Arrombando a bocetinha da Lorrayne!!



Click to Download this video!

Continuação de Minha querida Lorrayne!!
Quando acordei, já eram por volta de umas 07h30min da manhã, eu estava com uma sensação esquisita na boca do estomago, e sentindo dor por quase toda a extensão do meu pau (graças ao estrangulamento sofrido pelo cusinho apertado e pequeno da Lorry), olhei pro lado e ela continuava dormindo pesado, quase desfalecida. Olhei seu corpinho nu ao meu lado, o bumbum ainda sujinho de sangue e esperma seco, tentei chamar ela, para que acordasse, para que pudesse tomar um banho e comer alguma coisa, imaginei que ela precisaria dessas coisas. Contudo, por mais que eu a chamasse, e até mexesse nela, ela não acordava… Isso foi me deixando bem preocupado e nervoso, não entendia o que estava acontecendo, e com medo de tê-la machucado seriamente, como não consegui acordar ela, a deixei na cama e sai pra fumar, estava bem nervoso com o que tinha acontecido, e com a “recusa” dela de acordar.
A manhã passou rápido, quando vi já eram 11h45min, e eu já estava aos prantos no quarto olhado ela que não acordava, foi quando ela abriu os olhinhos… Meu Deus que alivio eu senti naquele momento…
– POR QUE VOCÊ ESTÁ CHORANDO PAPAI? TÁ DODOI?
– NÃO MINHA FLORZINHA, PAPAI TAVA MUITO PREOCUPADO POR QUE VOCÊ NÃO ACORDOU… NEM QUANDO PAPAI CHAMOU VOCÊ!
E ela rindo fala:
– EU TAVA COM SONO UÉ!!! EU TAVA CANSADINHA…
– TA BOM FILHA, PAPAI FICA MAIS CALMO AGORA… VEM, LEVANTA. VEM TOMAR UM BANHO E COMER ALGUMA COISA!
Ela tenta levantar… Mas para e deita novamente com a carinha assustada…
-PAPAI, TA DOENDO MUITO… NÃO TO CONSEGUINDO LEVANTAR!
– DEIXA PAPAI VER SEU BUMBUM MEU AMOR…
Ela vira de bruços, e eu com certa dificuldade por conta das dores que ela estava sentindo, consigo colocar ela de quatro na cama e abro as bandinhas da sua bundinha para olhar… Aquilo foi aterrador na verdade, o cusinho dela estava roxo… de rosinha estava bem roxinho. Tentei tocar, ela soltou um gritinho de dor!
– AI PAPAI, TA DOENDO MUITO…
Comecei a inspecionar toda a área da bundinha dela, perguntando onde doía. Disse a ela que ela teria que ficar deitada, trouxe uma bacia para a cama e comecei a limpar ela, trouxe Tb sua comida e ela comeu na cama, passei um remedinho em seu cusinho, e assim passamos o dia, na cama, pois ela não tinha condições de andar e brincar normalmente…
O dia seguinte, quando amanheceu, ela já acordou sapequinha, o cusinho já não estava doendo tanto, passamos a manhã assistindo TV no quarto, até que em um determinado momento do filme que estava passando aconteceu uma cena de sexo, ela automaticamente, que estava de bruços aos pés da cama assistindo ao filme comigo, se vira e me olha, e lentamente baixa os olhinhos para o próprio bumbum sorrindo safadinha. Eu entendi aquele olhar…
-NÃO LORRAYNE, SEU CUSINHO AINDA TA MACHUCADO, VC VAI SENTIR MUITA DOR, NÃ VOU FAZER NADA COM VC…
– AHHH PAPAIZINHO, TO BOA JÁ!
E de um pulo ela levanta e fica em pé na cama…
– QUER VER QUE EU TO BOA?
