Me vinguei do Meu marido e minha irmã com 5 estupradores



Click to Download this video!

ME VINGUEI DO MEU MARIDO E MINHA IRMÃ COM 5 ESTUPRADORES
Olá, vou me apresentar aqui como Dayse, tenho 37 anos e casada a 22, pele branquinha, e modéstia a parte sou muito bonita de rosto e de corpo apesar de já ter 2 filhos 21 e 19 anos, pois desde menina que faço academia no mínimo 2:hs por dia, pois bem como devem ter notado me casei muito cedo com pouco mais de 16 anos de idade, na verdade engravidei do meu primeiro namorado que é 12 anos mais velho do que eu que aqui vou chamar de Eduardo, o que na época deu um maior reboliço e fomos obrigados a casar, mas não me arrependo pois vivo muito bem, meu marido é um empresário bem sucedido, o problema que adoro sexo e como não tive outras experiências sexuais, ou melhor não tinha, vivia muito reprimida, tinha uma vida sexual ativa com meu marido, porém muito trivial, e por isso nem sempre ficava saciada, para ter uma ideia até o sexo oral era limitado, por exemplo ele nunca gozou na minha cara e nem na boca, muitas vezes depois de transarmos eu ia no banheiro enfiava o dedo na buceta melava de sua porra e colava na boca pra sentir o gostinho de porra e com a outra mão batia uma siririca pra poder gozar, no cu nem um dedinho eu ganhava só o meu, uma vez em tom de brincadeira falei que sonhei que transava com ele e outra mulher, quase que ele teve um troço imagine com outro homem, e assim eu conformada ia levando a vida, visitando sites de vídeos pornô batendo minhas siriricas e imaginado vivendo aquelas situações dos vídeos. Mas tudo mudou recentemente, tenho uma irmã que é 14 anos mais nova e tão linda quanto eu apenas um pouquinho mais baixinha, tenho 1,69mts e ela 1,65mts olhos claros peito fartos (chamaremos de Manuela), cintura fina e bunda redonda, que mora comigo desde que tinha 10 anos criada junto com meus filhos como se fossem irmãos por mim e meu marido, certa vez notei que ela vinha ganhando muitos presentes e coisas de valor e numa conversa franca com ela perguntei se era garota de programa, ela disse que não que estava tendo um caso com um homem mais velho e casado, que eu não me preocupasse que iria apenas aproveitar um pouco o velho babão, rimos um pouco e a conversa foi mudando de assunto, um dia passando em frente ao quarto dela ouço ela no celular e noto pelo tipo de assunto que ela estava falando com seu coroa, e que o mesmo tinha uma surpresa pra ela, ela insistia pra ele dizer mas ao que parecia ele estava relutando e marcaram de se encontrar mas tarde, naquele dia quando estou voltando da academia passo justamente no local onde haviam marcado o encontro, como a curiosidade era grande parei meu carro num ponto estratégico em que podia ver sem ser notada e fiquei esperando pra ver quem era a pessoa que iria se encontrar com ela, passado pouco mais de 5 minutos vejo um carro parando e de imediato reconheço, era o meu marido, fiquei sem ação, mas depois do susto passado peguei o carro e fui atrás deles, com cuidado para que não notassem até entrarem num motel, o desgraçado nunca tinha me levado num motel, dizia que tinha nojo dos lençóis e isso e aquilo, fiquei ali sem saber o que fazer, pensando na situação, voltei pra academia pois enquanto malhava sempre pensava melhor, uma coisa eu sabia, não queria perder o meu marido, meu conforto minha família a vida que eu levava pra aquela putinha, tinha que acabar com aquilo e me vingar de alguma forma dos dois, perdida em meus pensamentos se aproxima de mim um rapaz que malha na academia e que vive me cantando, aliás, dá em cima de todas as mulheres da academia, vou aqui chama-lo de Guto, um tipo canalha, bandido barra pesada, um verdadeiro chá de cadeia, mais muito bonito, sarado, desses que acham que seu o corpo é o mais bonito e perfeito do mundo, que vive se olhando no espelho, e