Jogos Secretos



Click to Download this video!

Cara, as vezes a criatividade humana é fora do comum, e se tratando de putaria, maior ainda. Minha prima me chamou semana passada para uma festa, onde teria uma tal de “jogos secretos”. Perguntei o que era, e ela disse que não me contaria senão eu não iria, mas disse que teria que pagar 100 reais e que eu iria adorar. Insisti pra saber, ameacei não ir, mas ela me convenceu a ir, pagar e não perguntar.
Fomos no sábado a noite, ficava numa cidade perto da minha, aparentemente parecia um hotel, mas depois descobri que era um antigo puteiro, e que agora era alugado como fim de semana.
Quando cheguei, tinha uma galera grande, mais de 100 pessoas, a noite estava agradável e a festa rolando solta. Tinha uma piscina grande na casa, tinha um salão com um grande bar, e na parte de cima ficavam os quartos. Paguei os 100 reais e ai minha prima me contou o que seria esses “jogos secretos”
Cada um que chegava, pagava 100 e recebia um pulseira, e tinha o direito e o dever de participar de pelo menos uma rodada do jogo. Porra, mas que jogo é esse? Existiam oito quartos na parte de cima, um longo corredor com 4 quartos de cada lado.
Então era assim:
– Todos eram obrigados a participar pelo menos uma vez. Se não participasse, no receberia os 100 reais de volta e estaria proibida de voltar outras vezes.
– Depende do organizador, os quartos eram lotados, poderia ser 8 meninas, 8 meninos, etc de uma única vez, como nesse dia tinha de ser lotados por meninas, então 8 meninas pegavam um pequeno envelope no começo da escada, contendo duas chaves, as duas numeradas com o numero do quarto.
– Este envelope só poderia ser aberto na parte de cima, no fim da escada.
– No final da escada, tinha uma caixa, aonde você pegava uma das chaves e deixava a outra dentro da caixa. Eu, por exemplo, peguei a chave 3, então eu deixei uma das chaves 3 na caixa e me dirigi para o quarto.
– Tínhamos poucos minutos pra tirar a roupa e esperar o nosso parceiro.
– Tocava uma campainha, significava que nosso tempo acabou, então 8 garotos subiam, pegavam qualquer chave, paravam em frente ao quarto e tiravam a roupa, e ficavam esperando.
– Quando todos estavam prontos, um cara coordenando pedia pra destrancar as portas mas não abrir.
– quando tocava novamente a campainha, todas as luzes (corredor, quarto) eram totalmente apagadas, as janelas eram vedadas, todos eram revistados pra não subir com celular ou algum tipo de luz, e eles tinham 15 minutos para meter. Durante os 15 minutos, seriam soados dois plins, um depois de 5 minutos e outro depois de 10 minutos.
– quando a campainha tocava novamente, o parceiro era obrigado a parar e sair do quarto.
– quando todas as portas fossem trancadas, as luzes eram acessas, os meninos se trocavam e desciam, enquanto as meninas faziam o mesmo.
– Um ultimo toque de campainha, poderíamos sair dos quartos e descer.
– Uma regra que eles pediam pra ser seguinte era: nunca se identificar, não conversar, não falar nomes, e principalmente não tentar encontrar a pessoa na parte de baixo. Qual o motivo? Alguém te comeu, ou você comeu alguém, e você não vai nunca saber.
– Uma regra que era primordial, era que se a menina quisesse que o cara transasse de camisinha, e ele não quisesse, ela poderia exigir ou o cara era retirado do quarto.
– Qualquer violação dessas regras, você era convidado a se retirar do estabelecimento, e você não poderia mais voltar naquele lugar.
– Caso você gostasse, e quisesse participar, teria que pagar 50 por cada subida.

