A vizinha de 75 anos… Quem diria?



Click to Download this video!

– Sr. Marciooooo.
Escutei o grito de D Ivone, era um domingo, 22h. Minha querida vizinha e moradora a anos do lado esquerdo da minha residência. Ela tem quatro filhos, todos casados, e um neto (Paulinho) da sua caçula, mãe solteira, que decidiu ir morar com um rapaz. Paulinho quis continuar morando com a avó. D Ivone, viúva, ficava sozinha em casa a maior parte do dia e muitas vezes a noite, afinal Paulinho cresceu e como todo jovem ativo, estudava, trabalhava e saia com os amigos.
Neste domingo, ela me chamava, pois um joelho de pvc da tubulação da pia tinha rachado e estava inundando sua cozinha. Lá fui eu com as ferramentas ajudá-la.
D Ivone, nervosa e sozinha, já com o peso da idade, 75 anos, era uma morena, pele escura, cabelos grisalhos, magra, enfim, não tinha nada que atraísse um homem ao tesão, e, eu mesmo, em todos esses anos nunca tinha reparado ou notado nada nela, até este dia.
Eu de short e sem camisa, sentado embaixo da pia e arrumando a tubulação e ela nervosa e com um rodo e panos iniciando a secagem da sua cozinha, foi quando eu olhei, ali sentado, a D Ivone com uma bermuda de lycra branca, justa, de camisa fina escura, com a sua bunda bem perto de mim…reparei que ela tinha uma bunda empinada e suas pernas eram até lisas e, acreditem, quase sem varizes ou estrias…inacreditável, pensei eu.
Bem, terminei o reparo e ela, para me agradar me ofereceu um café, suco, biscoitos, essas coisas…aceitei e ali ficamos conversando. Como éramos vizinhos de muito tempo e sempre nos demos muito bem, tínhamos uma certa intimidade (em algumas situações sempre procuramos ajudá-la, minha esposa e eu – ah! eu sou casado). Ela, por si, vez por outra sempre tinha um bolo, um doce e outras iguarias para nos oferecer. Éramos bons vizinhos, um do outro.
Bem, voltando a conversa e depois de ela ter se acalmado e secado a cozinha, conversávamos sobre vários assuntos, até que eu a elogiei “Pô D Ivone, a senhora tá inteirona, não arranja um namorado?”…para minha surpresa, ela me disse: “Ah! pra quê? Não quero compromisso, hoje em dia gosto de curtir por uma noite ou ocasiões”…Então eu disse: “Hummmm a senhora tem seus momentos, né?”…ela: “claro, tô viva Sr. Marcio”…
Não sei porquê mas logo me veio a maldade na cabeça. Será? E como estava só de short e sem cueca, comecei a levara conversa mais a sério…”D Ivone, nunca tinha reparado, mas hoje vi que a senhora tem um corpo bonito, uma bela bunda e pernas lisas..parabéns”. Ela se levantou, deu uma rodada e me perguntou: “gostou?”…caímos na gargalhada…até que ela completou: “O Sr. também é um cara bem aparentado, homem sério, trabalhador, honesto, e apesar de casado deve ser muito cobiçado” (tenho 45 anos, e um cara comum, também nada de mais). Foi quando eu me levantei e fiquei de frente pra ela e perguntei: “gostou também?”…não é que me olhou de cima embaixo e disse: “deve ser uma delícia”…Aí meus amigos, nessa hora o pau latejou no short e começou a crescer e eu deixei ela perceber…ela ficou olhando…dei uma alisadinha na cabeça do pau com mão por cima do short e ficamos em silêncio&#8 230;eu alisando a piroca e ela olhando…senti na sua expressão que estava gostando e comecei então a instigá-la…peguei na mão dela e botei em cima do meu pau..ela alisou, apertou e botou pra fora…ajoelhou e começou um boquete gostoso…a piroca dura e ela mamando, cuspindo (a velha sabe chupar), passando a lingua no saco….levantei D Ivone, tirei sua bermuda, sentei-a na mesa e afastei a calcinha e comecei a sugar sua boceta, mordiscando o clitoris, lambendo tudo…ela gemia e dizia: ” Ah Sr Marcio que loucura é essa?”…. Não tinha mais como pararmos. Tirei por completo a calcinha dela e direcionei o pau para fudê-la. A pica deslizou pra dentro e comecei a socar a vara naquela coroa, fogosa, safada, que se arreganhava toda para ser fodida…quanto mais eu socava, mais ela me apertava com as pernas pra dentro dela, e ainda, se mexia toda na cintura fazendo a piroca vasculhar todo o interior daquela boceta gostosa.
Num deetrminado momento de xingamentos mútuos naquela foda, eu disse, sem esperar por um sim: ” Me dá esse seu cuzinho velha safada e puta”…Ela, suspirou: hummm que delícia, mete nele, mete”.
Virei ela de costas, arranquei agora a sua blusa, botei uma perna dela em cima da mesa, agarrei ela por trás e comas mãos nos seus peitos, fui enrabando a coroa…ela rebolava, ajeitando o pau no seu cú. Eu sentia o cuzinho arregaçando e entalei até o saco o pau no cu daquela velha puta. Soquei muito naquele cu, tirava, botava, dava pra ela chupar, botava no cu de novo, tirava, botava na xota, dava pra ela chupar….enfim ficamos umas meia hora metendo…Já estava querendo gozar…ela me disse: “Ai Sr Marcio, já gozei umas 03 vezes”…Eu disse: “vou gozar”…rapidamente ela se ajoelhou e pediu…”esporra na cara dessa velha, quero porra pra minha pele”…gozei pra caralho…um jato no olho esquerdo, outro no nariz, outro no pescoço e o útlimo, mais fraquinho, abri a boquinha dela e encostei a cabeça na sua lingua e deixei a porra lá…ela lambeu os lábios e engoliu…que velha safada…
Ela se levantou, pegou o rolo de toalha de papel e nos limpou…vesti o short e ela as suas roupas…me despedi, e na porta, ela me disse: “que delícia, eu sabia”.
Bem, de vez quando tenho que ir lá socorrê-la. Muitas vezes, durante a semana, antes de sair para o trabalho, as 5 da matina, ela deixa a porta encostada e eu entro e dou leitinho pra ela. Nossa amizade continua, minha esposa não sabe de nada e a velha agora tem uma piroca quando precisa e eu vou gozando nela toda e dando prazer pra ela..
Valeu….???