Não Queria, Mas Não Teve Jeito



Click to Download this video!

Continuação de “Fui Encoxada Mais Uma Vez, e Deixe…” Pq os homens não guardar segredo, dizem que mulher fala demais, mais os homens tb, e por essa razão fiz algo errado, pois prézo muito a amizade, e na época me dx muito arrazada, mais como nossos pais ensinam desde pequena que sexo é pecado, enchem a gente de medos e temores, as vezes vc acaba ficando calada com medo da bronca, pq não ensinam que sexo é bom, mais que temos que tomar certos cuidados, se tivesse sido instruida de forma correta não deixaria ser levada por certas conversas, Mais com o corpo sedento em sentir novas descobertas e a cabeça com poucas
informações, dá nisso. Depois da festa do encontro de motos, não fomos em mais nenhum, e assim se passaram um mes e meio acho, na época eu e as meninas comentamos sobre a festa, que muito legal e se desse certo irriamos outra vez, mais não comentei com elas o que fiz com o Paulo, acho que de vergonha sei lá, achei melhor não falar nada, a michelle foi em outras, mais eu e a melissa não, na vdd, estava com certo receio de encontrar o Paulo, ficaria sem jeito com certeza, a michelle até me disse que ele perguntou de mim, com aquele jeito de deconfiada, mudei o assunto tipo não queria saber, e td bem, morreu ali e assim o tempo foi passando.
como disse, um mes e meio depois eu fui a um posto de saude pegar uns remédios pra minha avó, fica bem afastado da minha casa, mais fui andando msm, éra de manha bem cedo, estava bom pra caminhar, então fui andando, chegando no posto peguei os remédios e começei a voltar, estava andando distraida qdo me chamam pelo nome, olhei e éra o pai da michelle, seu Rubens, parou o carro, me disse se queria carona e como estava longe de casa resolvi aceitar, afinal conhecia ele, não tinha nada demais, entrei e saimos, fomos conversando assunto banal, perguntei da michelle, da dona Andreia mãe dela, ele perguntou dos meus pais, coisas assim, até que ele perguntou da festa do encontro, se tinha gostado, se estava boa a festa, disse que sim, que éra legal e qdo desse certo eu e a melissa ia outra vez com a michelle, e assim fomos conversando, no meio do caminho seu rubens disse que precisava passar no ponto de encontro do clube, pois precisava colocar umas cervejas no freezer e me mostrou os fardos de latinhas no banco de traz, que eles iam fazer reunião hoje pra combinar o esquema da viagem no fim de semana, que ia ser rápido, disse td bem, e ele foi em direção ao ponto de encontro, chegamos lá, seu rubens abriu, disse se eu não queria entrar, disse que não, que esperava no carro, seu runens disse, entra, assim vc me ajuda, vai mais rápido, assim vamos embora logo, isso éra msm, pois tinha uns 10 fardos de cerveja, até seu rubens levar td e por no freezer ia demorar msm, então resolvi ajudar, entrei, seu rubens ligou o freezer abriu e disse, eu vou trazendo e vc vai ajeitando ai dentro ok, disse tá, e assim foi, seu rubens pegou um fardo abriu colocou na mesa do lado e eu colocando, seu rubens buscou outras e abriu, na terceira vez ele abriu, como eu estava abaixada pra frente colocando as latinha no fundo, não vi seu rubens chegar e encostou seu corpo do meu lado e disse, da dando certo, levantei o corpo e disse que sim, ele voltou buscar outras,
da outra vez seu rubens encostou e meio que me encoxou rapido, mais de lado, não vi malicia, achei que foi sem querer, qdo ele pegou todos os fardos ficou ali passando as latinhas p/ mim, num certo momento seu rubens me encoxou, como eu estava usando um shorts balone de tecido leve, não teve como não sentir, assustei e levantei rápido, seu rubens pediu desculpas, disse que foi sem querer, eu boba acreditei, ele voltou a falar do show do encontro, coisas assim, eu com metade do corpo quase dentro do freezer ia respondendo e pegando as latinha, até que seu rubens falando comigo, chegou e se aninhou atraz de mim e disse que o Paulo perguntou de mim e mandou dizer que tinha adorado o que nós fizemos no show e se eu tinha gostado tb, o freezer estava começando a gelar eu quase dentro dele gelei mais ainda, fiquei muda, nervosa, sem reação nenhuma, e Seu