Incesto Mãe e Filho



Click to Download this video!

Tenho lido relatos eroticos variados, e o que aconteceu comigo resolvi relatar tambem, claro não vou citar nomes reais nem a minha cidade de repente alguem pode ler e ligar os fatos a mim, então por questão de sigilo prefiro omitir, e depois de ler varios contos de incestos criei coragem pra escrever o meu relato.

Sou uma mulher de 42 ainda muito bonita segundo me dizem os que me elogiam, casei-me bem jovem tinha apenas 17 anos porque engravidei do meu namorado que veio a ser meu marido e tive um filho, unico eu e meu marido não tivemos mais filhos porque já desde casados de novo não tivemos uma convivencia muito harmoniosa, tanto que vivemos 8 anos juntos e nos separamos, eu já tinha 25 anos e meu filho 8, depois de alguns tempo que separei-me me casei novamente com meu atual marido, porem cerca de uns 5 anos atraz ele arranjou um serviço do qual precisa viajar quase que direto, eu sempre digo que sou viuva de marido vivo, é meu filho que me faz companhia na ausência dele

Sempre criei meu filho de uma forma liberal, quando pequeno ele e eu tomávamos banho juntos, isso ele até certa idade até que ele se tornou um adolescente, por isso já não acontecia banhos juntos os dois nús, mas mesmo assim acostumamos com liberdade onde as vezes eu circulava a vontade só de calcinha e soutiem pela casa antes ou após um banho e as vezes também eu ajudava a esfrega-lo quando ele ainda era mais novo, eu ficava nesses trajes porque normalmente depois que eu me molhava eu ia tomar banho também e devido a essa intimidade natural de família em casa não tínhamos muitos pudores eu falava de sexo abertamente com ele na maioria das vezes para orienta-lo, quando eu ia rocar de roupa por exemplo, eu andava de camisão e calcinha na frente dele, outras vezes só de calcinha e soutiem, mas não ficava mais nua porque ele tinha crescido, já estava com 14 anos apesar de eu ser mãe…. ele já estava na puberdade é claro que eu tinha de me preservar mais, mas andar em trajes íntimos eu não via nada demais porque sempe andei assim pela casa.

Uma vez quando ele tinha 16 anos peguei ele com uma namoradinha transando na minha cama, dei meia volta e fui pra cozinha deixei os dois lá, logo em seguida ele veio a mim todo sem jeito, então eu lhe falei que ficasse tranquilo que era normal, mais tarde eu em conversa com ele falei que ele se cuidasse que deveriam usar camisinha, tanto pra prevenir de doenças como de uma gravidez indesejada da garota etc e tal.. e dei alguns conselhos pra ele mas não interferi..

Ele cresceu nesse ambiente e já tinha se tornado um homem, mas pra mim era sempre meu menino, ele já tinha 18 anos e eu 37, as vezes conversava sobre as namoradinhas dele, eu insinuava que ele sendo um rapaz bonito deveria ter muitas meninas interessadas, e ainda brinquei meu garanhãozinho deve pegar todas, foi então que ele respondeu… namoradinhas.. eu prefiro mulheres mais velhas e experientes, faz um breve silencio e completou… mulheres como você por exemplo, eu me surpreendi com essa declaração, deduzi que ele se referia a outras mulheres e não a mim mas não entrei em detalhes.

Só depois dessa declaração dele passei a notar que quando eu estava em trajes menores ele me olhava como homem e não de filho, mas mesmo assim eu achava que era impressão minha, um dia quando eu sai do banho e fui pro meu quarto só com a toalha enrolada nem fechei a porta como de costume, soltei a toalha no chão eu estava nua quando vi que ele estava a porta em pé me observando, apesar de quando ele era pequeno tomávamos banhos nus juntos mas agora fiquei sem jeito,, peguei a toalha enrolei-me de novo, foi quando ele comentou nossa mãe que corpão você tem…. não sei porque você se cobriu, já vi seu corpo tantas vezes que por sinal é muito bonito, agora é minha vez e dizer que deve ter homens babando pela gostosa minha mãe, eu mesmo se não fosse filho provavelmente eu já teria te pegado e a gente teria ficado…, essas palavras mexeram comigo mas interpretei como elogio, jamais eu imaginaria que meu filho me desejava como mulher, meio sem jeito eu coloquei a roupa e depois fomos jantar.