Achei aquilo uma loucura, mas estava apreensiva. Na festa tinham muitos gatos, mas tinham muitos caras fora de noção, vai lá saber pra quem você estava dando. Minha prima subiu duas rodadas depois que chegamos, queria que eu fosse junto, mas resolvi esperar. Elas subiram e depois de alguns minutos, 8 carinhas subiram, entre eles, 4 eram gatos demais, 2 mais ou menos e 2 babacas nerds.
Escutei as campainhas, depois aquele longo período de 15 minutos, dava pra ouvir alguns gritos de algumas escandalosas, e depois os carinhas desceram, a maioria gostando do que comeram, alguns acharam que a menina que tinha ficado estava muito fria com eles, não sentindo aquele tesão.
Entre os que gostaram eram os mais gatos, e aquilo me deu motivo pra subir e enfrentar o que aconteceria la em cima. Eis que descem as meninas, e minha prima toda descabelada, andando meio com dificuldade, mas com um sorriso de orelha a orelha. Perguntei como foi, e ela disse que o cara acabou com ela, disse que o cara metia muito, beijava gostoso, acabou metendo rápido no cu dela, e quando tocou a campainha, ainda gozou na cara dela. Perguntei se ela viu, ou dava pra imaginar quem seria, e ela disse que não da pra ver nada, ela só sentiu o cara chegando, beijando, metendo e gozando.
Aquilo me deu o maior tesão, e resolvi entrar na fila pras próximas. Quando liberaram, peguei o envelope e subi. Chegando la em cima, peguei as chaves (quarto 3) e depositei na caixa, e fui pra meu quarto. chegando la, não tinha nada, senão a cama. Realmente as janelas eram lacradas e tanto no corredor quanto nos quartos as luzes eram muito fortes. Tirei minha roupa e fiquei deitada, com a perna meio aberta. Escuto a campainha, e movimentação perto da porta, rezava pra que o cara que me pegasse fosse muito gostoso. Campainha toca novamente, as luzes se apagam e meu coração parece que ia sair pela boca. Sinto alguém chegando perto, e ele me toca nas pernas. Seguro sua mão e guio ele ate a cama. Passei a mão por seu corpo, que por sinal parecia bem sarado e fui direto pra ver se ele estava de camisinha. Quando confirmei, me deitei e esperei o que ele faria comigo.
A mão dele aparece na minha barriga, começa a subir e vai direto na minha boca, como que se estivesse localizando no escuro, em seguida sinto sua boca, e uma língua quente e gostosa. O cara beijava bem, tinha uma boca gostosa, com leve gosto de bebidas alcoólicas, enquanto a mão esquerda acariciava mais seio esquerdo. Como não tinha muito seios, eram médios, ele cabia inteiro na mão dele.
Ele parou de beijar minha boca e começou a descer pelo pescoço, e a mão no seio esquerdo, até que chegou beijando e chupando meu seio direito. Aquela sensação de você não saber quem esta fazendo aquilo, me deixava mais excitada do que eu estava, e nisso, sua mão direita saiu dos meus seios, percorrei com elas de palmas pra cima, bem devagar, passando as unhas por minha barriga ate chegar a acariciar minha buceta. Só nessa passada de mão entre os seio e a buceta eu quase gozei, e continuou a beijar e chupar, agora os dois seios, enquanto sua mão brincava com minha buceta.
Quanto deu o primeiro plim, ele parou de chupar e tirou a mão, tentei ver o que ele fazia, quando sinto ele deitar em cima de mim. Passei as mãos sobre seu dorso, e senti que ele era uma cara muito sarado, tinha ganhado a sorte grande, e sorte maior, foi quando ele começou a meter sua pica dentro de mim. Eu já dei para vários caras dotados, já dei pra vários negões, mas a pica dela era grossa, e pelo tempo que levou, parecia ser muito grande. Foram segundos vendo estrelas, enquanto aquele enorme mastro rasgava minha buceta. Certa hora, coloquei a mão no final do pinto pra ver se tudo aquilo era dele mesmo, ou ele estava com alguum brinquedinho. Não deu nem 10 estocadas, e gozei pela primeira vez. Nesta hora, eu estava igual a outra menina, gritava feito uma vadia, pedindo pra aquele filho da puta meter forte, pra me fuder gostoso.
Quando tocou o segundo plim, ele tirou de dentro de mim e me virou de bruços, e começou a forçar o meu cu. Pedi pra ele não fazer aquilo, mas ele não me escutou e começou a forçar sua grande pica dentro de meu cu. Nessa hora, eu gritava de dor e ele, sem dizer nada, começou o vai e vem, e a meter forte. A dor foi tão forte que percebi que perdi os sentidos por alguns segundos, e quando retomei, ele estava em cima de mim, metendo com força dentro do meu cu. Por incrível que pareça, em pouco tempo aquela dor sumiu e o misto de tesão com aquela sensação de estar sendo estuprada por um cara que você não consegue ver, fez eu gozar novamente. aquilo era um delicio maravilhoso, eu estava me sentindo a pior das putas, a menina mais vagabunda, mais vadia do mundo, e estava adorando tudo aquilo.
Segundos antes da campainha tocar, ele tirou sua pica da minha bunda, e senti sua porra sendo espirrada por minha bunda e costas. Ele saiu do quarto e segundos depois, as luzes acenderam. Não tinha tempo nem espelho pra ver o estrago, então me limpei com o lençol, me troquei e desci.
No final da escada, minha prima estava me esperando e perguntou como foi? e eu respondi: “A melhor foda da minha vida”.
Passei o resto da festa tentando descobrir quem era o cara me estuprou e me deixou apaixonada pela pica dele, mas tinham vários garotos com o mesmo perfil dele, alguns gatos, outros não. Resolvi então ir ao banheiro, e pude ver o estrago que ele fez principalmente no meu cu. Minha prima só ria, e eu, estava extasiada com tudo aquilo.
Acabei não subindo mais naquele dia, primeiro porque qualquer um que viesse depois dele não teria graça, e coitado do cara, não ia sentir nada pois estava complemente arrombada.
Próximo sábado irei novamente, e depois eu conto pra vocês