Aos 10 anos e muito safadinha – desejo realizado



Click to Download this video!

já tem um tempo que tenho transado com a Kamila, uma garotinha de 10 anos de idade,mas que nasceu pra ser puta, não reportei mais nada, pois o que temos feito, é o de sempre, anal e boquete, porem, hoje vim relatar o que a muito tempo a safadinha desejava, e olha que não foi fácil, devido a inúmeros imprevistos, e isso, só foi possível, graças a estes imprevistos, bom, a Kamila, fez 11 anos no dia 19 de maio agora, e sua família, fez uma festinha para ela no dia 21/05/2016, minha esposa e filhos foram, eu preferi não ir, e a safadinha, me enviou muitas mensagens, chateada porque não fui, e disse que a festa dela não teve graça, porque eu não estava presente, e etc. expliquei a ela os motivos, mas mesmo assim, ela se chateou, mas disse-me que o seu presente eu teria que lhe dar de um jeito ou de outro, a safadinha falava sobre perder sua virgindade para mim, aquilo mexeu comigo, pois, não queria, mas ao mesmo tempo eu a desejava muito, e então na segunda feira, marcamos para a quarta seguinte, achei que daria certo, mas me enganei, pois tive que viajar na terça e só voltei quarta a noite, mas disse a ela que não podia, depois, marcamos novamente, só que adoeci com uma baita virose, e mais uma vez, ficamos impossibilitado de realizar tal desejo, o fato é que, ela adoeceu também, seus pais, descobriram que ela tava acessando sites porno na própria casa e a colocaram de castigo por uns dias e foi justamente devido a este castigo, que aconteceu o que passo a relatar agora, a safadinha ficou proibida de usar o celular dela, mas ela me ligou do fone da empregada e me relatou o que tinha acontecido, falei pra ela ter calma, e que isso foi bom, pois, era um sinal, pra gente abandonar o que fazíamos e ela voltar a ser uma adolescente normal, ela não aceitou e disse que estava decidida a fazer muito mais coisas, mas que teria que achar um meio de despistar seus pais, e a safadinha conseguiu. Ontem dia 23/06 ela me liga do fone de sua avó, dizendo está na casa da avó, pois seus pais foram a um velório de uma família amiga deles que morreu em uma cidade próxima daqui e deixou ela na casa da avó, e a safadinha disse a avó que precisava ir no colégio fazer um trabalho de pesquisa na biblioteca e usar o pc de la, pois ela não tinha como usar o de sua casa, pois seus pais não deixavam e avó sabia os motivos, assim, a própria avó deixou ela no colégio e ela disse a sua avó que quando terminasse lá, ela ligaria pra ela, a avó, deixou-a lá e voltou para sua casa e a safadinha foi pra biblioteca e pediu a moça se ela poderia lhe emprestar o cel, pra ela ligar pra avó, pois havia esquecido algo e teria que ir buscar, a bibliotecária emprestou e ela me ligou dizendo que estava na biblioteca do colégio e que a hora era aquela e que era pra mim ir buscar ela e levar ela pra qualquer lugar, eu fiquei com muito tesão, pois tinha dias que não a via, mas, disse a ela pra ter calma e me aguardar lá, ela disse, vem logo tio, tô com muita vontade, desligamos, mas não pude sair de imediato, e quase 40 minutos depois, ela ligou de novo, perguntando porque que eu estava demorando, expliquei a ela, que estava procurando uma desculpa para sair, ela disse, tô esperando, vem logo, e consegui inventar uma boa desculpa e desci para o colégio, cheguei lá a safadinha tava na biblioteca, e disse> oi tio, vamos que a vó ta esperando, agarrou minha mão e disse, jaja voltamos, a bibliotecária deu tchau e saímos, ao entrar no carro a safadinha disse, tio que demora hein, eu disse: Kamila, não da pra sair sempre que posso, eu tenho que cumprir regras e ordens, ela sorriu e partimos rumo a um motel, no caminho, eu perguntei a ela, Kamila, é isso que você quer mesmo? o que tio? perder a virgindade para mim? sim, sonho com isso todos os dias. Eu estava com medo, mas muito ansioso e com bastante tesão, e a Kamila estava gelada, fria mesma, perguntei a ela: está com medo, ela se virou para mim sorrindo, e balançou a cabeça confirmando o que lhe perguntei, então tirei meu pau pra fora e falei pra ela ir me masturbando enquanto chegávamos, e assim a safadinha fez, entramos no motel e quando estávamos no quarto, eu dei uns beijos na sua bokinha e ela ficou molinha, dai, coloquei ela na cama, tirei toda a sua roupa, e comecei a chupar sua bucetinha, ela começou a gemer gostoso e a dizer, ta gostoso tio, nossa que delicia, e eu fui sugando aquela bucetinha virgem, linda dela, nao demorou muito e ela disse: tio, deixa eu chupar ele um pouco, e então me sentei na cama e ela veio e ajoelhou na minha frente e começou a me chupar, e nossa, tava muito gostoso seu bokete, meu tesão tava a mil por horas que nem percebí quando comecei a gozar, ela tirou a boca e foi tossindo e boa parte do gozo caiu na cama, e ela sorriu e disse: podia ter avisado, me engasguei. eu disse: putinha safada, você gostou né, ela sorriu e disse: claro, quem nao gosta. Então, eu disse: quer que eu coma seu cuzinho antes, ela disse: não eu quero que você me coma a bucetinha: tem certeza? sim tio eu tenho.