o pior é que ele é gostoso mesmo, o caráter não vale uma ervilha mas é deixar qualquer mulher sonhando, eu mesma já dei muito para o meu marido imaginando que era ele, ele senta na bicicleta ao meu lado e vem com suas gracinhas “você hoje tá matando, chega a ser um pecado tudo isso para um homem só” embora eu não dê liberdade ele é do tipo que não respeita ninguém, canta todas na maior cara de pau, e comigo o atrevimento sempre foi maior, eu tinha até medo de um dia ser atacada por ele, mas nesse momento tive uma ideia, parei de pedalar, empinei mais a bunda no assento da bicicleta e com um sorrisinho bem sacana falo que tenho uma proposta pra ele, olho ao redor vejo a turminha dele um pouco mais afastada com sorrisinhos na cara esperando que eu dê aquele velho fora que sempre, mais ao contrario disso dou uma piscada de olho pra eles e mando um beijinho, ficam todos com cara de espanto e digo a Guto que a proposta era pra ele é seus amigos e que rolava uma graninha legal, ele já curioso pergunta qual é o lance, então explico que quero me vingar de minha irmã e meu marido que estão tendo um caso, quero ser currada junto com minha irmã pelos 5 na frente do meu marido, ele espantado pede pra eu confirmar se ele tinha escutado direito, que eu iria lhe pagar pra ele e os 4 amigos me comer junto com minha irmã, tento fazer cara de ingênua e digo que sim isso mesmo, e ainda espantado me pergunta quanto, quando e como, eu lhe digo que em breve que deixasse que iria providenciar tudo, combino o valor com ele que aceita de imediato, e já se achando dono da situação tenta me tocar, o que dei um freio na hora, disse-lhe que me aguardasse e poderia fazer comigo tudo o que quisesse mas ali eu tinha que manter o respeito. Ele balançou a cabeça dizendo tudo bem, me fitou por um bom tempo como se estivesse analisando cada parte do meu corpo e foi ao encontro dos amigos que após um zum zum zum me olharam sem acreditar no que o amigo havia dito, aproveitei pra provocar um pouco mais e passei a língua nos lábios vagarosamente e mandei outro beijinho pra eles, saí dali rapidamente antes que eles se empolgassem demais e me pagassem ali mesmo, fui pra casa arquitetando tudo, na verdade confesso que havia visto isso num filme pornô onde um cara presenciava a esposa e amante sendo violentadas, cheguei em casa agi normalmente, mas tarde quando minha irmã chegou dei uma de inocente e perguntei porque ela estava tão radiante, então me disse que teve uma tarde de muito sexo com o seu coroa e me mostrou o anel que ele havia lhe dado, confesso que tive que ter muito sangue frio pra não voar no pescoço dela, aquela puta safada estava me roubando em todos os sentidos, mas disfarcei e me segurei, a família toda chegou inclusive meu marido, jantamos e quando fui dormir meu marido partiu pra cima de mim com uma sede daquelas, então reparei que ultimamente ele estava me procurando com mais frequência e com mais pegada, embora ainda fosse aquele sexo digamos tradicional, mas puxando pela memória notei que era nos dia que eu achava que minha irmã se encontrava com seu amante, e percebi que aquela puta estava fazendo bem ao meu casamento, mas nem por isso iria deixar barato, passado uns dias num final de semana que meus filhos não estariam com agente pois iam viajar com as namoradas, então achei perfeito e sugerir ir nos 3 para a nossa casa de praia, o que foi de imediato aceito, procurei o Guto e acertei tudo, e entre muitos detalhes pedi duas coisas, uma que fossem mascarados e usassem camisetas de manga pois como eram tatuados podiam ser reconhecidos, não queria que meu plano fosse descoberto por nada, e outra coisa é que poderiam fazer tudo comigo e minha irmã menos que nos obrigassem a transar uma com a outra, apesar de ser uma das minhas fantasias eu não queria que fosse com minha irmã, pelo menos naquele momento.
