Fui Estuprada pelo meu padrasto



Click to Download this video!

Esse conto não é bem um conto de excitação, é uma história verdadeira e muito triste.
Em 2000, eu tinha 9 anos. Minha puberdade começou cedo de mais. Com 8 anos, meus seios começaram à se desenvolver, aquele liquido, corrimento branquinho (que não sei o nome) começou a sair quando eu tinha 7 anos. Já com 10 anos, eu tinha o corpo de uma menina de 13 pra 14 anos. Meus seios estavam quase formados e eu tinha menstruado. Partindo pro lado familiar.
Minha mãe nunca se casou com meu pai, eles namoravam e até que minha mãe engravidou. Aí eu nasci em 1991. Uns 3 meses depois que eu havia nascido, minha mãe engravidou novamente. Aí minha vó à obrigou sair de casa e ir morar com meu pai. Aí meu irmão nasceu em 1992. Em seu nascimento eu já tinha 1 ano. A segunda gravidez de minha mãe foi tão arriscada, pois ela tinha acabado de ganhar um bebê e aí veio outro. Minha mãe ficou na UTI pois o útero estava tão enfraquecido que se rompeu. Isso já era nos nove meses de minha mãe. Minha mãe se recuperou e voltou para casa. Aí meu pai terminou com ela mas como ela não tinha condições de cuidar de duas crianças pequenas, eu fiquei com minha vó e meu irmão com meu pai. Minha mãe foi proibida de voltar para casa. Então ela encontrou outro cara, no qual ele disse que iria fazer minha mãe feliz. Em 14 dias de namoro, ele já pediu minha mãe em casamento. Minha mãe não aceitou por que era cedo demais. Depois com 2 meses de namoro, ele pediu denovo e então ela aceitou. Quando eles se casarão eu já tinha 2 anos e meu irmão 1. Minha vó me entregou para minha mãe e desde então comecei a morar com minha mãe, segundo ela, eu estranhei muito morar com minha mãe e chorava muito sentindo falta de minha avó. Quando eu tinha 5 anos, comecei a pasaar fome, pois meu padrasto estava desempregado e meu pai não estava podendo pagar pensão. Foi então que eu fui morar com meu pai. Não reconheci meu irmão e nem ele eu. Dois meses morando com meu pai e eu morrendo de fome, minha vó me recolheu devolta e disse que só me devolveria para minha mãe se ela arrumasse um emprego.
Fiquei 1 ano com minha vó, até que ela morreu. Voltei a morar com meu pai e quando eu já tinha 8, fui morar com minha mãe. Meu irmão veio junto. Meus 8 pra 9 anos, foram anos que eu senti muita fome, até que meu padrasto conseguiu um emprego e eu já tinha 10 anos. No dia 9 de junho de 2001, minha mãe precisou sair com meu irmão para assinar um papel para ver com quem a guarda de meu irmão ficaria. Eu fiquei sozinha em casa com meu padrasto, ele estava em casa pois estava de folga do trabalho. Eu estava tomando banho quando ele chegou no banheiro com a desculpa de que iria fazer xixi. Eu desliquei o chuveiro as pressas, coloquei uma toalha envolvendo meu corpo e corri para o quarto (como a gente morava em 2 cômodos, eu dormia no mesmo quarto que minha mãe, meu padrasto e meu irmão), ele logo veio e disse que eu não precisava me preocupar que ele só ia fazer xixi. Eu pedi pra ele ir pro banheiro pois eu iria me trocar, e ele disse que não ligava que eu ficasse pelada na sua frente, que eu era pra ele sua menininha, sua filhinha querida. Eu então tirei minha toalha e comecei procurar minha roupa. Ele não retirava os olhos de mim e começou a repetir pra ele mesmo que eu era muito gostosa. E percebendo o que ele estava dizendo, peguei minha roupa e corri para o banheiro. 1 minuto depois ele diz que estou demorando muito para me trocar e que ele vai entrar pra me ajudar. Nessa hora me deu um pânico e eu só faltava colocar a calça e ele abriu a porta com tudo. Disse que eu precisava de ajuda pois estava demorando muito. Ele me vendo sem calças já ficou excitado e, e pegou no colo, disse que ia me ajudar e me deitou na cama, ele abriu a gaveta da cômoda e pegou um negoço que parecia um protetor solar. Ele colocou um pouco em sua mão e tirou seu pênis para fora e começou passar em seu pênis. Eu assustada quis correr mas ele me segurou com força e arrancou minha calcinha, me colocou de quatro e forçou a entrada de seu pênis na minha vagina que já havia alguns pelos pulbianos. Eu gritava de dor e ele ria e dizia que eu podia gritar o tanto que eu quisesse que ninguém iria ouvir. E ele continuava forçando a entrada na minha vagina e até que entrou. Ele começou a fazer um vai e vem muito violento e vi pingar sangue no lençol da cama.
Eu gritava e chorava e ai ele me botou deitada e tentava penetrar meu ânus e eu gritava de tanta dor e medo e ele tentava e tentava e ate que conseguiu. Doeu muito e também vi pingar sangue junto ao seu esperma. Finalmente ele parou e eu fui tomar banho novamente. Eu estava andando de pernas abertas e ele disse para eu andar direito pois se não ele me estupraria denovo. E forçava pra andar normalmente mas não conseguia. Até que lá pras 9 da noite minha chega e só tem eu em casa, e além disso eu estava chorando muito. Minha mãe perguntou o que havia acontecido e eu disse tudo o que havia acontecido. Ai ele chegou em casa e minha mãe foi tirar satisfação. Eles tiveram uma briga feia e minha mãe bateu muito nele, chegou a deixar um de seus olhos roxos. Eles se separarão e a casa ficou com a gente. Semanas depois minha mãe descobriu que estava grávida e teve que avisa-lo. Aí nasceu minha irmã. Quando ela nasceu eu já ia fazer 12 anos. Quando eu tinha 18 minna irmã tinha 7 anos e minha mãe trouxe um cara que ela estava apenas namorando para dentro de casa. Ele estuprou minha irmã e só não me estuprou pois eu estava cursando judô e ele tinna medo. Dias depois ela veio me contar que foi estuprada por ele. Eu morrendo de raiva fui tirar satisfação e acabei espancando ele. O pai dela também ficou sabendo e bateu muito nele. No final o povo do bairro matou ele. Minha mãe já estava com três filhos e descobriu que estava grávida denovo. Dessa vez era dê gêmeos. Uma menina e um menino. Eles nasceram e eu já tinha 19. Aí que eu conheci meu esposo e se casamos. Não tenho filhos atualmente e não pretendo ter. Meu nome é Raphaella e tenho 25 anos. Estou fazendo faculdade e quero me formar em advocacia. Minha mãe morreu no parto dos gêmeos pois o médicos insistiram para ser normal e minha mãe foi ter normal e não aguentou a dor. Eu cuidei dos gêmeos até os seus 8 meses, depois entreguei eles para meu irmão que também é casado e já tem 2 filhos. Eles cria todos juntos e minha irmã e cuidei e depois à entreguei para seu pai cuidar. De vez em quando pergunto pra ela se ele já estuprou ela alguma vez mas ela sempre diz não. Também presto bastante atenção na relação entre os dois, se eu precerber algum comportamento estranho, eu retiro ela dele. Esse foi o meu desabafo, se você achou que ficou grande demais e falo mais sobre minha vida do que o estupro em sí FODA-SE! Obg e até mais…