Minha querida Lorrayne!!



Click to Download this video!

Sou um cara, que muito cedo me casei com Regina, e muito cedo (2 meses depois de casados) ela engravidou e nasceu Lorrayne, uma bela menina, que sempre desde bebê me encantou. Pouco depois do nascimento da Lorrayne, a minha vida com Regina foi se tornando insuportável, pelo ciúme doentio que ela tinha de mim na época, pois ate da filha ela tinha ciúmes e eu não podia nem ao menos dar um beijinho na minha gatinha…
A nossa vida ia de mal a pior e eu, já prevendo o pior, tentei me separar dela e ela em um momento de loucura, tentou me matar, enfiou uma faca no meu peito quando eu dormia e por muita sorte consegui sobreviver, mas por conta dessa facada passei 3 meses no hospital, e ela, por este ato desvairado, foi presa e condenada a 12 anos de reclusão por tentativa de homicídio doloso (quando há intenção de matar), acabando com isso, a nossa vida de casados e deixando a nossa florzinha, entregue a avó, minha mãe …
Convalesci com muita dificuldade, pois a dor maior era o que Regina tinha feito comigo tentando me matar por ciúmes de nossa florzinha adorada …
Passaram-se 7 anos de tudo isso e eu me recuperei e fui morar com minha mãe e minha filha, ela já com seus 8 anos de idade, se transformando em uma bela menina, cabelos negros, compridos ate a cintura, olhos negros como duas perolas, uma bela e carinhosa menina, que adora o pai … pois sempre que eu chegava, la vinha Lorrayne correndo e se jogava em meu colo … era uma delicia ter o afago e o carinho daquela menina linda e aquilo me tirava todos os aborrecimentos que podia ter tido no meu dia de trabalho … ate então. Juro, nunca tinha tido nenhum pensamento libidinoso em relação aquela perola de menina que era a Lorrayne …
Mas o destino traça todas as linhas de nossas vidas e em um belo dia, minha mãe viaja a trabalho e diz que passará 15 dias fora e ficamos somente eu e Lorrayne, e como eu estava de férias, pude ficar com ela em tempo integral. Levamos mamãe ate a rodoviária, e la foi ela para seus 15 dias fora. Voltamos para casa e ela me pede para baixar alguns filmes infantis, escolhi um bom site com torrent ativo, e ela escolhe uns e eu escolhi uns pornôs, pois, confesso, estar sem mulher a uns 2 meses é duro, e queria aproveitar que mamãe estaria fora para me deliciar com uns filmes pornos pois ninguém é de ferro né?
Assim que os downloads foram concluidos, Lorrayne logo pediu para colocar um na tv e se deitou no sofá para assistir e eu pegando uma cerveja, fico admirando a minha pequena menina, deitadinha no sofá …ela estava usando uma sainha branca, rodada, e como toda menina de sua idade, em casa (ou fora dela ¬¬), nem liga de que jeito se senta ou deita… e pela primeira vez… OLHO a minha menina… deitadinha de perninhas abertinhas… a sainha subiu… e eu pela primeira vez… VEJO a bocetinha de minha menina, por cima da calcinha branquinha… de pano fininho… e senti uma ereção automática, quase animal, por ver a rachinha da Lorrayne marcando naquele cruel pedacinho de tecido de algodão… sim vi toda a extensão da sua xerequinha, pois estava sentado ao lado do sofá, muito perto e meus olhos teimavam em continuar vidrados no meio das perninhas de minha menina… levantei como que impulsionado por uma mola e fui ate a varanda, ainda com o pau duro como uma rocha, com uma ereção total e acendi um cigarro tentando tirar de minha mente aquela visão proibida… escurecia aos poucos e uma leve brisa soprava me ajudando a desanuviar os pensamentos e eu já nem lembrava de nada quando ela me chama…
– PAPAI?
