Com meu irmão e meus dois primos



Click to Download this video!

Olá, me chamo Emília, tenho 19 anos e vou para vocês sobre a primeira vez em que transei com meu irmão. Renan e eu sempre tivemos uma relação próxima, ele sempre demostrou vontade de transar comigo, mas nunca tivemos a oportunidade. Cheguei a punhetar ele algumas vezes, ele dedilhou minha boceta outras, mas nunca chegamos a completar o ato. Porém, ele sempre dizia: “Um dia vou te foder, maninha”. Esperamos bastante por esse dia. Até que um parente distante adoeceu e mamãe precisou ir ajuda-lo. Papai foi leva-la, então nós ficamos sozinhos em casa. Só eu e meu irmão tarado.
Renan não perdeu tempo, logo que nossos pais saíram, ele passou as mãos em meus peitos e os apertou forte. Mas não passou disso, ele precisava ir à casa de um amigo resolver uns problemas. Ele foi e eu fiquei em casa adiantando algumas tarefas. Depois de algumas horas decidi preparar algo para nós comermos, Renan chegaria morto de fome. E eu também estava. Fui até a cozinha a prepararei uma comida rápida. Quando estava lavando a louça senti alguém me abraçar por trás e me encostar uma pica dura em mim.
— Oi Mimi, pronta pra fazer aquilo? — Ele puxou minha cintura contra seu pau.
— Para, Renan. Eu tenho que terminar isso. — Relutei.
— Na próxima semana você vai ser minha putinha, mana. — Ele roçou o rosto no meu pescoço. Senti um arrepio. — Você vai fazer tudo que eu mandar. — Renan enfiou as mãos por dentro da minha blusa e começou a acariciar meus seios. Fiquei quieta. O pau dele estava cada vez mais duro pressionado contra a minha bunda. Ele abaixou meu short e minha calcinha de uma vez. — Continua lavando a louça. — Meu irmão tirou sua roupa inteira em segundos e começou a esfregar aquela pica contra minha bunda.
Ele puxou um pouco minhas pernas e me fez empinar o corpo um pouco. Achei que ele iria me penetrar, mas ele não fez isso. Começou a brincar com minha boceta me fazendo gemer, ele brincava com minha boceta e beijar meu pescoço. Depois de alguns minutos ele me penetrou. Não tinha me dado conta que seu pau era tão grande, não entrou todo na primeira entocada. Além de seu pau ser grande, eu só tinha transado uma vez em minha vida. Depois da segunda entocada o pau entrou e eu gemi. Ele começou as entocadas devagar e foi aumentando a intensidade. Eu tentava não gemer muito alto, pois os vizinhos poderiam ouvir. Apoie-me na pia e empinei meu corpo mais ainda para trás, ele continuava a enfiar aquele pauzão em mim. Minha bocetinha estava ardendo, mas eu sentia um prazer enorme. Em certo momento eu não estava quase aguentando de dor.
— Renan, vai devagar tá doendo. É muito grande — Falei entre um gemido. Ele deu uma palmada da minha bunda e mordeu meu pescoço.
— Aguenta Mimi. Você agora é minha puta. — Ele não atendeu meu pedido e continuo a foder com mais força ainda.
Seu pau ia e vinha em uma velocidade imensa. Ele respirava forte em meu pescoço. Eu não conseguia mais controlar os gemidos. As entocadas eram fortes e cruéis, ao mesmo tempo em que sentia dor, eu sentia prazer. Ele deu uma última enfiada forte e gozou dentro de mim. Senti o gozo dele escorrer entre minhas pernas. Renan beijou minhas costas por alguns minutos e me acariciou.
— Eu quero minha comida na mesa quando sair do banho. E você não vista a roupa. Quero você o tempo todo nua. — O sussurro veio em forma de ordem. Ele deu um ultimo chupão no meu pescoço e se foi.