Chegado o final de semana, partimos na sexta feira a tarde, a noite saímos pra jantar em um restaurante no centro, e quando cheguei em casa disse que iria tomar um remédio e dormir pois achava que o vinho que bebi tinha me dado dor de cabeça, me despedi dos dois que continuaram conversando na varanda, fingi tomar o remédio e me dirigi ao quarto, já imaginando o que iria acontecer vi quando meu marido chegou no quarto para conferir se eu estava dormindo, fingi que estava num sono profundo, ele me cobriu fechou a porta e desceu as escadas, então me levantei e bem devagar abri a porta e fiquei escondida no alto da escada para ver o que já esperava, eles estavam deitados no tapete da sala no maior amasso, ela com a saia levantada e a calcinha na canela e ele com o calção arriado, enquanto ele enfiava os dedos com vontade em sua buceta ela batia uma punheta em seu pau, em seguida mudam de posição e ficam no velho 69, após alguns minutos ela gemendo baixinho diz que está gozando, então ele se levanta coloca ela de joelhos enfia novamente o pau em sua boca e começa um vai e vem frenético, ela se engasga um pouco ele dá uma paradinha e novamente começa a socar ela com a vara, ela começa a massagear o saco dele, ele anuncia que vai gozar e segura a cara dela impedindo que ela tire o caralho de sua boca e goza alucinadamente, eu não sabia o que sentia se raiva por ele fazer aquilo com ela e nunca comigo ou tesão pelo que tinha visto, o certo é que vendo aquela a cena fico com as mãos dentro da calcinha alisando minha buceta e mesmo sem gozar saio de fininho pra não ser percebida e vou para o meu quarto, passado um certo tempo meu marido chega no quarto eu fingindo um sono profundo estou descoberta com a bunda pra cima, ele se aproxima tira minha calcinha e me pega por traz enfiando aquela vara em minha bucetinha que estava toda molhada, não sei como ele não se tocou disso ou então achou que era seu pau que ainda estava melado o certo é que ele enfiou de uma vez sem dó e sem piedade ficou ali socando até gozar me enchendo de porra e depois caiu de lado pra dormir, eu fingindo está acordando olhei pra ele e disse “Homem o que foi isso, tava na seca foi?” dei um beijinho no rosto dele e me virei para dormir, é realmente minha irmã estava ajudando o meu casamento. Na manhã seguinte ao tomarmos café os dois agiram normalmente, eu disse que iria ao centro e perguntei se alguém queria vir comigo, cada um deu uma desculpa esfarrapada então disse que só voltaria no final da manhã, peguei o carro do meu marido pois tínhamos ido num carro só e sai, dei um tempo e estacionei o carro a uns 800mts da casa e voltei a pé pois sabia que aproveitariam da minha ausência para treparem, abri o portão devagar, verifiquei se realmente estavam dentro de casa, e fui entrando com cautela, subi as escada procurando em qual quarto estariam e vi que estavam no meu quarto com a porta aberta talvez para facilitar se eu chegasse de repente teriam como escutar o barulho do carro, o cretino estava comendo minha irmã em nossa cama, procurei um lugar em que ficasse segura e sem ser vista então fiquei na porta do quarto dos meninos que era ao lado do meu, a posição não era muito privilegiada mas dava pra ver alguma coisa e ali onde estava tinha como eu correr pra dentro do quarto e me esconder, depois de bem instalada fui reparar na cena, ela estava sentada em cima dele cavalgando em seu pau enquanto ele mamava em seus peitos, como achava que estavam só não se importavam e ficam falando coisas obscenas um com o outro, depois de um tempo ela sai de cima dele e começa a chupar o caralho dele enquanto ele fica tateando suas costa indo até a bunda e enfia o dedo que a principio na posição que estava não dava pra