Ai me lembrei de que estávamos só nos dois em casa e que ela precisava de atenção e cuidados…fui ate a sala e ela sorrindo veio correndo e se atirou em meu colo, mas tinha tirado a blusinha e a saia, estando só de calcinha…
Meu DEUS!!! Pensei eu … e a ereção voltou mais forte ainda, sentindo aquele corpinho semi-nu colado ao meu também semi-nu (pois eu estava só de bermudas) …
– PAPAI, QUERO TOMAR BANHO!
Nossa, quase tenho um troço, pois ela, ainda em meu colo, me pede para que a leve ate ao banheiro… Só aí é que eu vi o quanto ela tinha crescido… Tinha ainda formas de criança, mais ainda assim um corpinho lindo e delicioso! Peitinho lisinhos, uma perfeita tabuinha branca, as perninhas lisinhas mais grossas trançadas ao redor da minha cintura, eu podia ate sentir o calorzinho da bocetinha de minha menina em minha barriga… o que fazer? pensei eu… sozinho e com aquele tesão louco aflorando em mim com o pau quase estourando de tão duro… mas era a minha menina, de apenas 8 aninhos que estava em meu colo… pedindo um simples banho…
Tentei de todas as formas possíveis, afastar de meus pensamentos aquela ideia, de que uma bocetinha infante e cheirosa estava me queimando a barriga… Tentei agir naturalmente, e a levei para o banheiro e ela me pede para tomar banho de banheira … abaixo ela no chão e abro as torneiras para encher a banheira de hidro e ela pede para deixar a água bem quentinha…
Saio do banheiro enquanto enche a banheira, pego uma cerveja gelada e tento não me ligar na minha filhinha querida… Mas… quando estou bebendo, ela me chama!!
– PAIZINHO? VEM AQUI!!
E la fui eu, como um robô, sem vontade! Chegando ao banheiro, a banheira já cheia… Ela me pede o que eu tanto venho tentando fugir…
– PAPAI, TOMA BANHO COMIGO?
E dizendo isso, ela vem ate perto de mim e abre a minha bermuda… devagar ela vai abaixando a minha bermuda e me deixando só de cuecas… Quase o pau saindo pelas beiradas da cueca…de tão duro… e ela fica olhando… extasiada e pergunta:
– O QUE É ISSO PAPAI?
Difícil explicar né? Ainda tento dizer para que ela tome banho sozinha, mas ela insiste, quer que eu fique com ela… pois diz ter medo de se afogar e cai na risada, me pegando pelo braço e me levando ate a banheira…
Então ela me solta, e tira a calcinha, e me pergunta:
– POSSO ARRIAR A SUA CUECA PAPAI?
pensamentos, loucos e controversos me invadem a mente… mas… acho eu… o caminho já era sem volta…
Simplesmente, olho dentro daqueles olhos lindos, negros, e balanço a cabeça consentindo, e fecho os olhos…
Sinto aquelas mãozinhas pequenas pegarem na beirada da minha cueca e abaixando-a…
– PAI… SEU PINTO É GRANDE!!! HUMM… POSSO PEGAR NELE?
Quase caio duro, ouvindo a minha menininha dizer aquilo …
Só consegui afirmar com a cabeça, e sentir aquelas mãozinhas pegarem com muito carinho no meu pau, e pude sentir o calor daquelas mãos pequenas, e olhando para ela, vi que ela olhava curiosa para ele… aproveitei e pegando-a no colo, me deitei com ela na banheira e ela sorrindo me abraça e o meu pau entra no meio das pernas de Lorrayne e quase gozo com o simples roçar do meu pau naquela bocetinha!
Já não pensava em mais nada, a não ser aproveitar aquela xerequinha gordinha e lisinha. …
Ela sempre me olhando, se vira e eu sinto o meu pau entrar entre as bandas da bundinha dela, roçando o corpo do meu pau em seu cuzinho rosinha…
Ela, uma menininha de 8 anos, quase me fez gozar só com aquele contato ínfimo…Abraço ela bem devagar,passando os dedos naqueles peitinhos deliciosos, sentindo seus pequenos mamilos endurecerem… e ela geme… e eu pergunto:
– VOCÊ TA GOSTANDO DOS CARINHOS DO PAPAI?