Rubens ali me encoxando e dizendo, vou ver ele nesse fim de semana que eu falo pra ele, eu ali estática, dura, surpresa, eu com voz gagejando disse gostei do que, seu rubens, do que vcs fizeram, eu ali nervosa, pega de surpresa, disse que não tinha feito nada e sem me mexer ficamos na msm posição, seu rubens se abaixou em cima de mim pra alcançar meu ouvido e disse baixinho, ele falou o fez com vc lá, nossa jhessica só dele contar fiquei de pau duro, e pelo que senti atraz de mim estava ficando outra vez, e num extinto de fuga, levantei e sai de lado assustada, cabeça a mil, sem saber o que dizer, cabeça baixa, seu rubens chegou disse ts bem, fica tranquila não vou dizer nada pra ninguem não, não ti chantagear não, se vc fez td bem, fica fria, ficar fria, mais fria doque estava impossivel, estava gelada de medo, ele disse vamos continuar pra gente ir embora, voltei a colocar as cervejas no freezer e na mesma posição ele voltou a encoxar, se tivessem me ensinado certo, tinha dado um chute no saco dele e ido embora, mais como me ensinaram td errado, deixei, afinal, talvez se deixasse ele me encoxar ele ficaria satisfeito e me deixava em paz, e não diria nada a ninguem, mais estava errada, deixei e diante do meu consentimento seu rubens se aprofundou em suas investidas e agora de pau duro pressionava em minha bundinha e sem pudor algum, esfregava aquela coisa enorme em mim, eu sem reação alguma, sem saber ao certo o que fazer, ele continuou me submentento a sua tara e em dado momento sem pedir permissão foi acariciando minhas coxas passando pela minha bundinha onde pousava a mão e apertava, eu paralizada, minha cabeça buscava uma saida, o que devo fazer, e como não esboçava reação alguma seu rubens continuava a me acariciar e precionar seu pau na minha bunda, eu estava confusa, afinal éra o pai da minha amiga, e ele sem pensar nisso continuava me submetendo aos seus caprichos, ele se esfregava, me puxava pela cintura de encontro ao seu pau, eu sem reação deixei seu rubens continuar sua tara, o pior de tudo, mesmo sabendo que não devia, comecei a me axcitar com aquilo, mais não queria dx ele perceber, não queria passar daquilo, mais como evitar, qdo seu rubens passou as mãos na frente da minha cintura e começou a desabotoar meu shorts gelei, disse não mais seu rubens ignorou meu pedido e abriu e lentamente abaixou meu shorts até os joelhos me deixando de calcinha, e num toque forte, apertou minha xaninha e sem querer soltei um gemido baixinho e levei minha bundinha pra traz, seu rubens continuou com suas investidas, qdo seu rubens se afasta e de joelhos, começou a beijar minha bundinha, passando aquela lingua de tarado entre minhas nadegas, aquele safado estava indo longe demais, tentei sair, dizendo não e tentando levantar o shorts, mais segurou forte e num movimento rápido abaixou minha calcinha e apertou o rosto em minha bundinha, buscando afoito minha xaninha, qdo senti sua lingua quente se aprofundar e delizar minha raxinha subindo até meu anelzinho, extemeci, arrepiei toda, as pernas tremeram, tentei sair, mais não querendo, a cabeça girava em pensamentos, não podia ceder, e seu rubens sentindo meu medo e minha indecisão, e me virou de frente, meu corpo obedecia aquele safado como que automaticamente, e com uma certa furia enfiou a lingua na minha bucetinha invadindo minha grutinha quase me desvirginando com a lingua, sem perceber e por extinto segurei sua cabeça e apertei de encontro quase sufocando na minha xaninha, soltei e pensei, o que estou fazendo, tentando lutar com meu desejo, seu rubens voltou a investir e com abilidade passava a lingua em movimentos circulares deixando minha xaninha totalmente encharcada, em outro movimento me virou de costas e meu corpo nem esboçou reação negativa, virei e seu rubens começou a passar a lingua no meu anelzinho, que se contraia e relaxava, por uns 5 min. ficou violando meu cuzinho com sua lingua, se levantou e sem pedir permissão, tirou seu pau pra fora me enclinando suavemente foi posicionando seu pau na entrada da minha bucetinha me pegando desprevenida pressionou entrando um pouco, meu quadril estintivamente foi pra frente e me levantei….