Depois que ele saiu tomei um banho rápido no banheiro de baixo e lavei minha bocetinha. Fiquei nua como ele mandou e coloquei sua comida na mesa. Ele demorou um pouco para descer de banho tomado. Quando desceu veio em direção a mim deu um chupão em meu peito e um beijo em minha boca e sentou-se. Fiz o movimento de sentar na cadeira ao lado dele, mas ele não deixou me segurou pelo braço.
— Não! Você é uma puta. Putas não sentam. — Me assustei de primeiro momento, mas obedeci. Ele sentou na cadeira e apontou para seu pau. Entendi o que ele quis dizer. Tive que ir para debaixo da mesa para chupa-lo enquanto ele comia seu lanche. Podia ouvir seus gemidos. Entendi minha dor logo que vi seu pau, era grosso e grande com veias saltadas. Eu mal conseguia por a metade na minha boca. Ouvi a companhia tocar e me assustei. Tirei a boca de seu pau imediatamente.
— Calma putinha. Eu atendo. Fica ai, sentadinha no chão. — Fiquei sentada no chão, mas alguns minutos depois ouvi uma voz familiar vindo até a cozinha, era meu primo Juan. — O que tu acha? Ele apontou para mim no chão? — Fiquei desconcertada. Juan me olhou inteira.
— Ela aguenta nós dois? — Juan perguntou para meu irmão.
— Aguenta, cara. Vamos lá. — Rena me puxou e se encaixou atrás de mim. — Comi ela uma hora atrás, ela é uma delícia. — Meu primo só de ver a cena respirou fundo. Meu irmão já estava de pau duro de novo contra o meu bumbum. Ele me empurrou em direção ao meu primo. Juan tirou seu pacote pra fora, quase tão grande quanto o de Renan. Meu irmão me penetrou de novo, dessa vez mais devagar.
Meu corpo foi inclinado em direção a pica de Juan enquanto Renan me penetrava por trás. Engoli a pica de Juan o máximo que pude. Meu irmão socava em minha boceta e meu primo socava na minha boca.
— A putinha além de ter cara de princesinha é gostosa. — Juan falou enquanto puxava minha cabeça e minha fazia engolir sua pica mais ainda.
— Eu te disse. — Meu irmão fodia minha boceta e brincava com meu cu e meu primo me fazia engolir o cacete dele inteiro, enquanto brincava com meus peitinhos.
— Fode ela com força, Renan. Fode ela com força. — Meu primo falou e meu irmão fez o que ele disse e começou a me foder com força. Comecei a gemer mais ainda.
Ele enfiava com tudo não tinha pena de mim, enquanto isso eu engolia a pica de Juan. Ficamos naquilo por alguns minutos, eles gemiam feito loucos.
— Vamos pro quarto. — Meu irmão tirou seu pau de dentro de mim. Juan também parou de foder minha boca.
Fomos todos para o quarto. Chegando lá eles arrancaram o edredom da cama e eu deitei. Ajeitei o travesseiro para apoiar minha cabeça. Renan subiu em cima de mim e direcionou sua pica a minha boca, ele se apoiou na cabeceira da cama, ele literalmente iria foder minha boca.
— Abre as pernas que eu quero comer tua boceta, Emília. — Juan falou. Abri as pernas. Eu não teria visão dele me penetrando, já que Renan estava fodendo minha boca.
Eles começaram ao mesmo tempo. Meu irmão enfiava o pau na minha boca e meu primo começou a me penetrar com entocadas fortes. Os dois eram incansáveis e dotados, eu estava aguentando bem ser a putinha deles.
— Ei cara, me deixa foder o cuzinho dela? — Meu primo falou enquanto continuava metendo na minha boceta. — Vai, Renan. Eu mereço isso. — Juan insistiu. Renan saiu de cima de mim e ele também. Me virei de bruços. — Como eu faço? — Juan olhou pra mim com cara de safado.
— Devagar. — Respondi manhosa. Meu irmão abriu a gaveta do seu criado mudo e tirou um vidro de lubrificante.
Ele começou a passar em meu bumbum devagar. Meu primo olhava sorrindo.
— Olha só isso, cara. E você vai ser o primeiro. — Renan bateu no meu bumbum.