Ela vai e fica de costas e vai baixando lentamente seu shortinho juntamente com a calcinha, me olha arteira e inclina o corpo para frente abrindo as bandinhas de seu bumbum pra mim… Eu não sou de ferro, aquela visão já fez meu pau ficar duro, e a olhei e disse:
– VEM CÁ MINHA SAFADINHA…
Ela com o pé sacode longe o shorts e calcinha que estavam nos seus tornozelos, fica só de camisetinha, vem e de pernas abertas senta em cima do meu pau por cima da minha cueca e fica se esfregando toda faceira, enquanto eu olho aquele rostinho…
– LORRY?
– SIM PAPAI?
– EU QUERO BEIJAR VOCÊ. VOCÊ ME DÁ UM BEIJO?
– CLARO NÉ PAPAI!
E na inocência dela, ela se inclina e beija o meu rosto.
– NÃO MINHA FLORZINHA, EU QUERO BEIJAR VOCÊ NA BOCA!
– AHHH PAPAI… ECA… ISSO É COISA DE NAMORADO!
Nossa como eu ri disso, ela na inocência, não tinha pudores pra fazer sexo, mas constantemente à sociedade mostrava pra ela que beijo na boca era coisa de namorados, e ela estava resistente.
– DEIXA LORRY? SÓ UM BEIJINHO, VC VAI GOSTAR!
– AFF… TÁ BOM PAPAI…
E comecei a beijar aquela boquinha linda de lábios rosinhas e doces. E ela os poucos foi se entregando.
– GOSTOU LORRY?
– SIM PAPAI… ME DÁ MAIS BEIJO?
– CLARO MINHA FLORZINHA!
E continuei beijando ela, enquanto com as mãos segurava sua bundinha e a guiava em um vai e vem gostoso em cima do meu pau duro, mas ainda na cueca, conseguia sentir sua rachinha quente e úmida no meu pau…
– DEITA AQUI E ABRE AS PERNINHAS LORRY, DEIXA EU BEIJAR TUA PPKINHA!
Ela riu e deitou e já se arreganhou toda pra mim. E mergulhei naquele paraíso virgem, rosa e apertado. Cheiroso como uma manhã de primavera. Chupei aquela bocetinha e ela gozou loucamente em minha boca.
Naquele momento, tudo que eu pensava e queria, erra arrebentar aquela boceta com minha rola, deixar ela em andar mais dia.
– LORRY, VC LEMBRA O LEITINHO DO PAPAI QUE VC VIU?
– LEMBRO SIM PAPAI, O QUE TEM?
– VC QUER BEBER ELE?
– UAI… E PODE BEBER PAPAI?
– PODE MEU AMOR, É LEITINHO, PRA VC CRESCER FORTE!
– ENTÃO TÁ PAPAI!
– VEM BÊBÊ, COLOCA A BOCA NO PINTINHO DO PAPAI, E CHUPA COMO SE TIVESSE CHUPANDO UM PICOLÉ
Ela se abaixa e começa a chupar meu pau, parecia que aquela boca era ensinada, nem precisei falar nada, ela fazia com maestria! Sabia usar a língua, lambia e sugava todo o meu pau, claro que não entrava tudo em sua boquinha, mais ela lambia da base até a cabeça…
– AI LORRY, COLOCA A CABECINHA DO PINTINHO NA TUA BOCA LORRY, VOU TE DAR TEU LEITNHO FILHA!
Ela colocou, e eu gozei muito em sua boca, e a danadinha não deixou escorrer nem uma gotinha, aparou tudo na boquinha e engoliu. Dai fez uma cara de nojo!
– ECA PAPAI, NUM TEM GOSTO DE LEITE NÃO… QUE LEITE RUIM PAPAI…
E ficou esfregando as mãozinhas na lingüinha!
– VOCÊ NÃO GOSTOU FILHA?
– É MUITO RUIM PAPAI!!
– MAS VOCÊ TEM QUE BEBER O MEU LEITINHO… VOCÊ NÃO QUER FICAR FORTE?
– QUERO PAI, MAIS É MUITO RUIM!!
– HUMM, ENTÃO SÓ TEM UM JEITO DE A GENTE NÃO DEIXAR VC FICAR FRAQUINHA, E AINDA ASSIM TER O LEITINHO DE PAPAI…
– SÉRIOOOOOOO?????