ver se era na buceta ou no cu mas acho que era nos dois, então ele sai daquela posição e vai pra trás dela e nessa hora fui privilegiada pois na posição que eu estava deu pra ver claramente ele lambendo o cuzinho dela, deu umas cuspidinha no anel rosado, depois enfiou o dedo molhando bem aquele cuzinho, cuspiu na cabeça da pica e foi aos pouco enfiando nela, que ia rebolando ajeitando aquela pica, que não era nada de extraordinária mas também não era pequena em seu rabo, depois de toda enfiada então ele começou o vai e vem numa velocidade incrível, logo pensei filho da puta em mim nem um dedinho enfiava e estava ali na nossa cama deflorando a minha irmã, ela gritava que estava gozando e pedia pra ele gozar, encher a aquele cu de porra, ele ficava dando fortes tapas em suas nádegas que ela sendo muito branquinha ficava toda vermelha então ele segurou forte em suas ancas e anunciou que ia gozar, quando eu o vi tirando aquele pau todo melado de seu cú não resistir e sai dali fui direto para banheiro que fica próximo a piscina e bati uma siririca enfiando quase a mão toda no meu cu e na buceta até gozar loucamente. Depois de saciada fui saindo antes que me descobrissem e fui ao encontro de Guto que já estava na cidade a minha espera, eu precisava definir se ia adiante com os planos ou não, eu não sabia mais se deseja o estupro por vingança ou por excitação de transar com tantos homens, minha única preocupação era minha irmã, será que eu não estava pegando muito pesado com ela? Como ela ira reagir a tudo isso? Mas ao lembrar que ela vinha me fazendo de besta e ainda me mostrando as coisas que meu marido comprava pra ela, foi me dando a certeza do que tinha que fazer e meu marido ele tinha que ver e saber que eu sou uma mulher normal, gosto de rola como qualquer outra. Encontrei-me com o Guto no lugar marcado, traçamos os últimos acertos de como deixaria o portão e a porta destrancada, lembrei a ele sobre as mascaras e camisetas escondendo as tatuagens e principalmente que eu não iria transar com minha irmã e nem haveria nenhum tipo de violência com ninguém inclusive com meu marido, que podiam foder a vontade com agente, do jeito que quisessem, uma transa sem limites, que tentaria deixar minha irmã relaxada pra não sofrer muito mas que não tivessem pena e a comesse pra valer assim como a mim também, lhe entreguei o dinheiro agendamos o horário pra eles aguardarem já dentro do terreno e que enviaria um sinal pelo celular para o momento exato de invadir a sala, que não entrassem antes do sinal em hipótese alguma, quando já ia saindo ele me agarrou pelos braços e me deu um beijo na boca, levantou meu vestido e enfiou a mão dentro da minha calcinha, na hora levei um susto mas quem tá na chuva é pra se molhar não resistir e deixei ele me tocar, ao sentir meu grelo molhado (restinho da siririca que bati) pensou que era por causa dele e disse “nossa já está assim, você vai o estrago que vou fazer nessa delicia hoje, você vai adorar, faz tempo que foder com você não precisava nem pagar”, e entrando no clima o beijei na boca novamente enquanto ele enfiava logo dois dedos na minha buceta me dando uma tremedeira danada, fui no seu ouvido e sussurrei “estarei esperando e quero tudo que tenho direito pelo que paguei”, me soltei dele ajeitei o vestido sai dali com o corpo numa temperatura de mais de 40 graus, ao chegar em casa minha irmã estava ajeitando o almoço e meu marido dormindo na rede, era muita cara de pau, parecia que nada havia acontecido entre eles, subi para meu quarto e vi que estava sem cheiro de sexo, acho que minha irmãzinha limpou bem para eu não desconfiar de nada, a tarde correu normalmente sem nada demais, a noite preparei a janta com algumas coisas especiais que