Virgem Trepando com a Filha do Caseiro



Click to Download this video!

Sou Jefferson Sales, e vim hoje contar uma coisa que aconteceu comigo quando eu tinha 14 anos. Fui criado em uma família toda certinha, eu minha mãe, meu pai e meu irmão de 9 anos iamos sempre a igreja, eramos bons com os vizinhos, e meu pai por sinal conseguiu se dar bem na empresa que ele trabalhava por ter um espirito honesto e trabalhador. Eu sempre fui um garoto tímido, até hoje em dia sou muito tímido, e fico encabulado com quase tudo. Meu pai comprou com muito esforço um Sitio para passarmos o final de semana, minha mãe adorava pois no sítio ela lembrava da terra natal dela, e também gostava do friozinho que fazia quando o sol se punha, e o vento batendo nas folhas das árvores e fazia aquele barulho. Iamos quase todos os finais de semana para o sítio, pois no sábado tinha missa ás 7 da noite e no domindo tinha um café na manhã na igreja, e minha mãe sempre fazia pães caseiros para levar. É exatamente por essa consequênte ida ao sítio que me aconteceu isso.
Meu pai sempre foi muito bondoso e generoso, quem arrumou o emprego na empresa que ele estava trabalhando foi um tio meu, bom na verdade ele não era bem meu tio, ele era um irmão de considerasão do meu pai, que minha avó pegou para criar quando era menino ainda, mas meu pai chamava ele de irmão. Esse meu tio tinha 2 filhos Iago e Thiago, e o jeito de vida deles era completamente diferente do meu e do meus pais, os garotos eram boca-suja, mente poluida, bagunceiros, arruaceiros e etc… completamente diferentes de mim. A pedidos do meu tio, meu pai contratou como caseiro um Compadre desse meu tio, o Seu Valdelino um senhor que hoje já falecido, na época tinha uns 57 anos, gordo, careca, com uns fiapinho saindo da careca, e parecendo bastante humilde, meu pai acolheu e iria pagar um dinheiro pra ele cuidar do sítio pro meu pai, durante a semana. Junto com o Seu Valdelino veio morar junto com ele a filha única Isabella de 18 anos. O Seu Valdelino era divorciado, e por isso nos fins de semana a menina Isabella vinha ficar com ele no Sítio, e é ai que começam as coisas. Meus primos sempre vinham no final de semana pro Sitio também, meu pai não tinha como negar, pois meu pai achava que devia pro meu tio o fato de ele terr conseguido emprego na empresa que deu uma carreira para ele, e nos ajudou a mudar de vida, então os moleques vinham quase sempre nos fins de semana com agente.
Eu era tímido e com 14 anos não pensava nada de sexo, nem sabia o que era gozar, e eu nem tinha entrado na puberdade ainda, eu nunca tinha batido uma punheta nem nada disso, e eu ouvia direto meus primos falando sobre isso. Eles tinham 16 e 17 anos na época, eles ficavam me azucrinando e falando que eu era um pintinho murcho e essas besteiras. Logo eles fizeram amizade com a Isabella, e ai começou a sacanagem, a Isabella era aquelas nordestina bem inocente sabe, que parece inocente mas na verdade já manja muitas coisas, ela se fazia de desentendida, várias vezes eu e meus primos pegavamos ela, de calcinha e sem Sutiã estendendo a roupa no varal, e ela fingia que não via a gente. Eu confesso que eu que sempre ia na igreja achei que estava pecando e tal, cheguei a ficar com medo do padre descobrir hehehehe, ou minha mãe saber, sei lá.
Já faziam quase um ano que tava nessa rotina de sitio com minha familia, meus primo juntos, e a Isabella dando essas brechas pra gente, e meu primo Thiago inclusive tinha ficado com ela já atrás da bananeira que tinha no quintal, e falou que tinha pegado nos peitinho dela e essas conversa pra mim e o Iago achar que ele era mais machão, não demorou muito e o Iago ficou com ela também, e disse que ela mostrou a piriquita pra ele, eu nem acreditava nessas coisas.