– não seu rubens, ai não, por favor, sou virgemquase implorando)
a esse pedido ele atendeu, em silencio me inclinou outra vez, passou pela minha xaninha pegando o maximo do meu liquido vaginal dirigiu seu mastro na entrada do meu anelzinho, que sentinto a cabeça se contraiu e forçou a entrada que meu cuzinho se negava a ceder, passou na xaninha denovo e com determinação forçou meu anelzinho que sem ter como evitar foi se abrindo e envolveu e aconchegou aquela cabeça inchada, soltei um aiiiiiiiiiii, e meu cuzinho sem ter como se defender teve que permitir a invasão daquele cacete que agora sem misericordia foi deslizando e dilatando meu cuzinho, seu rubens abriu minhas nadegas e introduziu o restinho do seu talo e segurou sem deixar nem um milimetro pra fora, num ultimo aiiiiiiiii, serrei os dentes e pude sentir a cabeça encostando na parede do meu reto e ficou assim por alguns segundos adimirando e se vangloriando, aquele velho tarado estava orgulhoso do seu feito, começou um movimento de vai e vem lento, suave, recuando quase que totalmente e introduzindo tudo outra vez abrindo minhas nadegas pra não permitir que ficasse nada de fora, adimirando, brincando com meu cuzinho com se ele fosse seu brinquedo mais precioso, e a cada estocada eu por instinto arrebitava minha bundinha e levava pra traz facilitando ainda mais a penetração e soltava um aiiiiiiii e msm de costas podia ver seu sorriso de vitorioso, de dono da situação, não aguentando mais começou com movimentos mais rápidos, aumentando a intencidade das estocadas, aguarrado a minha cintura,como uma presa em seus ultimos minutos de vida,seu rubens me surrava e dilacerava meu cuzinho como um cachorro no cio me penetrando com furia, seu rubens estava enloquecido, me penetrava como um animal,sem dó,meu cuzinho implorava pedindo pra acabar logo com aquela tortura, com estocadas fortes e profundas gemia de dor e prazer, com uma estocada forte me segurou forte como se querendo entrar dentro de mim, senti o primeiro jato de porra quentinha no meu reto, mais uma estocada firme outro jato, depois mais um, mais um,e mais um, seu rubens não parava mais de gozar, minhas pernas tremiam, tentavam se firmar, minha bucetinha se contraia num gozo que podia sentir se escorrendo pelas penas,estava nas pontas dos pés, seu rubens quese me tirando do chão, seu pau todo atolado no meu cuzinho pude ainda sentir o ultimo jato inundar minha bundinha, com a respiração ofegante seu rubens saiu de dentro de mim, meu anelzinho ainda dilatado foi se contraindo aos poucos voltando ao normal, sem forças e de joelhos seu rubens deu alguns beijinhos na minha bundinha como que agradecendo pelo presente…
recobramos as forças, subi minha calcinha e meu shorts, terminamos de guardar as cervejas, fomos embora calados sem dizer uma palavra, satisfeitos, mais com um sentimento de culpa no ar

[Continua…]