– SIM MINHA FLORZINHA!
– QUAL É PAPAI… FALA FALA!!
– É A GENTE GUARDAR O MEU LEITINHO NO SEU COFRINHO DE LEITE!
– EU NUM TENHO COFRINHO DE LEITE…
– TEM SIM MEU AMOR, QUER QUE EU TE MOSTRE?
– EU QUERO!
– VAI, DEITA E ABRE AS PERNINHAS!
Ela deita, e abre bem as perninhas, eu pego as suas mãozinhas e ensino a ela como deixar a bocetinha bem arreganhada com os dedinhos. Sua bocetinha estava tão abertinha, que eu conseguia ver seu lindo cabacinho… Peguei um espelhinho e mostrei pra ela.
– AQUI FILHA, ESSE É SEU COFRINHO DE LEITE!
– NOSSA PAPAI… EU NEM SABIA QUE EU TINHA ISSO!!!
– VC QUER SENTIR O LEITINHO DENTRO DO SEU COFRINHO DE LEITE LORRY?
– EU QUERO SIM PAPAI… COLOCA LEITINHO NO MEU COFRINHO DE LEITE VAI!!
– OLHA FILHA… LEMBRA O QUE A GENTE FEZ NO SEU BUMBUM?
– LEMBRO SIM!
– VOCÊ GOSTOU NÃO FOI?
– GOSTEI MUITÃOZÃO PAPAI… MAS DOEU MUITO DEPOIS…
– ENTÃO FILHA, A GENTE VAI TER QUE FAZER AQUILO, AQUI DENTRO!
– VAI DOER PAPAI?
– OLHA FILHA, VAI DOER SIM! VAI DOER AGORA, E VAI DOER DEPOIS QUE NEM DOEU NO SEU BUMBUM NO OUTRO DIA. MAS DEPOIS PASSA A DOR E VOCÊ VAI GOSTAR MUITO. VOCÊ QUER FAZER? SÓ VOU FAZER SE VC DISSER QUE QUER! QUER OU NÃO?
– AI PAPAI, TO COM MEDO…
– ENTÃO A GENTE NÃO FAZ TA BOM?
– MAS EU QUERO!!! SÓ TO COM MEDO… O SENHOR FAZ DEVAGAZINHO?
– MAS É CLARO MINHA FLOR… NUNCA VOU MACHUCAR VOCÊ!
– ENTÃO PODE FAZER PAPAI!
– ENTÃO PEDE MINHA FLOR… PEDE ASSIM PRA PAPAI: ‘PAPAI, COLOCA SEU PINTO DENTRO DO MEU COFRINHO DE LEITE, POR FAVOR PAPAI”.
– RSRSRSRSRSR PAPAI, COLOCA SEU PINTO DENTRO DO MEU COFRINHO DE LEITE, POR FAVOR PAPAI
– COLOCO SIM MINHA VADIAZINHA!!!
Peguei um lubrificante, e comecei a melecar ela toda, e Tb todo meu pau… Fui me esfregando nela e deixando ela bem excitada e com o grelinho duro. Posicionei a cabecinha do pau na entradinha da sua xoxotinha e fui forçando aos poucos…
– TA DOENDO MINHA FLOR?
– TA SIM PAPAI… TA DOENDO MUITO!
– QUER QUE EU PARE?
– NUM SEI PAPAI… TENTA SÓ MAIS UM POUQUINHO!!
Eu, que nesse momento nem via mais minha filha ali, e apenas uma putinha a ser comida, notei que uma segunda chance eu não teria, se ela dissesse que queria que eu parasse, não ia mais fazer, então de uma vez só eu estoquei naquela bocetinha, rasgando o cabaço dela de uma vez e fazendo meu pau se enterrar nela quase até a metade… Ela deu um grito e começou a chorar alto…
– XI XI XI GATINHA CALMA
– TIRA PAPAI, TIRA PAPAI… TA DOENDO MUITO PAPAI, TA ME MACHUCANDO…
– CALMA FILHA É ASSIM MESMO… JÁ VAI PASSAR!
