Jurei Que Seria a Ultima Vez….



Click to Download this video!

Continuação de “Não Queria, Mas Não Teve Jeito” …Depois que fiz o que fiz com o Sr. Rubens, fiquei mal, com a conciencia pesada, não era cérto, por isso me afastei da michelle, só conversava-mos na escola, as vezes éla convidava eu e melissa pra ir na casa dela, eu sempre arrumava uma desculpa pra não ir, por isso, por um bom tempo nunca mais vi o sr. rubens, não sabería o que fazer caso o seu rubens viesse me cumprimentar, então achava melhor evitar, assim se passou uns 5 meses, passou o inverno, a primavera e estava chegando o verão, era mes de outubro, o clima já estava quente, eu a melissa estava chegando na escola qdo a michelle chegou euforica, toda feliz, dizendo que depois do feriado ela e seus pais iam pra praia fazer camping, toda feliz, irradiante, contando que já tinha ido e o lugar era lindo, com trilhas pra fazer, o mar era lindo, azulzinho e etc…
Quando ela vira pra nós e diz, claro, pq não pensei antes, vou falar com meu pai pra vcs irem tb, eu gelei na hora, não,não, não podia ir, apesar de querer conhecer mais, não, rapidamente disse que meu pai não ia deixar, vi a melissa se empolgar, dizendo que ia se o pai deixasse, eu fiquei em calafrios, como sair dessa agora, mais fomos pra aula e esqueci o assunto, dois dias depois estava em casa a noite qdo ouvi a michelle chamando sai pra atender e dei de cara com ela e seu rubens, que me olhou, me cumprimentou com um beijinho no rosto, a michelle foi me puxando e levando pra dentro, perguntando do meu pai, da minha mãe, foi entrando, oi seu osvaldo, oi dona luzia, dando beijinho, e logo falando do camping, que iriam depois do feriado e queria que eu fosse tb, pra não se preocupar que o pai dela ia custear a viagem e cuidar de mim e da melissa que ia tb, que os pais déla deixou, e que o pai dela veio pedir pra eles deixarem eu ir tb, tudo muito rápido, pegou todo mundo de surpresa e eu mais ainda, meu pai olhou pra minha mãe surpreso, sem saber o que dizer, o pai dela disse que a michelle insistiu com ele então ele veio e pra eles não se preocuparem o lugar era seguro, tranquilo, e que ele e a esposa ia ficar de olho, meus pais sem saber o que dizer, disse ok, tudo bem, a michelle deu um grito, um pulo,me abraçou e me puxou pro quarto e ficamos coversando, ela dizendo os planos que tinha feito e etc, eu ali calada,surpresa, com um sorriso amarelo no rosto, poderia ter dito que não queria ir, mais no fundo queria ir sim, queria conhecer o lugar, e sem saber ao certo o que pensar não disse nem sim, nem não……
eles foram embora eu fui pro quarto com a cabeça fervendo, mais tb pensei, não tinha como seu rubens tentar nada afinal ia ter bastante gente lá, ficaria com as meninas, não teria problema, fui ficando mais calma, de manha na escola não falaram em outra coisa e assim fui ficando empolgada tb, chegou o dia, eu e a melissa fizemos as malas, meus deram orientações, pra me comportar,etc.. assim, seu rubens passou em casa, subi no carro e fomos pegar a melissa, no caminho ficamos conversando, traçando planos qdo chegar, a viagem foi demorada, não sabia que era tão longe,paramos no caminho pra comer alguma coisa, fiquei observando como o seu rubens ia me tratar, ele me tratou normalmente com se nada tivesse acontecido, aquilo me deixou mais tranquila, fiquei sabendo no caminho, que era na praia de trindade, o lugar era lindo mesmo, quem conhece sabe, era um lugar simples, mais bem organizado, tinha boas intalações, não tinha muitas barracas, pois a maioria já tinha ido embora, o feriado foi na terça-feira e chegamos na quinta, saimos correndo pra ver a praia, nossa que lugar lindo, agua limpinha, aquele ar purinho, seu rubens chamou pra gente ajudar a montar as barracas, eu, melissa a michelle começamos a montar a nossa, a michelle sabia montar e foi dando as dicas, montamos e como era umas 4 horas fomos por um biquini e aproveitar a praia, ficamos a tarde toda brincando na agua, saimos, fomos