havia trazido do mercado, tomei umas taças de vinho e fiz questão que minha irmã bebesse comigo enquanto meu marido tomava o seu whisky, fiz uma brincadeira com minha irmã pra ver quem virava uma taça de vinho primeiro, eu estava nervosa tinha que beber pra relaxar e também deixar minha irmã mais solta, não queria deixar ela bêbada apenas um pouco mais leve, tive também o cuidado de não ficar bêbada mas aparentar que estava e depois de muitas risadas as 20:30hs na hora marcada com Guto, eu disse aos dois “sei que vocês estão transando, que o velho casado que você falou é o Eduardo, os dois ficaram surpresos e Eduardo quebrou o silencio dizendo que loucura era aquela, que eu tinha bebido demais e eu com a voz já meio séria disse que tinha seguido eles outro dia até o motel e tinha visto ela chupar ele ontem a noite e hoje de manhã ele comendo o cu dela, nessa hora disfarçadamente dei o toque para o celular de Guto para ele e os amigos invadirem a sala, entraram tão bruscamente que até eu me assustei, Guto me segurou colocando as mãos em minha boca para eu não gritar, outro segurou Manuela do mesmo jeito e os outros três foram pra cima de Eduardo jogando-o ao chão, depois de todos dominados Guto foi dizendo que tivéssemos calma que não machucariam ninguém, que tudo ficaria bem desde que nos comportássemos, colocaram eu e Manuela sentadas no sofá e amarrarão Eduardo com as mãos para trás sentado no chão no canto da sala, eu fingindo medo no meu papel de atriz disse que levassem o que quisessem mas não nos fizessem nenhum mal, Eduardo foi oferecendo o carro os celulares disse onde tinha dinheiro mas que nos deixassem em paz, Guto deu uma risada e disse “tenham calma não viemos roubar só queremos nos divertir um pouco” e mandou um dos rapazes amarrar um pano na boca de Eduardo e concluiu “meninas sejam boazinhas e tudo vai dá certo”, deixando claro o que eles queriam, Eduardo com a boca amarrada apenas murmurava, Manoela estava toda recolhida no sofá choramingando eu me aproximei ao seu ouvido e tentei lhe acalmar, dizendo pra ela não resistir a qualquer coisa que eles quisessem para não piorar a situação, que independente do que fosse acontecer que ela aceitasse para nenhuma das duas sair machucada, Guto também se aproximou alisando seu rosto e lhe disse “Calma princesa só vamos brincar, prometo que você vai gostar é só não complicar e relaxar” em seguida mandou verificar se Eduardo estava bem amarrado para não querer dá uma de herói depois de tudo pronto nos colocaram ajoelhadas e fizeram um circulo em nossa volta, baixaram seus calções e de imediato surgiram em nossa frente 5 pintos enormes de tamanhos diferentes, alguns ainda mole e outros quase duros, e começaram a punhetar e esfregar os pintos em nossos rostos, logo estavam 5 paus duros e enormes para serem abocanhados, eu ainda encenando meu papel de atriz fiz cara de nojo que não chuparia de jeito nenhum mas um deles me segurou pelos cabelos e enfiou o pau na minha boca dizendo “abra a boca sua puta e mama esse caralho com gosto”, naquela hora não tinha como ver Manuela apenas escutava seus soluços e choros mas pelo som também estava com uma vara lhe enchendo a boca, fechei os olhos pra aproveitar o momento, o caralho que estava em minha boca foi substituído por outro tão duro e grande como o primeiro, senti outras mãos rasgando meu vestido e outras tirando minha calcinha, depois alguém vindo por baixo de mim lambendo minha buceta, e quando aquela lingua tocou no meu grelo deixei de lado o restinho de pudor que restava arriei o corpo na cara de quem me lambia e comecei a chupar com todo prazer o caralho que estava em minha boca, na posição que estava não dava pra ver quem me chupava mas tinha certeza que era o