Depois desse episódio passou algum tempo, quando eu fui fazer compra num hiper-mercado, era verão e eu estava vestida com um vestido de verão bem leve que realçava meu corpo, foi quando vi um garoto de uns 18 anos mais ou menos, fazendo compras sozinho, acho que ele tinha praticamente da idade do meu filho, alias até o porte físico era semelhante comecei a observa-lo mais atentamente, ele percebeu que eu o olhava mas disfarcei e continuei a minha compra, mas notei que ele me deu uma secada de cima abaixo, como eu já estava com o carrinho cheio me dirigi ao caixa… me distrai colocando as compras pra passar, quando percebi eis que ele estava na mesma fila atras de mim agora era a vez dele me olhar, fiquei desconcertada, orque quando eu baixava pra pegar as compras no fundo do carrinho, a parte traseira do meu vestido levantava deixando boa parte as minhas coxas a mostra, e ele disfarçadamente não perdeu tempo, depois que passei as compras comecei pegar as sacolas todas pra ir até o carro, foi então que ele já tinha passado a compra dele também que era dois ou três itens, tipo chocolate salgadinhos… como eu estava cheia de sacolas ele se ofereceu pra me ajudar a levar até o carro, eu disse que não precisava coisa e tal mas ele insistiu em ajudar e eu acabei aceitando a sua ajuda.

Chegando ao carro agradeci e perguntei pra onde ele ia, quando ele falou o lugar como era para o mesmo lado que eu iria o minimo que eu podia fazer era oferecer uma carona eu ofereci carona ele prontamente aceitou chegando ao meu condomínio falei pra ele que morava ali, ele disse que não morava longe, que ficaria ali mesmo, então entrei, novamente ele se ofereceu para ajudar a levar minhas sacolas até meu apto, até ali eu não vi nada demais aceitei, mesmo porque ele já tinha me ajudado no mercado, era normal e eu precisava mesmo quando cheguei ao meu apto, como agradecimento ofereci-lhe um cafezinho, ele aceitou e notei que ele não tirava os olhos de mim, percebi que ele me comia com os olhos, e aquela situação mexeu com meu libido, me lembrei que meu filho tinha falado alguns dias antes elogiando meu corpo, fiquei envaidecida por estar sendo desejada por um garoto que poderia até ser meu filho.

trouxe-lhe um cafezinho e assentei no sofá na frente dele, quando cruzei minhas pernas percebi que seus olhos brilharam ao ver minhas coxas parcialmente, notei que um volume se destacava na sua calça imediatamente passou em minha cabeça uma sensação de ser desejada, excitei-me, molhei minhas calcinhas só de pensar, era uma situação inusitada, proibida afinal ele poderia ser meu filho, conversamos um pouco quando ele me perguntou do meu marido então lhe disse que o trabalho dele exigia que viajasse bastante e ficava semana toda fora as vezes mais de uma semana e que vivia praticamente sozinha com meu filho, perguntou então onde estava meu filho, respondi que tambem estava trabalhando e só voltaria mais tarde, acho que depois dessas informações algo passou pela cabeça dele, então estamos só nós dois sozinhos aqui?? Respondi que sim, e percebi que ele mudou o semblante deu uma risadinha marota e foi mais ousado e disse, voce sendo uma mulher bonita não tem receio de estando sozinha receber um cara estranho no seu apto? Percebi que ele estava me cantando, ele estava ali vendo a oportunidade de uma transa comigo, desconversei e dei uma risada e disse, acho que não tem problema, sei me cuida, alem do que meu faro me diz que vc é uma boa pessoa, e não corro riscos… ou será que corro?

