Meu padrinho bruto arrancou meu cabaço!



Click to Download this video!

Olá! Meu apelido é Carninha,tenho atualmente 23 anos,sou morena,olhos castanhos,cabelos pretos bem compridos, 1,65m,50 kilos, 65 cm de cintura,86 cm de busto,91 cm de quadril, sou o que os homens chamam de índia.

Como podem perceber,tudo em mim é no tamanho certo, inclusive meu tamanho.

Hoje sou casada com um homem maravilhoso que me completa e me entende inteiramente.

Tudo começou quando ainda era mais nova, mas já com o corpo de mulher formada e costumava viajar muito para a fazenda com meus padrinhos, abusava de sainhas e shortinhos curtos e agarrados e biquininhos totalmente enterrados.

De sexo eu não tinha sequer a mínima noção, apesar de ter sentidos já alguns arrepios quando tocava em minha bucetinha.

Quando via meu Padrinho na fazenda, sempre pedia para ele me levar tomar banho de cachoeira na parte da tarde, de vez em quando pegava ele olhando para minha bocetinha ou pra minha bundinha, ele tinha fama de safado.

Nesse dia era de tarde, minha Madrinha tinha acabado de ganhar neném e acabou ficando com as crianças na fazenda, desse jeito fui somente com meu querido Padrinho,quando saimos para ir à cachoeira, passamos pela estrada de terra e vimos um cavalo garanhão cobrindo uma égua.

Aquilo me chamou a atenção e perguntei ao meu Padrinho o que estava acontecendo ali, ele na mesma hora, ficou um pouco embaraçado e tentou me explicar sendo direto:

– O CAVALO ESTÁ COMENDO A BUCETA DA ÉGUA.

Caminhamos para a cachoeira, mas aquilo não saia da minha cabeça.

Ao chegarmos,tirei meu vestidinho e fiquei apenas de calcinhas e sutiã, estava acostumada a ficar assim na frente dele, pois não tinha malícia nenhuma ainda.

Ele tirou sua roupa e ficou de sunga.

Entramos na água e começamos a brincar juntos, mas esse dia não era mais como os outros, podiamos sentir a diferença, ele durante nossas brincadeiras, me agarrava por tras e começou tambem a segurar e apertar meus seios que já pareciam duas peras.

Eu podia sentir,quando ele me agarrava,alguma coisa dura encostada em minha bundinha e numa dessas agarradas,ele me perguntou se eu gostaria de saber mesmo o que o cavalo estava fazendo com a égua.

Eu fiquei quieta se logo ele foi me levando para a parte das pedras e me deitou de costas e foi tirando minha calcinha, eu estava quieta e percebi um comichão na minha bocetinha e um meladinho como se fosse xixi, fiquei paralisada enquanto ele arriava minha calcinha, quando ele tirou as mãos olhei para trás vi que ele também estava tirando sua cueca.

Meu Padrinho veio deitando por cima de mim, encaixando um negócio duro no vão da minha bundinha e começou a me beijar a nuca, o pescoço e foi descendo até alcançar meu cuzinho, senti um arrepio e dei uma trancada, ele espamou as mãos nas minhas nádegas e foi abrindo e começou a passar a língua enquanto apertava meu bumbum, o comichão voltou e fui sentindo uma quentura na xoxotinha, uma sensação gostosa e quando dei por mim estava rebolando minha bunda no rosto do meu Padrinho.

Ele percebeu e levou uma mão para a minha bucetinha e começou a me bolinar, eu estava adorando tudo aquilo que para mim era pura novidade, em seguida ele desceu sua boca para minha bocetinha, senti um frio escorrendo pela espinha e como se um raio atingisse ela sem perceber gemi e senti um líquido escorrer dela enquanto o tarado do Padrinho sugava tudo como um esfomeado.

Logo após isso ele pediu para eu me virar e vi ele com um troço duro, grosso e grande e veio trazendo na direção do meu rosto ordenando:

– Chupa cadelinha, chupa!

Eu com seu pau na minha boca depois de um tempinho, ele tirou o pau da minha boca e foi se enfiando entre minhas pernas, abrindo-as ao máximo, enquanto colava seu peito no meu vindo em direção da minha boca dando meu primeiro beijo de lingua enquanto isso colocava seu pau na entrada da minha buceta, a sensação era gostosa e quando dei por mim rebolava tentando encaixar a cabeça e colocar aquele negócio que depois eu viria saber que era um pau, para dentro da minha xoxotinha, não sabia porque, mas sentia que precisava daquele troço dentro de mim e foi quando ele viu que eu queria e deu uma forçada.

Na mesma hora gritei de dor e pedi para parar por que estava doendo muito, ele parou mas não tirou o que já tinha entrado, apenas ficou parado enquanto me beijava e chupava o pescoço e quando percebeu que a dor tinha passado um pouco, ele me abraçou e enterrou seu pau todo de uma vez só dentro de mim.

Gritei,urrei mesmo e comecei a chorar, Queria sair dali,mas estava segura bem abraçada e pelo peso do corpo do meu Padrinho, aquilo parecia que me rasgava ao meio, deu-me a impressão que eu seria dividida em duas partes distintas.

Ele ficou parado um bom tempo que para mim pareceu uma eternidade, mas logo a dor foi passando, restando uma leve sensação de ardência e comecei a me acostumar com aquele volume dentro de mim, quando percebi parecia uma coceirinha gostosa que dava vontade de esfregar nele e por vontade própria fiz um movimento com meu quadril que engoliu de vez o cacete do meu Padrinho, ali acabara de perder minha virgindade.

Ao perceber isso, ele começou um lento movimento cadenciado de entrar e sair dentro de mim e aos poucos fui começando a sentir uma sensação mais agradável que foi crescendo gradativamente até culminar em espasmos e meu corpo tremer completamente e eu soltar gemidos qua até então eram desconhecidos para mim, estava gozando com o cacete do meu Padrinho atolado dentro de mim, estava gozando com um macho maduro me possuindo, na mesma hora me veio a imagem do Cavalo cobrindo a égua e nisso meu Padrinho começou a bombar com mais vigor e meu suco vaginal facilitou a penetração.

O barulho do seu corpanzil batendo no meu ventre e o entra e sai de sua pica, grande dura e grossa na minha bocetinha esa muito gostoso, foi quando ele enterrou seu pau fundo na minha buceta acelerando as estocadas até gozar urrando:

– Toma éguinha, toma o leite do seu cavalo dentro de você potrinha!

E senti minha bocetinha que até então era virgem, ser alagada por alguma coisa que não sabia o que era e quando ele parou de bombar soltou o peso do seu corpo sobre o meu me beijando a boca disse:

– Arranquei o cabaço da minha Potrinha!

Ele saiu de dentro de mim e se deitou do meu lado.

Levantei para ver como ela tinha ficado e me assustei pois estava com as coxas ensanguetadas e um liquido branco grosso saia abundantemente de dentro da minha rachinha me assustei e falei:

– Padrinho estou machucada, me ajuda!

ele levantou e olhou dando risada falando:

– Fica tranquila potrinha, o sangue é do cabaço que você acabou de perder e o branquinho é o leite de macho que depositei dentro de você.

Ai fiquei mais tranquila, me deitei ao seu lado apoiando a minha cabeça no peito dele sabendo que aprenderia muito com aquele homem.