E ela, como se respondendo, vai se encostando mais ainda, forçando aquele bumbum lindo em mim…
– PAPAI, QUERO MAIS CARINHOS!
Sem pensar duas vezes, me levanto, pego-a no colo, enrolo-a em uma toalha, e a levo para a minha cama … Deito-a com muito carinho, e abro a toalha, e pela primeira vez na vida, olho a minha menina como uma mulher…
– VC QUER MAIS CARINHOS MEU BÊBÊ?
– SIM PAPAI, ME FAZ MAIS CARINHO?
Então, bem devagar, e com a maior delicadeza do mundo, para não assusta-la ou pior machuca-la, coloco a boca naqueles peitinhos batidinhos, lisinhos, as aureolas rosadinhas… Sugo-os como se fossem duas uvinhas, sugo-os com prazer, sentindo o doce que eles eram…
Ela só olha, e se mexe um pouco… Não reclama, então continuo chupando os peitinhos de minha menina, e bem devagar vou descendo a língua pela barriguinha dela, e a lambo bem devagar no umbiguinho e desço lentamente a língua em direção àquela xerequinha carequinha e gordinha…
Os meus pudores e respeito próprios e pela minha menina, se foram embora de vez quando ela lentamente abre as perninhas, separando aquelas coxas roliças e me mostrando em todo o seu esplendor aquela bocetinha linda… Me oferecendo aquela xaninha lisinha e rosada… Não tinha mas retorno…
Enfio a língua bem devagar no meio daquela bocetinha… Sentindo seu sabor, sentindo o salgadinho do suor do banho mal tomado, sentindo o cheirinho de xixi que exalava da sua bocetinha mal lavada e com tesão de criança… Ela geme e eu avanço, abrindo de vez as perninhas dela e penetro-a com a língua…
– PAPAI PARA, TO COM VONTADE FAZER XIXI PAPAI… AI, UI, AI PAPAI, EU VOU FAZER XIXI NA SUA BOCA PAPAI…
Ela se contorce e goza em minha boca…
Eu engulo cada gotinha daquele gozinho ralinho dela, e nossa, como era gostoso, só quem já chupou uma criança sabe a diferença de sabores, de cheiros…
Fico de lado dela, mais na posição de 69, e continuo ainda chupando cada centrimetro da grutinha da minha Lorrayne, e sinto ela pegando no meu pau, que chegava a doer de tão duro que já estava… enfiava cada vez mais fundo a minha lingua na xoxotinha daquela criança, como se quisesse buscar a alma dela, nisso sinto minha menina beijando a cabeça do meu pau, e isso foi o suficiente, não consegui me segurar e gozei litros e mais litros de leite branco e viscoso no rostinho da minha filhinha amada…
Ela se assusta, lógico, e tenta sair, mas eu a seguro firme o suficiente para ela não sair, mais não duro o bastante para a machucar, e continuo no meu deleite à sua bocetinha, e ela mais uma vez se entrega, e vai amolecendo na cama, enquanto suspira fundo, geme baixinho, e fecha os olhinhos…
Depois que ela goza pela segunda vez, ela pergunta o que era aquilo que saiu do meu pinto, e eu com toda calma explico, que era o leitinho do papai, um leitinho especial feito só pra ela, e pergunto se ela gostou.
– EU ME ASSUSTEI PAPAI, MAS ERA GROSSINHO E QUENTINHO, QUE LEITE CONDENSADO QUANDO EU ROUBO DO ARMÁRIO DA VOVÓ!
– TA ROUBANDO LEITE CONDENSADO NÉ DANADINHA?