Eu ainda sentada ele falou, já lhe disseram que vc alem de bonita é muito gostosa !!
Isso me envaideceu mas e eu cortei a conversa por ali, e falei está na hora de vc ir?
Ele então se levantou e eu levantei-me também dirigimos até a porta, estávamos nos despedindo quando ele aproximou-se de mim pra dar um beijinho na face de despedida, eu inclinei-me pra ele e ele beijou minha face, quando eu achei que era só isso, e num movimento inesperado ele segurou minha cabeça e beijou minha boca, senti as pernas bambas, fiquei sem ação, ms aquela situação mexeu comigo, acabei deixando rolar, eu estava beijando um rapaz da idade do meu filho de quem eu nem sabia o nome porque não tinha perguntado nem ele sabia o meu, ele empurrou-me pra dentro novamente e fechou a porta, quando afastamos nossa boca eu falei pra ele que não podia, que ele deveria ir embora, mas disse-me, vc não gostou? Eu não respondi, fiquei calada como quem cala consente ele tomou a iniciativa, abraçou-me e beijou-me de novo, dessa vez a carne falou mais forte e me entreguei, logo nossas línguas que já estavam uma dentro da boca do outro brigando entre si, em pouco tempo ele já
estava tirando meu vestido e eu ali passiva deixando acontecer, eu não me reconhecia estava submissa mesmo porque meu marido estava viajando fazia duas semanas eu estava sem transar nesse tempo todo e estava acesa porque aquele garoto estava mexendo com meu libido, eu sabia que ele queria me comer e que naquele momento eu á estava acesa e não queria voltar atras, e eu ia experimentar um pinto novo, jovem cheio de tesão a minha disposição eu estava louca de tesão, quando ele tirou meu vestido fiquei só de calcinha porque já estava sem soutiem, logo estava sem calcinha também porque ele tirou com uma certa violência quase rasgou ela, eu estava ali passiva a espera daquele macho pra entrar dentro de mim, abraçados e beijando ele me deitou no tapete da sala que era bem felpudo, abaixou sua calça até o joelho e posicionou no meio das minhas pernas e como é natural nessa idade não teve preliminares, ele socou toda aquela vara dentro de mim enquanto me abraçava forte ele metia num movimento forte de vai e vem aquele pau gostoso enfiando na minha xana toda encharcada que não oferecia resistência e apesar da brutalidade e da falta de experiencia dele foi muito bom, eu gozei só pelo fato de ter um pau diferente de um garoto que eu nem sabia seu nome enfiado na minha buceta, minha adrenalina foi a mil depois mudei de posição em vez de papai e mamãe fiquei de 4 e falei-lhe para que ele me comesse assim, mesmo porque eu adorava um anal ele socou aquela vara em meu traseiro em movimentos continos de vai e vem, eu já tinha gozado duas vezes ainda estávamos transando

quando de repente abriu a porta, eis que meu filho entra e pega-nos pelados e ele encaixado em mim com o pau enterrado na minha bunda, não é preciso nem dizer a vergonha que eu passei, o garoto se vestiu rapidamente e saiu, nunca mais o vi, e eu nem tinha como explicar minha atitude, então nem falei nada, me cobri com as roupas e fui para o banheiro fechei a porta e tomei um banho, só pensando no que eu diria pra ele devido aquela situação.

Após o banho dirigi ao meu quarto, coloquei a calcinha e o roupão por cima e fiquei deitada na cama olhando fixamente pra cima porque ainda não tinha coragem de encarar meu filho de novo, foi quando ele entrou em meu quarto, e eu instintivamente comecei a me explicar que foi um momento de fraqueza, ele então assentou-se ao meu lado e disse, pode ficar tranquila mamãe seu segredo fica entre a gente, não vou contar nada para o Dinho (Dinho era meu atual marido), dizendo isso ele abriu meu roupão e passava a mão pelo meu corpo por baixo num movimento sutil, mesmo assim eu continuava tentar explicar, pelo que meu filho me falou, para mãe, você é uma mulher jovem, tem um corpo muito bonito, todo homem que te vê te deseja tenho certeza disso, até eu que sou filho já toquei umas punhetas em sua homenagem… quando ele disse isso fiquei sem chão, não sabia onde enfiar a cara, fiquei mais surpresa ainda quando ele começou a alisar meus seios e brincar com os biquinhos, tentei tirar sua mão dali mas ele insistiu naquelas caricias, começou a alisar minha barriga e logo começou a brincar com meus pelos pubianos, percebi onde ele queria chegar e vi que não ia dar certo aquilo não ia prestar.