Guto pela vontade como lambia minha buceta, abri os olhos tentando ver onde estava Eduardo mas não conseguia pela posição que me encontrava, olhei de lado e vi que Manuela já não chorava mais e que até já estava começando a gostar das linguadas que também recebia, eu era tocada de todos os jeitos os caralhos se reversavam em minha boca e de Manuela, parecia que umas duzentas mãos pegavam em meus seios de uma só vez, em certo momento em que Guto está sendo chupado por Manuela ele tira o caralho de sua boca vem para meu lado e deita-se no chão e me faz sentar nele, nossa aquilo foi uma loucura, tantas vezes transei com Eduardo imaginando aquele caralho, nesse momento lembro de Eduardo e o procuro na sala, vejo ele amarrado no canto da sala olhando pra mim e quando nossos olhos fitam um do outro, ele vira o rosto, foi demais pra ele me ver com um enorme pau na boca enquanto cavalgava em cima de outro caralho, aquela situação me excita cada vez mais, já nem pensava mais em Manuela eu estava é aproveitando cada centímetro de cada rola que recebia, eles ficavam me xingando de tudo que era nome mas eu nem prestava atenção no que falavam só queria a gozar, e comecei a gemer e a gritar me soltei de vez e acho que isso também excitou Manuela que também gemia porém de maneira mais controlada, e cada vez que eu olhava pra Eduardo ele virava o rosto não suportando aquela situação, e quando um dos rapazes foi ajeitando minha bunda para enfiar um pau nela, Guto que estava comendo Manuela manda ele parar e diz “Pare, venha comer a lourinha que eu vou pra essa, quero ser o primeiro a arrombar esse cu” e saindo de Manuela vem pra traz de mim, enfia seu pau em minha buceta, dou uma rebolada pra sentir melhor aquele caralho e depois de um tempo ele aponta para a portinha do meu cu e vai lentamente empurrando pra dentro, quando sinto aquele caralho me rasgando tiro o pau que está na minha boca mas o dono dele puxa meus cabelos dá uma cuspida em minha boca e enfia novamente o caralho impedindo que fale qualquer coisa, a dor vai se transformando num prazer incrível e aquele pau vai entrando como se não tivesse mais fim, quando sinto o saco e os pentelhos de Guto tocarem em minha bunda, vejo que já o alojei todo dentro de mim, Guto fica parado por um tempo para meu cu se acostumar com aquela invasão e em seguida começa o vai e vem, e novamente procuro olhar para Eduardo que ao contrario das outras vezes nessa ele não tira o rosto quando olho pra ele, pelo contrario está de olhos arregalados vendo aquela cena, eu fico lhe encarando rebolando ao máximo minha bunda pra receber cada pedacinho daquele caralho, olho de lado e vejo Manuela sentada num caralho com a buceta, com outro pau enfiado no cu e um pau em sua boca, quando novamente mudamos de posição, Eduardo deita de costas no chão eu vou sentando em cima dele enfiando aquela vara no meu cu novamente que a essa altura já o aceita sem preconceito e o rapaz que estava com o pau na minha boca vem pra minha frente e ajeita aquele pauzão na minha buceta, eu não resisto vou gozando a cada estocada que vou levando, Guto fodendo meu cu o outro fodendo minha buceta e mamando nos meus peitos, novamente procuro Eduardo que está hipnotizado vendo a mulher que ele tratava como santinha, que negava dá o prazer que tanto mereci sendo invadida ao mesmo tempo por duas rolas enormes, e ainda vendo ao meu lado sua putinha com três machos utilizando cada buraco dela, e mas mais uma vez mudam de posição e Guto diz aos três que estavam com Manuela, “venha pra cá vocês que agora vou comer o rabo dessa lourinha também” e assim fazem Guto e o outro que estavam comigo vão pra Manuela e os três vem pra me usarem, um enfia na buceta, outro no cu e o outro na boca, ficam