Amigo desconhecido do meu filho



Click to Download this video!

Ola, sou uma mulher separada, professora, com 46 anos e ainda desperto olhares masculinos de todas idades. Sempre nutri desejos por homens mais novos, bem novinhos mesmo. Incentivada por um grupinho de quatro professoras contando comigo, que também gostam de novinhos, passei a ir para a escola mais a vontade, quando estava mais friozinho, deixava para tirar o casaquinho dentro da sala de aula, para mostrar meus fartos peitos. Adorava ver os meninos se empurrando para dar uma olhadela neles, as vezes até molhava a calcinha, ou melhor encharcava. Mas isto só ficava nas minhas fantasias. Uma colega mais assanhada disse que em outra escola ela tinha transado com dois alunos dela, juntos. Tinha aprontado tanto que pediu para ser trocada de escola. Que hoje só pegava novinhos desconhecidos de outras cidades ou da praia que ia, trocava de praia sempre para não ter vinculo algum. Um dia fui ao campinho para chamar meu filhinho de 12 anos, porque precisávamos sair com uma certa pressa. Ao me aproximar dos garotos vejo meu filho numa enorme discussão com um rapaz alguns anos mais velho que ele. Apressei meus passos para intervir na discussão. Quis saber do motivo da briga deles, meu filho quis desconversar dizendo que era de jogo, mas conheço meu filho e sei quando ele ta mentindo. No caminho de volta para casa ele confessa que aquele rapaz tinha dito que estava vindo em nossa direção uma baita gostosa, que tava a fim de come-la. Pedi ao meu filho não dar bola para ele, que não sabia o que tava dizendo, pensei comigo mesma, mas eu sabia muito bem o que ele tinha dito. Fiz várias perguntas sobre aquele desconhecido, passou a ser meu alvo de desejos. Um dia voltando da escola cheia de sonhos com novinhos das minhas fantasias encontro o rapaz que havia deixado meu filhinho irado. Antes de ficar frente a frente com ele, solto um boão da minha camisa de baixo, tive que desabotoar mais um, para melhor meu plano, não sabia de onde vinha tanta coragem, Inicio uma conversa com ele, querendo saber porque tinha brigado com meu filho querido. Convido ele para sentar no banco da praça onde eles se reúnem para o futebol. Ele parecia nervoso com nossa conversa, só me ouvia. Quando vou colocar minha sacola no chão para mostrar meus peitos a ele, um seio sai para fora, levanto o corpo e fingindo não perceber, continuo falando com ele de peito de fora, ele muito esperto também não me avisa. Depois de deixar ele ver bastante, me desculpo dele por ter deixado meu peitinho a mostra, ele da um sorrisinho sem graça, digo que uma mulher velha como eu, deveria ser mais atenta. Ele me corrige dizendo que sou uma mulher muito bonita sim, digo que meu coração até acelerou com o elogio dele, Pego a mão dele e coloco no meu peito para notar as batidas do meu coração. O safadinho apalpa meu peitinho com carinho e confirma meus batimentos, mas eram de nervosa. Seguimos no papinho furado e volto a mexer na minha sacola de material da escola. O peito sai para fora novamente, agora ele me avisa e pede para guarda-lo para mim, peço por favor, ele mais que depressa avança no meu peito, agarra com suavidade e de vagar coloca no devido lugar. Aviso ele que seu amiguinho ai em baixo gostou do que viu, ele de pau durinho não consegui esconder sua excitação. Foi minha vez de tocar no seu pau e dizer estar honrada de provocar isto num garotinho jovem como ele. Disse a ele que estava indo para casa, pois precisava molhar o jardim, que esta era a função do meu filho que agora estava no colégio, ele mais que depressa se prontificou a ajudar se eu quisesse. Ele tinha mordido a isca, gora só dependeria de mim. Perguntei se ele tinha tempo para me ajudar, só que deveria chegar depois de mim para nenhum vizinho perceber. Deu uns 25 minutos de espera, quando ele chama por meu filho, e vai entrando pátio a dentro. Peço para ele entrar e digo que ia tomar um banho para conversar com ele, peço pra ele ficar a vontade enquanto tomo banho. Sai do banho de calcinha e caminho me secando em sua direção, volta e meia mostro ora um peito, ora outro a ele. Ele congelado nos meus peitos, pergunto se tinha gostado dos meus peitos ? Deixo a toalha deslizar e parar na minha cintura, o pau dele parecia querer furar seu short. Chego mais perto dele e balanço meus peitos para ele, que coloca as mãos nos meus peitos e começa a beijar um e outro, como não reajo, ele começa a chupa-los. Abraço ele pela cabeça para preciona-la contra meus peitos. Afasto sua cabeça e dou um beijo em sua boca agradecendo seu carinho comigo. A toalha já estava no chão faz tempo, deixo ele mamar mais um pouco, tiro seu pau duro para fora, arregaço sua cabeça para fora e peço para ele enfiar um pouquinha na minha bucetinha encharcadinha. Quando me abaixo para tirar minha calcinha, ele quis colocar seu pau na minha boca, nunca gostei de chupar, mas para não desapontar ele, dei umas poucas chupadas e virei de quatro para ele, que se enfiou pra dentro da minha buceta. Gozou dentro de mim, mas não parou, só gozei depois do segundo gozo dele. Ficamos nos beijando por algum tempo e marcamos outros encontros. Fiz ele pedir desculpa a meu filho para poder frequentar minha casa, ficou muito amigo do meu filho, até salvou ele de apanhar de outros coleguinhas. Minha bucetinha pagava ele sempre que ajudava meu filhinho, uma vez até emprestei ele a outra professora que tinha gostado dele. Quando ele voltava dos encontros com esta professora, ele sempre dizia que ela gostava de chupar e dar o cuzinho. Sentia que se não fizesse igual perderia ele. Algumas vezes até deixava ele só alisar meu cuzinho, e outra vez deixei ele gozar na minha boca, mas cuspi tudo. Fiquei com ele quase um ano, até ouvir uns boatos das vizinhas invejosas. Realizei minha fantasia e fui em busca de outro novinhos.