Dando pro primo e pro tio



Click to Download this video!

Meu nome é Kiki, fictício, tinha 14 anos, já não era mais virgem, e uma buceta de adulta, queria pau todos os dias. Meu primo Junior tinha 17 anos, mas era uma criança grande, sabia muito pouco de sexo, acho que era virgem. Nas férias fiquei na casa de meus tios, gostava de ficar no quarto com meu primo, nunca pensei nele como uma possível tranzinha. Uma vez no seu quarto percebi ele olhando para minha bunda. Resolvi então brincar com ele e abaixar e virar completamente a bunda para ele, ele segou na minha bunda. Mais tarde de mini saia e calcinha enfiada na buceta, de propósito, fui mexer em seus CDs, procurando o que não existia, ele depois de gaguejar ficou mudo, com certeza pela visão. Ele estava no computador fazendo não sei o que, então me deitei na cama com os CDs para escolher melhor, de barriga para baixo e pernas abertas para ele. Queria só tirar um sarro com ele, fui me mexendo na cama para que a saia subisse mais um pouco e subiu toda. Pedi para ele me ajudar a tirar os tênis, deixei ele ficar a poucos centímetros da visão do paraíso. Quando me virei para ele, vi que seu pau estava duro, mas não disse nada. Eu passei a desejar o pau dele dentro de mim, perguntei porque ele estava tapando o pinto com a mão? ele envergonhado, disse que era nada, então pedi para ele tirar a mão, não quis, tive que tirar a mão dele a força. Surgiu um pinto médio e duro. Dei uma pegadinha e perguntei porque estava daquele jeito? Quase sem voz ele respondeu que era por causa minha. Deixei ele botar em mim, só um pouquinho porque meus tios estavam sesteando. Ele foi com tudo para cima de mim, depois de umas estocadas gozou e foi correndo para o banheiro. Eu fiquei sem gozar, a noite do lado de fora da casa, dei mole para ele e fui penetrada de novo, novamente sem gozar. O Junior contou para o tio Nando, mas eu não fiquei sabendo. Tio Nando ficou sabendo que transamos sábado e domingo, na segunda feira fui ao mercado com tio Nando, e quando voltamos não encontramos Junior e nem a tia, fui para o quarto do Junior e fiquei esperando ele de saia e sem calcinha, liguei o rádio um pouco alto e iniciei uma siririca para esperar o Junior, depois de gozar e ainda com os dedos dentro da buceta, abri os olhos e vejo tio Nando com um sorriso nos olhos e de pau duro, também médio para fora. Procuro minha calcinha e não acho, nem tinha trazido para o quarto. Tio Nando se aproxima de mim com jeito dominador, conversando e me alisando e tirando minha resistência, abriu minhas pernas e primeiro beijou minhas coxas, depois minha virilha, e logo sua língua caiu no meio da minha buceta virgem de língua, ai sim entreguei meu corpo para ele, tentava secar minha bucetinha com a língua e ele insistia em derramar seu choro na boca dele. Gozei o gozo mais gostoso que já tinha sentido. Tio Nando foi penetrando com muito carinho que não reclamei, sovou minha perereca como nunca tivera socado antes, gozei e esperei mais uns 10 minutos e tio Nando esvaziou seu saquinho dentro de mim. A noite foi a mesma coisa, Junior me pegou em seu quarto e só ele gozou. A solução era mesmo tio Nando, como Junior para ficar livre a noite comigo, saia para pagar as contas e ir ao mercado com a tia, tio Nando fazia a festa comigo, gozávamos muito juntos, depois de ser lambida muito. Quando Junior me pegava, eu já estava com a máquina quente, ai ele conseguia fazer eu gozar. Foram 10 dias que recebia leitinho todos os dias, com alguns dias que recebia leite duas ou três vezes. Tio Nando me ensinava e eu repassava para o Junior, depois destas férias ninguém mais tocou no assunto.