fazendo o rodizio cada um num canto mas sempre me deixando com a buceta, o cu e a boca com uma rola, eu já estava pra lá de Bagdá quando Guto deixa Manuela e põe o pau em minha boca novamente e depois de algumas estocadas enche minha boca com sua deliciosa porra, no mesmo instante sinto um jato de porra inundando minha buceta, o que estava enfiado em meu cu acelera os movimentos e também goza me apertando na cintura com tanta força quase enfia os dedos em minha pele, todos caem de lado olho pra Manuela que também já havia terminado e ela vem em minha direção como se estivesse pedindo proteção e ficamos ali abraçadas, ambas meladas de porra por todos os lados, e os rapazes na maior algazarra rindo se vangloriando das trepadas que deram e dizendo que éramos duas putas deliciosas, que sabíamos foder pra valer e satisfazer a 5 homens ou até a mais de uma vez só, Guto se aproximou de nós e disse “tá vendo princesas foi só relaxar e todo mundo se divertiu” é quando um deles então diz “E o tio? que vamos fazer com ele?” nessa hora me deu um calafrio, por mais mal caráter que Guto fosse tínhamos combinado de não fazer qualquer tipo de violência com Eduardo, de repente me passou pela cabeça que poderiam querer enrabar Eduardo, puxa vida, iria estragar tudo, tinha sido tão gostoso, olho pra Guto o recriminado e ele me encara e diz “ é mesmo o tio nem participou da festa, arranquem a roupa dele”, tento uma reação para impedir mas Eduardo me segura, e em seguida diz “vocês duas vão lá e façam uma chupeta bem gostosa no tio” ufa! respirei aliviada puxei Manuela e começamos a mamar aquele pau que conhecíamos bem, no começo Eduardo estava tenso mas depois não resistiu aquele boquete duplo e seu pau logo endureceu, os rapazes iam fazendo a maior algazarra, e eu Manuela punhetando e chupando o pau de Eduardo quando sinto alguém me ajeitando pra me comer novamente, olho pra trás vejo que é Guto se alojando no meu cu e sussurra em minha orelha “acho que ainda tenho um pouquinho de porra pra encher esse cuzão” e enfia o pau de numa só vez me fazendo delirar, e dando tapas na minha bunda manda eu dizer que sou uma puta adoro chupar o pau do marido com outra rola no cu, e ameaça “diga senão vou encher sua cara de porrada”, então atendo seus pedidos fingindo está com medo mas na verdade estava me deliciando, vou repetindo tudo que ele pede pra eu falar, a essa altura já tinha outro também comendo Manuela novamente só não sei em qual buraco, Guto ia socando seu pau em meu cu cada mais forte, Eduardo quase em transe começou a gozar espirrando aquela porra entre meu rosto e de Manuela que em seguida deixa Eduardo pra se dedicar ao rapaz que estava lhe comendo até ele gozar, e eu pela primeira vez vou sentindo o gosto da porra do meu marido diretamente na fonte me deliciando com cada gotinha então Guto me segura com força pelos cabelos e goza em meu cu aos gritos de delicia.
Depois de certo tempo foram embora ficando só nós três analisando a situação, Eduardo queria que fossemos a delegacia prestar queixa, eu disse que eles não tinham roubado nada não iria pois não queria me expor, Manuela ainda estava assustada mas concordou comigo, Eduardo se espantou quando lhe disse que na verdade tinha achado aquilo uma delicia, que agora estava me sentindo uma mulher realizada, e que tudo aquilo que fizeram comigo eu agora fazer com meu marido, que só dependia dele o nosso casamento. Ele disse que me amava e pediu perdão pelo que tinha feito e por não ter conseguido me proteger, ficamos numa boa e convidamos Manuela a se mudar de nossa casa o mais rápido possível e arrumar outro velho pra depenar porque aquele era meu.
Peço desculpas se fui muito longa, mas quis narrar fielmente ao que aconteceu.