Isso tudo ia mudar quando numa sexta-feira feriado, meu pai me levou pro Sítio pois eu ia ficar lá com meus primos enquando ele ia levar o Seu Valdelino pra cidade pra comprar umas ferramenta pro sítio, cano,uns ferro pra arrumar o portão e placa de entrada pro sítio, essas coisas. Então ficou eu e meus primos lá sozinhos no sítio, e logo a Isabella chegou da escola, tava com um shortinho rosa, chinelo havainas, blusinha de alça cinza, toda piriguete, ela chegou já cuprimentando eu e meus primos, eu na maior vergonha disfarcei e entrai pra casa, meus primos ficaram lá conversando com ela. Passou um tempo acho que uns 15 minutos o Thiago me chamou pra fora, disse pra gente ir pegar uma bola que tinha caido perto da cerca de arame que tinha atrás do barracão aonde guardavam as ferramenta que o Seu Valdelino usava, eu fui pra lá e o Iago já tava lá, e eu vi que ele tava beijando a Isabella, eu ainda não tinha percebido mais ela tava sem camiseta, e só de calcinha. Fique louco de vergonha, mas meu pintinho ficou durinho bem rápido, e eu começei a sentir ele pulsar dentro das calça. O Thiago ficava falando pro Iago passar a mão na bunda dela, e ela dando risadinha toda safada, ela sabia o que ela tava fazendo. Mas ai ela falou que queria eu, o menor que ela ainda não tinha beijado, ela tirou o sutia e logo abaixou a calcinha e mostrou a xoxotinha peludinha, e veio pra cima de mim, e começou a se esfregar em mim, e meus primos só olhando, morri de vergonha, o Thiago ficava falando – eita porra, eita porra, vai comer ela hoje Jefferson eita porra. Não dava pra descrever o que eu senti, eu nunca tinha gozado, mas meu pai tava durinho, e pronto pro amor, não demorou muito meus primos arrancarram minhas calça e a danadinha da Isabella, ficou de costa e se inclinou um pouco pra eu colocar meu pinto na chaninha dela, nessas horas até um cara que não sabe, acha o buraco, e eu enfiei o pau na buceta dela sem preservativo mesmo, loucura de criança, e o foda foi que eu nem sabendo de nada, comecei a bombar aquela xota apertada, e bombei tão gostoso, meus primos já tavam querendo trapar com ela também, o Iago já tava de cueca, e o Thiago batendo uma bronha por dentro do shorts já. Comi toda a chochotinha dela e aquele cheirinho de chana subiu enquando eu comia a bocetinha dela, ela dando umas risadinha safada e dando gemidinho, eu nem pensava em nada, até que senti um molhadinho na ponta do pau, e na hora um tipo uma caimbra no saco e na base do pau e tirei da xavasca da Isabella, meu pau todo surrado, vermelho, pulsava e saindo um negócio branco que eu nem sabia que era porra na época, ficou saindo porra e a Isabella pondo a mão no meu pau melando a mão na minha porra, foi muito gostoso, eu descobri minha masculinidade com essa safada. Meus primos nem chegaram a trepar com ela, pq ela logo entrou pra tomar banho e eles bateram bronha e depois também meu pai chegou, e ai que eu comecei a pensar em tudo, eu estava estático ainda, e de certa forma meu pai ate notou pq ele me perguntou se eu estava sentindo alguma coisa, eu tava era todo melado de porra dentro da minha calça, depois disso fui tomar um banho e joguei minha calça no meio do mato, pois nem sabia se porra saia com água e morria de medo de alguém descobrir que eu tinha trepado com Isabella.
No final das contas foi assim que eu entrei na puberdade, infelizmente só logo a Isabella parou de ir pro Sítio, Seu Valdelino ficou doente do pulmão e foi morar com a esposa na cidade, além disso a Isabella foi perdendo o interesse, fazendo novas amizades, trepando com outros caras que deve ter até esquecido que tirou meu cabacinho.
Meu pai vendeu o sítio um tempo depois, nem chegamos a contratar um novo caseiro, meu pai trocou o sítio por uma casa de praia. Hoje estou solteiro, namorei 4 anos, mas não deu certo, estou na procura de uma mulher que possa me dar uma família. Eu não encaro como erro eu ter transado com uma menina de 18 e eu tendo 14, eu acho que faz parte de mim, só nunca tive coragem pra contar pra minha família e compartilho isso aqui com vocês.