então eu falei: Kamila, eu vou pegar um lubrificante aqui e voce vai se deitar e eu vou introduzi-lo bem devagar na sua bucetinha tá, ela balançou a cabeça em sinal de sim, então busquei o lubrificante e comecei a lubrificar sua bucetinha e fui introduzinho meu dedo em sua bucetinha, e quando forçava muito, ela segurava minha mão e falava: tira tira ta doendo, então eu beijava seu rosto, boca e seios e sentia ela gelada, pois, o medo estava tomando conta dela, então eu falei, Kamila, vou ficar deitado de barriga para cima, e você vai deitar com a bucetinha em cima de meu pau e vai descer devagar e vc mesma vai controlar, se vc der conta de ir até o fim, vai doer um pouco, e se você ver que não dar conta, você sai e dai vamos embora, ela, não disse nada, mais uma vez, somente consentiu com a cabeça, ai deitei e ela veio e começou a chupar meu pau novamente e eu disse: está com medo né, ela sorriu e se levantou e parou bem perto de meu pau e foi descendo devagar, e dizendo: não vou dar conta tio, e eu disse, calma, não tenha pressa, ela se levantou e pegou o tubo de lubrificante passou mais um pouco na buceta e veio novamente e tentou de novo, mas quando forçava um pouco, ela se levantava e dizia que não iria conseguir, tentamos umas seis vezes ou mais, dai, eu disse: vamos tentar a última vez, ela consentiu no sim, e então ela veio e foi descendo devagar e eu comecei a incentiva-la: vai putinha safada, você não queria me dar essa bucetinha, você não disse que iria aguentar meu pau nela também, então me prove, deixa meu pau entrar ai, anda safadinha linda, vai putinha gostosa. Parece ter funcionado, pois, sentí quando a cabeça de meu pau entrou um pouco e ela fez, humm aii, doendo muito, eu disse: calma, relaxa gostos minha safadinha. Seu corpo estava frio, seus seios também, e ela estava com os pelos do braço arrepiados, mas, disse a ela: calma lindinha, estamos quase lá, vai descendo devagar e assim, ela foi fazendo e na medida que ela ia descendo, meu pau, foi abrindo espaço e ela: aiaiai, doendo tio, doendo muito. E eu, não para safadinha, o pior já passou, e ela disse: não vou conseguir tio, e eu disse, mas cabeça já está quase toda dentro de você? Calma devagar a gente consegue, e ela foi descendo e derrepente a cabeça entrou e ai ela disse: nossa entrou tio, mas tá doendo muito tio, muito mesmo, eu disse: agora fica quietinha, espera alguns minutos e a dor vai passar, ela ficou imóvel por uns minutos e depois voltou a descer e depois de uns minutos meu pau estava dentro de sua bucetinha, e ela disse: tio entrou tudo, agora você me comeu por completo né, ta doendo muito, eu disse Kamila, tenta se mexer o máximo que você conseguir em cima de mim, ela disse: tá bom, vou tentar, e dai, ela começou a se mexer devagar e meu pau foi abrindo sua bucetinha, e daqui a pouco a safadinha já estava gemendo e dizendo que estava bom, doendo, mas estava gostoso, eu disse: é hummm, aqui também tá, agora rebola em cima dele vai, e ela foi rebolando e começando a dizer: tio que gostoso, que sensação boa, hum hum, que delicia tio. Ela ainda se segurava sobre mim, e em pouco tempo, eu comecei a gozar e quando ela sentiu a camisinha pulsar dentro dela, ela disse: tá gozando tio? Tô minha pequena e a culpa é sua, ela sorriu e dai caímos de lado na cama, e quando ela saiu de cima, a camisinha estava só o sangue, ela se assustou, eu a acalmei dizendo ser normal, e perguntei se ela conseguia ir ao banheiro se limpar, ela disse que sim, e então saiu e foi banhar, quando voltou eu já havia pedido a conta do motel e dai saímos, e no trajeto perguntei se ela tinha gostado, ela disse que sim e que agora queria me dar a bucetinha também, pois ela agora era minha mais nova mulher. Deixei ela no colégio e fui para o trabalho e inventei que meu carro tinha furado pneu e etc. Agora a Kamila perdeu o cabacinho, e não quer parar, mas sinto que a cada dia, estou me envolvendo mais, sem saber como sair.