Notei que ele estava de pau duro, eu falei… filho… melhor me deixar sozinha, mas ele foi incisivo e falou, seu segredo está guardado mas não vou sair (senti uma chantagem),e completou, ver você transando com aquele carinha quando entrei me deu o maior tesão, e falando assim enfiou a mão dentro da minha calcinha essa situação era constrangedora porque ele era meu filho mas ao mesmo tempo excitante, eu poderia ter dito não e arcar com as consequências mesmo se ele resolvesse contar ao meu marido mas acho que fui covarde naquele momento e que quando ele começou a masturbar-me eu pela excitação do momento fiquei melecada e ele percebeu e falou eu sabia que você alem de mãe é a maior gata e uma mulher fogosa, e por isso eu quero transar com você e falando isso tirou minha calcinha, novamente eu estava numa situação difícil meu próprio filho queria me comer, do mesmo jeito que o outro garoto tinha me comido e confesso que isso me deixou excitada, porque depois de anos de casada sem nunca ter traído nenhum dos meus dois maridos, nem sai com outro homem quando me separei do pai dele e casei com o Dinho, eu ia pela primeira vez sentir duas picas diferentes que não era a do meu marido, apesar de uma delas ser do meu filho isso era imoral, mas não tive coragem de reagir, não sei se pelo medo ou pela excitação.

Meu filho então abriu minhas pernas e se posicionou, mesmo porque eu estava ali passiva sem ação sendo chantageada e comida contra minha vontade mas era um sacrifício necessário pra manter o meu casamento, eu só não entendia porque meu filho um garoto que teve varias namoradas e transado com todas, porque ele queria transar comigo também que era sua mãe, apesar de na minha mente eu achar errado deixei acontecer, foi então que ele beijando meu pescoço e chupando meus seios falava, mamãe, sempre que a via só de calcinha andando pela casa ficava imaginando o Dinho te comendo toda a noite e eu tocando punheta cada vez que ouvia seus gemidos, mas hoje não vou precisar tocar punheta, e falando isso meteu a sua rola na minha buceta só então eu percebi o tamanho da vara do meu filho, era bem maior e mais grossa que a do meu marido e maior que a do garoto o qual eu tinha transado a pouco, chegou até a incomodar um pouco, mas logo se ajeitou na minha xana e começou a bombar freneticamente.

Confesso que a minha adrenalina estava muito alta, ao mesmo tempo que eu estava fazendo o proibido, quebrando o tabu eu estava gostando, ele bombava forte com toda a virilidade dos seus 18 anos e eu uma mulher no auge dos seus 37 anos esqueci que era meu filho e acabei curtindo o homem, não demorou muito eu gozei e ele gozou também enchendo-me com seu esperma que chegou a escorrer pelas coxas, quando pensei que tinha acabado ele falou-me, que queria me comer de quatro, queria comer meu cuzinho como ele tinha visto aquele rapaz comendo-me quando chegou, falei que o membro dele era muito grande e grosso e eu não aguentaria, mas ele insistiu que queria que era tarado por um sexo anal etc e tal … então eu mesmo protestanto me coloquei de 4, ele posicionou seu pau na minha

bunda, tentou me penetrar mas eu dei um urro e cai pra frente na cama e falei pra ele que o pau dele era grosso demais que tava doendo, falei pra ele parar que ele já tinha gozado na frente, mas ele foi insistente então pedi pra ele passar um gel que eu tinha na gaveta e eu ia tentar mas se doesse ele teria que parar…ele concordou lubrificou bem, enfiou um dedo até que se posicionou novamente eu até ajudei pra encaixar melhor, ele forçou a cabeça contra a portinha do meu cuzinho e deu uma forçada quando entrou a cabeça doeu pra caramba pensei em desistir mas ele tava agarrado na minha cintura e não me deu chance dessa vez de tirar da reta, então pedi pra ele ir devagar, ele aliviou a pressão falei pra ele que deixasse que eu tentasse me acomodar, e fui fazendo leve pressão até que eu senti que tinha entrado a metade, comecei a rebolar no pau dele e isso o levou a loucura, até que ele perdeu o controle e enfiou tudo duma vez, eu vi estrelas naquele momento, estava sendo enrabada pelo bem dotado do meu filho, mas não tinha como voltar atras, então senti que ele começou a bombar, apesar da dor logo me acostumei com a grossura do volume do pau dele até que ele gozou, mas dessa vez eu não gozei, a dor era maior.

Depois dessa experiencia como o padastro dele viajava sempre ele passou a dormir na minha cama de vez em quando, alias sempre que ele queria aliviar sua tensão, ou seja transar comigo, e essa pratica passou a ser rotineira entre eu e ele, já achávamos normal, sem culpas ou remorsos de estarmos praticando o incesto segundo as leis da sociedade, ensinei ele como deveria tratar uma mulher, como agir nas preliminares, ensinei-lhe como chupar uma mulher, e nas nossas transas eu sempre chupava ele e ele adorava.