– PAPAI TA SANGRANDO PAPAI… TA ME MACHUCANDO
– CALAMA FILHA, É ASSIM MESMO… É QUE PAPAI TEVE QUE QUEBRAR O CADEADO DO SEU COFRINHO DE LEITE! MAS JÁ VAI PASSAR, SÓ FICA QUIETINHA
– TA PAPAI…
E ainda chorosa ficou quietinha enquanto eu devagar e com calma começava a foder a bocetinha dela, colocava e tirava, e ela foi começando a sentir prazer, notava pela carinha dela, pelos olhinhos fechados, pela boquinha que ela mordia involuntariamente o lábio inferior…
– TA DOENDO AINDA FLORZINHA?
– TA NÃO PAPAI… TA GOSTOSO KKKK, É UMA COCEIRINHA GOSTOSINHA…
Aquilo me deixou louco de tesão, comecei a foder ela cada vem mais fundo e mais forte e mais rápido… Notava a carinha dela misturando mistos de dor e prazer, ouvia ela suspirando e gemendo como uma cadelinha no cio…
– AI LORRAYNE, SE PREPARA FILHA… VOU TE DAR LEITINHO NO SEU COFRINHO PRA VC GUARDAR… AGORA FILHA….
E gozei… Gozei tanto naquela xoxotinha ex-virgem e apertada, que já começou a escorrer porra pra fora com meu pau ainda dentro. Tirei o pau dela ainda duro… Senti ela estremecer e gozar na hora que fiz isso, e derramar o leito todo de dentro dela… Olhei e a bocetinha dela estava toda aberta, um buraquinho lindo e vermelhinho de tanto ser fodida e esfregada, eu apertava a pélvis dela e de dentro minava mais sêmen, parecia que nunca ia parar de sair porra ali de dentro.
– NOSSA LORRY… SEU COFRINHO DE LEITE É UMA DELICIA SABIA? VOCÊ GOSTOU?
– SIM PAPAI… GOSTEI MUITO, DOEU NO COMEÇO, MAS DEPOIS PASSOU E FOI BEM BOM…
– VOCÊ QUER VER COMO TA O SEU COFRINHO DE LEITE AGORA MINHA FLOR? DEPOIS DE PAPAI TER FODIDO A SUA PPKINHA?
– QUERO PAPAI!
Peguei novamente o espelhinho e mostrei pra ela, ela abriu a boquinha e disse:
– PAPAI… TEM UM BURACO ALI AGORA!
– É QUE PAPAI DEIXOU VC ARROMBADINHA MEU AMOR!
– NOSSAAAAA!!
– VOCÊ GOSTOU DE SER ARROMBADINHA?
– GOSTI PAI!
– DIZ PRA MIM ENTÃO QUE VC É ARROMBADA DIZ?
– EU SOU ARROMBADINHA PAPAI… TU ME ARROMBOU SRSRSRSRSRSR
Levantei um pouco pra guardar o espelho, me deitei de conchinha com ela, enquanto alisava o seu corpinho e fazia carinhas nos cabelos e beijava suas clavículas… Meu pau encostado nas perninhas dela, já dava sinal de vida novamente, e fui passando a mão na sua bundinha, já desejando aquele cusinho de novo, coloquei o dedo na entrada do seu cusinho e forcei-o pra dentro, já antevendo o chiado ou gritinho de dor, ou até um suspiro… Que não veio… Continuei enfiando o dedo no cusinho dela e cheirando seu cabelo…
– LORRY?
Nenhuma resposta.
– FLORZINHA?
Novamente nenhuma resposta.
Meio preocupado tirei o dedo do cusinho dela e viro ela pra olhar o seu rostinho, achando que ela estaria chorando ou algo assim… E qual é o meu espanto quando olho pra ela…
Ela dormiu…

CONTINUA…

PS: O conto é apenas um conto, totalmente fictício, mas espero que tenham gostado, esperem pela parte 3, e talvez uma parte 4… Com todo amor… Giulia <3