte, faz um charminho e depois o beija como uma verdadeira namorada sedenta de desejo, enfia a mão na bermuda dele e tira o pau dele pra fora e chupa, mostra como ele ta te deixando louca de tesão, tira a roupa e fode com ele ai mesmo, eu vou incentivar, dizer que você ta com vontade de dar de levar pica e vou mandar ele foder sua buceta, ele não vai resistir, e vai te comer do jeito que você quer. Só de imaginar meu marido comendo minha irmã na minha frente e de ter dito a ela o que fazer fiquei com minha bucetinha molhada, não teve jeito acabei indo pro banheiro tomar uma ducha e me masturbar pra aliviar meu tesão. No outro dia logo após o café da manhã, já estavam os dois naquele agarramento até que Mateus agarrou ela por traz e segurou forte, ela fingia tentar sair e depois ficou quieta, virou o rosto e o beijou, enfiou a mão na bermuda e tirou o pau dele pra fora e ele tentando resistir já que eu estava presente, mas a Caroline segurou firme naquela rola dura e abocanhou já se ajoelhando no chão. Mateus ficou sem ação, me olhando e todo vermelho, talvez pensando na minha reação de esposa, talvez imaginando que eu fosse rodar a baiana e fazer o maior escândalo, mas pra quebrar aquela preocupação dele, falei: Minha irmã ta precisando de vara Mateus, fode logo a buceta dela, aquilo foi um alívio pra ele e pra ajudar cheguei mais perto e comecei a tirar a roupa da Caroline, e ele também foi tirando a sua. Enquanto ela continuava mamando na sua pica ele foi puxando ela pra sala e deitando no tapete, foi beijando a boca dela com volúpia e introduzindo sua vara naquela bucetinha peluda e sedenta por de pica e de muita porra. Mateus metia com forca e com estocadas fortes enquanto minha irmã gemia na vara dele e me pedia: Vem mana vem deixa eu chupar sua buceta, eu não sabia que Caroline curtia uma bucetinha mas eu também não pensei duas vezes, tirei minha roupa e sentei na cara dela sentindo sua língua quentinha na minha gruta do prazer. Ah que delicia sentir outra mulher chupando minha buceta enquanto meu marido fodia a buceta dela. Ahhf, Ahhf, gostoso, demais, Mateus, demais! Ahhf, Ahhf, que rola grossa, entrou apertado! Uuuh, Uuuh, mana que, buceta gostosa você tem! Mateus não conseguia segurar mais o seu gozo, e eu também sentia meu orgasmo se aproximando!!! AHHH Vou gozar! Vou encher essa bucetinha gostosa de porra! Ahhf, Caroline, ahhf, uuuuh, gostosa, Caroline, gostosa! Uuuuuh!
E o meu orgasmo veio. Intenso e arrebatador. Provocando inúmeros espasmos. Caroline também gozou gostoso na pica do meu marido. Um orgasmo igual ao primeiro da sua vida, como ela mesma disse, diferente com sua bucetinha piscando, formigando de forma incontrolável como se tivesse anestesiada. Nós três gozamos e o gozo de cada um foi tão intenso por ser o primeiro naquela situação, uma transa a três sem ninguém se sentir traído, foi tudo consentido. Agora sempre que a Caroline vem a minha casa transamos os três juntos, já pedimos pra ela se separar já que o marido dela parece que come fora, por isso deixa ela sempre a ver navios. Já estamos combinando pra formarmos uma só família, Mateus passou a ser chamado de nosso marido e pretendemos engravidar juntas, do mesmo homem, do nosso homem, do nosso marido. Mayara Nascimento