Senti o gel frio ser colocado na entrada do meu cu. Meu irmão começou a forçar seu dedo do meio contra minha entradinha.
— Vem, Juan. Ela está pronta. Fica de quatro, Mimi. — Fiquei de quatro e Juan foi para trás de mim.
Fiquei de quatro, mas Juan abaixou meu corpo e me fez ficar deitada de bruços. Renan ficou a minha frente olhando para mim. Juan começou a forçar a entrada de meu cu. Eu apertei um pouco minhas nádegas com o susto. Ele tentou mais uma vez e dessa vez foi a metade. Mais um empurrão e foi tudo. Soltei um gemido de dor tão intenso que toda a vizinhança deve ter ouvido. Meu primo começou a bombar devagar. Renan acariciava meu rosto e meus cabelos tentando me acalmar. Ele fodeu meu cu por alguns minutos, eu chorei um pouco de dor, mas com o tempo passei a gostar.
Renan como estava fora da brincadeira a alguns minutos sugeriu uma dupla penetração. Ele me mandou ir por cima dele e assim meu primo viria por trás e meteria nos meu cu. Foi o que fizemos. Depois que me encaixei em Renan viria a parte difícil. Juan iria enfia a pica dele no meu cu de novo. Respirei fundo e ele veio. Depois que ele enfiou começaram os movimentos de vai e vem. A cama rangia e eu gemia feito louca. Juan metia feito um louco no meu cu e Renan se mexia como podia por baixo. Segurei na cabeceira da cama e comecei a cavalgar em Renan, enquanto Juan fodia meu cu. O rostinho branco de meu irmão estava vermelho, ele gemia demais. Meu primo enfiava em mim feito um louco. Talvez por estar indo tão rápido que ele gozou rápido também. Senti seu gozo inundar meu cu e gemi feito louca. Nunca tinha tomado porra no cu. Ele saiu de cima de mim e foi em direção ao banheiro, então ficamos só eu e meu irmão. Renan me colocou de ladinho e empurrou sua pica grossa em meu cu. Gemi mais uma vez, ele começou a entocar rápido. Depois de gozar em meu cuzinho como nosso primo ele foi ao banheiro também. Fiquei deitada na cama tentando recuperar minhas forças.
— Cara, nós devíamos chamar meu irmão. Ele ia adorar foder ela também. — Juan sugeriu. Renan sorriu e assentiu. Eu ainda estava jogada na cama.
— É melhor você descansar mais tarde vão ser três. — Eu assenti e fechei os olhos.
Acordei por volta das nove da noite com Renan batendo na porta e dizendo pra eu tomar banho, pois Pietro estava lá e louco para me foder. Tomei banho e me perfumei toda. Quando desci eles estavam todos nus. Pietro já foi me abraçou e falou umas sacanagens. Em questão de minutos ele estava abrindo minhas pernas e me fodendo em cima da bancada os outros só assistiam e diziam: Vai fode ela com força. E era o que fazia. Depois de arrebentar minha bocetinha ele me colocou de quatro e partiu para meu cu. Eu estava adorando aquilo. Só queria mais e mais. Pietro puxava minha cintura e me fodia como um cachorro. Fomos para o quarto de novo, lá eles me mandaram deixar de bruços e eu obedeci. Dessa vez eu fiquei por cima de Juan enquanto Pietro fodia meu cu feito um louco. Meu irmão só observava e ria. Ficamos naquilo por um bom tempo, até que em certo momento me mandaram ficar de pernas abertas, eu fiquei. Eles então ficaram se revezando em cima de mim. As vezes era Pietro, as vezes Renan e as vezes Juan. Os três me foderam de todo jeito aquela noite, mas eu adorava quando acontecia uma dupla penetração. Meu cuzinho sai muito arrombado messe dias, mas valei a pena. Ao fim os três gozaram na minha bocetinha. Na manhã seguinte antes de meus primos irem embora nós fodemos de novo. Fui escravinha deles novamente na cozinha. Chupei seus paus. Dei o cuzinho e a bocetinha, tudo novamente. Agora sempre que podemos fazemos de novo.