Minha filha adotiva



Click to Download this video!

Minha filha adotiva
Me chamo Marcos Andre tenho 41 anos, sou casado com Aline, ela tem 39 anos. A 8 anos atras nos adotamos uma menina, eu admito que não estava nada animado com a ideia de ter filhos, mas minha mulher estava em crise, pois achava que não podia ter filho, tudo parecia conspirar contra mim, minha mulher não mudava de ideia. Sempre dizem que adoção demora, mas depois 3 meses de visita ao orfanato já levamos Priscila pra casa, em 6 meses ela já era nossa de papel passado, ela tinha 7 anos na epoca, era morena clarinha, cabelos pretos, meio encaracolado, minha mulher escolheu ela pois foi a primeira criança que ela viu, mas ela jura que não foi por isso.
Não estava sendo facil acostumar com aquela pequena estranha, ainda mais dar banho, beijos, carinho… dar banho nela, sempre foi complicado, não tinha como não ficar excitado, em ver e alisar aquele corpinho, porra não tinha como olhar aquela menina como filha. Minha sorte era que ela era uma menina muito obediente, sá fazia o que alguem mandava, certa vez, coloquei ela no sofa e mandei ver tv, fui pro escritorio, voltei quase 2 horas depois e ela estava no mesmo lugar, me pediu pra ir ao banheiro.
Foi mais facil do que eu imagina ter aquele corpinho pra mim, minha mulher comprou um monte de brinquedos, entre eles tinha um par de oculos malucos, é um oculos que vem com varios adesivos de olhos, é so tirar um e colocar outro, a vantagem é que não da pra ver nada, ele tampa completamente a visão, dai foi só esperar ficar só com Priscila, levei ela para tomar banho, nem era hora disso, falei pra ela colocar os oculos pra gente brincar, dai tirei meu pau pra fora, mandei ela abrir a boca e coloquei meu pau na boca dela, nem estava muito duro, pois eu estava morrendo de medo, mas meu cacete foi crescendo na boca dela, foi uma sensação tão doida e gostosa que eu acabei gozando antes da hora, melequei o rostinho dela todo, guardei meu pau e dei banho nela. Falei que não era pra contar pra ninguem. Fiz isso varias vezes, antes de avançar mais.
Com o passar das semanas fui percebendo que Priscila era de confiança, parei de mandar ela usar o tal oculos. A primeira vez que ela me viu pelado eu pensei que ela iria ficar com vergonha ou medo, mas me enganei, ela apenas achou engraçado ver meu pau cheio de cabelo. Sua inocencia beleza e obediencia me encantava.
Brincamos no banheiro um bom tempo, pude alisar aquele corpnho todo, me esfregar nela, beijar. Ver aquele corpinho era demais.
Minha mulher não desconfiava de nada, sá ficava feliz por eu esta mais carinhoso com a menina.
Certo dia eu estava brincando com Priscila no quarto, nos 2 estavamos pelados,
Eu estava como sempre esta esfregando meu pau nela, mas não tinha intenção de penetra la, pois eu achava que ela não aguentaria, ela estava de bruços e eu estava esfregando meu pau no seu reguinho, estava tão gostoso que eu fui perdendo a noção, meu pau começou forçar a entrada do cúzinho dela, dei um empurrão mais forte e ela reclamou, senti dó e um puta tesão, estava meio insano então comecei pensar no que fazer, olhei pra cima da cômoda e vi o creme de corpo, ele parecia ate me chamar.
Despejei quase meio vidro de creme na bundinha dela no meu pau, era divertido e gostoso, eu jurava que não teria coragem de penetrar Priscila . O contato de meu pau duro cheio de creme com aquela bundinha pequenina e lisinha me enlouqueceu, coloquei meu pau na entradinha do cúzinho dela e forcei, senti o cuzinho dela piscar, resistinto a entrada de meu pau, mas devido ao peso do meu corpo e a bundinha dela esta toda lambuzada, o cuzinho dela não conseguiu resisti e foi afroxando, meu pau foi invadindo aquele canalzinho apertado, logico que ela reclamou, mas eu não conseguia parar, abri a bundinha dela com minhas 2 mão e fui enfiando, eu estava em transe, não conseguia parar, só parei quando senti minhas bolas tocando seu bumbum, ela espeneava e chorava, tentei tirar meu pau pra começar o vai e vem, mas não deu, o cuzinho dela travou, putz que loucura, foi alucinante, fui puxando bem devagar, não queria machuca la, mas pra piorar a situação, quando já estava quase todo fora, senti vontade de gozar, fui mergulhando meu pau pra dentro de novo e gozei, gozei muuuuuuuuuuito, esperei ate meu pau amolecer para não machuca la muito, dei banho, comprei e passei uma pomadinha anestesica.
Quase morri de remorso depois.
Minha mulher não desconfiu de nada, no outro dia quando Priscila reclamou de dor no bumbum minha mulher achou apenas que fosse uma assadura ou coisa assim.
Depois continuo

Ps: é apenas um conto erótico 100% fictício.