tomar um banho, e a máe da michelle foi fazer algo pra gente comer, a noite ficamos conversando fomos dormir, de manha acordamos, tomamos café e praia outra vez, e assim passamos a manha, almoçamos e eu e melissa fomos pra barraca dar uma cochilada, depois das 3 horas voltamos pra praia e ficamos até umas 6hrs, qdo voltamos pro camping a michelle sai correndo, abraçou um garoto toda feliz e apresentou dizendo que era filho de um amigo do pai dela, william,tinha uns 18 anos, a melissa fico toda animadinha, ele era um gato mesmo, mais acho que pelo jeito ele tinha um lance com a michelle, logo veio o pai dele, apresentou pra nós, seu Roberto, eles montaram a barraca e ficou ali com a gente, a noite fizeram um lual, seu roberto tocava violão, e nós ficamos tentando cantar, rsrsrsrs, no sabado de manha fomos pra praia, entramos na água ficamos brincando, eu,melissa,michelle e o william, depois de um tempo o seu rubens e o seu roberto foi perto de nós e ficamos ali na agua, e pela primeira vez o seu rubens chegou perto de mim e disfarçadamente passou por mim e passou o braço na minha bunda, olhei assustada, mais como ele passou direto achei que foi sem querer, mais vez ou outra ele passava a mão, eu fiquei furiosa mais não podia dizer nada, depois do que tinha acontecido de certa forma perdi a razão, então fingia que não percebi, logo eles sairam e foram tomar cerveja e nós ficamos lá, qdo deu umas onze horas saimos e fomos almoçar, e acho que era 12:30,como no dia anterior eu e melissa fomos cochilar na barraca…….
Estava dormindo profundamente, um sono pesado, estava muito cansada, em um determinado momento pensei ter sentido alguem entrar na barraca, pensei ser a melissa e como estava com sono ainda nem olhei e voltei a dormir, depois de uns 3 min. dessa sensação senti algo tocar minhas coxas, me mexi, um breve espaço de tempo, outro toque, agora mais longo, subindo em direção a minhas nadegas, me mexi de novo e logo outro toque, agora mais intenço chegando a apertar minhas nadegas, senti um deslizar por entre minha pernas atingindo minha xaninha por cima do biquini, um aperto suave, qdo senti um dedo sorrateiramente entrar por entre meu biquini e atingir minha raxinha e delizar por entre meus labios vaginais, pensei estar sonhando, que sem querer até arrebitei a bundinha e nesse movimento o dedo se aprofundou quase introduzindo minha bucetinha, mexi a bundinha num leve gemido, que sonho gostoso pensei, com movimentos suaves o dedo continua me explorar, qdo deslizou pela meus labois e chegou no meu anelzinho arrepiei e em movimentos circulares foi massageando meu anelzinho e em dado momento invadiu meu cuzinho e entrou um pouco, neste instante acordei assustada, não era sonho, era seu rubens me violando outra vez, me fez sinal pra ficar quieta, eu assustada, disse o que ele tava fazendo, ele sorriu como dizendo calma tá td bem, eu falei o sr tá louco, se alguem ve, ele disse que todos foram fazer trilha e como eu estava dormindo eles resolveram não me acordar e disse que ele não ia ficar, então eles foram sem me chamar, fiquei puta da vida, aquele tarado estava ali outra vez tentando abusar de mim, disse que iria atras deles ele disse que não ia conseguir alcançar eles, era melhor eu ficar, fiquei sem saber o que fazer, e na mesma posição ele sentado sobre minhas pernas disse que ia me fazer uma massagem então, que estava muito agitada, fiquei sem reação na hora e ele aproveitando minha indecisão continuou fazendo massagem, e eu fui deixando, e com mãos experientes vou passando pelo meu corpo atingindo meus pontos mais sensiveis e mesmo não querendo, não tinha como deixar de sentir uma excitação e um medo ao msm tempo, e com passadas de mão ageis atingia meus pontos fracos assim fui me entregando, e seu rubens atingindo seu objetivo, que era me deixar sem argumento, depois de um tempo seu rubens foi abaixando a parte de baixo do meu biquini, deixando minha bundinha desprotegida e vulneravel a suas investidas, tirou seu pau pra fora da sunga e foi passando por entre minhas nadegas deslizando pelas polpas num movimento de vai e vam me levando a loucura, por hora passava em minha xaninha toda meladinha abrindo meu labios vaginais atingindo meu grelinho, eu me contorcia tentando não sentir prazer, mais qdo ele se deitou sobre minhas costas passando a lingua e indo em direção a minha orelha, me arrepiei, gemi baixinho, arrebitei a bundinha, era demais aquilo, aquele tarado me subjulgava me deixando a merce de suas taras, senti um cheiro de cerveja invadir minhas narinas e com o efeito do alcool ele se tornava mais ousado e com uma sede de me violar foi guiando seu menbro entre minhas nadegas, em pinceladas fortes parou na entrada do meu cuzinho e foi forçando sua entrada com determinação foi me penetrando com força e furia, meu cuzinho engoliu seu pau e em movimentos rápidos e fortes gozou logo enchendo meu cuzinho de porra, nem cheguei a sentir prazer algum, meio frustrada, mais tb aliviada, pois assim não correria o risco de alguem chegar, ele soltou seu peso sobre mim, ficou assim por uns segundos, levantou e saiu, eu fiquei ali na mesma posição por uns instantes, levei minhas mãos pra colocar o biquini e percebi um vulto entrar na barraca, pensei ele voltou, o vulto foi se abaixando atras de mim, sentou sobre minhas pernas, e foi beijando minhas nadegas, subindo pelas minhas costas, virei pra ver, não era seu rubens, era o roberto, amigo dele, tentei me virar, não queria, eles estavam se aproveitando da situação, mais ao mesmo tempo o medo me invadiu, seria minha palavra contra a deles, e seu roberto deitou sobre minhas costas e beijando minha orelha dizia palavras, como, calma, fica tranquila, ninguem vai ficar sabendo, e assim continuou a me explorar como um tarado, gemendo e dizendo palavras que não entendi bem, voltou a se concentrar na minha bundinha, me puxou me deixando quase de quatro e pousou sua lingua na minha xaninha abrindo meus labios vaginais introduzindo a pontinha e em movimento rápidos passava no meu grelinho me fazendo extremecer e a tremer as pernas, não contive o gozo, e gozei na sua boca em silencio, não queria deixar aquele tarado saber que estava gozando, com lingua abil foi passando na minha raxinha e subindo até meu anelzinho, me levando a loucura, como ñ sentir nada diante dessa situação, era impossivel, depois de alguns minutos seu roberto, estava de olhos fechados, não tinha coragem de abrir, senti ele passar aquela coisa na minha boca, fechei precionando os labios, ñ queria xupar, assim já era demais, com insistencia ele forçava para que minha boca se abrisse, neguei, mais percebi que ele não ia desistir de suas inteções, então abri um pouco os labios e entrou a cabeça na minha boquinha, xupei um pouco, não sabia xupar muito bem, já tinha xupado o pau de alguns meninos que fiquei, mais foram poucos, meio sem jeito xupei sem me atrever a abrir os olhos, não queria ver, estava envergonhada com aquilo, mais com o toque dos labios pude sentir que estava diante de um monstro, de olhos fechados levei a mão com receio, peguei e percorri toda sua extenção e puder sentir que era grande, minha mãozinha era pouca pra seguir segurar aquela coisa toda,não me atrevi a olhar, xupei mais um pouco, ouvindo seu roberto gemer e dizer palavras como, isso, xupa, que delicia, estava me sentindo uma vadia com aquelas palavras e isso me deixava mal, qdo ele tirou da minha boca e voltou atras de mim e voltou a passar a lingua na minha xaninha, apesar de me sentir usada, não nego que tb me excitava, qdo ele parou por uns instantes, pensei, acabou, senti ele passando aquela coisa na minha xaninha em pinceladas fortes, aquilo abrir meus labios vaginais, arreganhando tudo, com precisão foi posicionado aquilo no meu anelzinho, gelei na hora, mais sem esperar ele forçou e meu cuzinho lubrificado com meu liquido e a porra do seu rubens, entrou sem muita resistencia, e por instinto meu quadril foi pra frente e meu cuzinho expeliu aquela coisa pra fora, seu roberto voltou e passou aquela cabeçona na tentativa de relaxar meu anelzinho, que se negava, mais com determinação insistiu e meu cuzinho relaxou e com aproveitando a distração penetrou outra vez e outra vez meu cuzinho se negou a aceitar, com nova investida ele forçou e entrou, meu cuzinho abraçou aquela cabeçona, qdo tentou impedir a invazão, seu roberto me segurou pela cintura evitando meu corpo se projetar pra frente, e com uma estocada rápida penetrou mais um pouco me fazendo soltar um gemido de dor, tentei argumentar dizendo que estava doendo, e com mãos firmes me puxou mais um pouco, um novo gemido de dor seguido de um aiiiii, qto mais tentava me soltar de suas garras, mais aquele tarado apertava minha cintura me puxando de encontro aquele monstro, meu cuzinho foi se delatando e sem saida penetrou mais um pouco, meu corpo institivamante se projetou pra frente me levando a deitar na ansia de sair daquela situação, foi pior, pq agora não tinha pra onde correr, e nesse movimento de queda seu roberto agarrado em mim veio junto e qdo me deitei soltou seu peso sobre minhas costas, e seguindo a lei da gravidade aquele mastro enorme entrou quase que totalmente rasgando meu cuzinho, dilatando e rompendo as ultimas pregas que podia existir, soltei um urro de dor, senti lagrimas escorrerem pelos meus olhos, podia sentir seu riso de satisfação diante do meu sofrimento, por alguns segundo permanecemos assim, com agilidade seu roberto foi me levantando e colocando de quatro e meu corpo sem oferecer resistencia só seguia suas ordens, em posição e com o equilibriu restabelecido ele abriu minhas nadegas e socou o pouco que restava, um novo urro de dor, ele se vangloriava e adimirava seu feito, satisfeito com sua conquista, abria minha nadegas e puxava ainda mais, queria ver tudo lá dentro, meu cuzinho estava em lagrimas como eu, e como um trofeu quase sem acreditar ele via meu cuzinho alojar e engolir seu mastro de uns 21cm, que quase chorando tentava desesperadamente sentir prazer ao inves de dor,agarrado em minha cintura como um cachorro agarra a cadela, sem se importar com meu sofrimento começou um vai e vem lento, aquela coisa enorme saia quase todo, meu cuzinho se alivia e por instantes sentia uma falça esperança de que não iria sofrer mais, mais com a mesmo alivio de instantes atraz, seus 21cm voltava a invadir meu cuzinho, a cada estocada soltava um urro, nunca senti algo tão grande me invadir assim, agora na certeza que não iria parar, tentei relaxar o maximo, e assim aos poucos fui sentindo uma mistura de dor e prazer, e como um alucinado seu roberto foi aumentando as estocadas, cada vez mais rápido, seu cacete enorme saia e entrava dentro de mim numa velocidade enorme, rápido, foi violando meu cuzinho sem dó,agora com força e furia de tarado, meu cuzinho já não aguentava mais ser agredido daquela forma, meu corpo tremia todo mais seguia seus movimentos no mesmo ritmo, minhas pernas estavam fracas e num movimento agarrou minha cintura, me puxou com força levando aquela tora me penetrar até os testiculos, segurou, senti o primeiro jato de porra quentinha bater no fudo,minhas pernas tremulas e fracas arrebitei minha bundinha e num movimento forte empurrei de encontro aquela coisa enorme, sem me importar mais, queria ele rasgando e penetrando fundo meu cuzinho começei a gozar tb, com estocadas fortes e seguras fui sentindo jatos e mais jatos de porra inundando meu rabinho, a cada jato que sentia, minha bucetinha e meu cuzinho se contraia apertando aquele mastro enorme, gozando no mesmo compasso, qdo parei de gozar, meu corpo simplesmente caui desfalecido no chão da barraca, estava toda suada, com se estivesse saido do mais duro exercicio fisico, apos alguns minutos recobrei as forças, seu roberto saiu e se juntou ao seu rubens, vesti meu biquini, sai, eles estavam tomando cerveja, e sem olhar fui andando e pensando na loucura toda,e fiz um juramento, aquela seria a ultima vez