E começo a fazer cosquinhas naquela barriguinha branquinha, nas suas axilas, e começo a toca-la na bocetinha com o dedo, sentindo o grelinho dela ficar durinho de novo, sentindo a xoxotinha dela úmidecendo, molhada não, mas já úmida.
– VC AINDA TA GOSTANDO DOS CARINHOS DO PAPAI MINHA FLORZINHA?
E entre suspiros ela fala:
-SIM PAPAI, TO GOSTANDO MUITO, FAZ MAIS PAPAI POR FAVOR!!
Então a viro de costas, começo a beija-la atrás do pescoço, afastando seu cabelo negro, mordisco o lóbulo da sua orelhinha, e sinto ela tremer, coloco a mão entre as suas perninhas e noto que a danadinha tinha gozado mais uma vez…
Continuo a masturba-la, enquanto a beijo no pescoço.
Vou descendo, e lambendo toda extensão de suas costas, chegando a sua bundinha…
Peço para ela levantar um pouco, e coloco um travesseiro em baixo dela, deixando assim o seu bumbum em uma posição mais elevada em relação ao restante do corpo… como uma lombadinha…
Enfio a língua entre as suas nádegas, e ela meio que por instinto eu acho, abriu mais ainda o bumbum com as mãos, deixando aquele cuzinho todo amostra pra mim… Ele piscava, parecia uma luz de natal…e me acabei lambendo aquele cuzinho, enfiava a língua e babava ele muito, enfiei um dedinho… depois dois… e ela gemendo como uma cadelinha no cio…
Nisso meu pau, já estava latejando de duro novamente, passo um pouco de lubrificante nele e vou roçando a cabeça no seu cuzinho já abertinho pelos meus dedos.
Vou enfiando devagarinho minha rola naquele buraquinho rosa, apertadinho e pequenino, e sinto ela gemendo mais…
– TA DOENDO MEU BÊBÊ?
– TA UM POUQUINHO PAPAI!
– QUER QUE EU PARE MINHA FLORZINHA?
– TA DOENDO PAPAI… MAS TA BOM…
Tiro o pau da bunda da menina, me abaixo e volto a chupar seu cuzinho.
– TA PAPAI, PODE COLOCAR MAIS UM POUQUINHO, JÁ TA DOENDO MAIS NÃO!
e fomos nessa pegadinha, até que vi todo o meu caralho enfiado na bundinha da minha filha… Aqui tenho que relatar um adendo, não posso mentir que aquela visão do meu pau sendo totalmente engolido por um cuzinho tão novinho era muito excitante, mas o que mais me admirou, foi ela com seus 8 aninhos aguentar 22cm de caralho duro e cabeçudo no cuzinho, praticamente sem fazer escândalo nenhum… Nem a mãe dela aguentava metade do meu kct na bunda dela…
Já não mais me aguentando gozo dentro de sua bundinha, e ao mesmo tempo sinto ela tremer de novo tendo seu 4º orgasmo.
Retiro com cuidado e delicadeza o pau do bumbum dela, e olho maravilhado para aquela cena, o cuzinho dela arrombado, um perfeito circulo rosa todo aberto, a minha porra escorrendo aos montes por suas pernas, não me aguento e limpo o cuzinho dela e sua xoxotinha com a lingua, sorvendo o prazer dela misturado com o meu…
-VOCÊ GOSTOU MINHA FLOR?
– GOSTEI MUITÃO PAPAI… VAMOS FAZER DE NOVO?
Aquela menina era insaciável…
– HOJE NÃO MAIS MEU AMOR, SEU BUMBUM JÁ TA MUITO ABERTINHO, PAPAI QUER FAZER CARINHO E NÃO MACHUCAR VOCÊ MINHA BÊBÊ LINDA… MAS DEPOIS PAPAI TE MOSTRA OUTROS CARINHOS LEGAIS TA BOM?
falo isso alisando a sua bocetinha, já prevendo que iria tirar aquele cabacinho…
– TA BOM PAPAI… AMANHÃ A GENTE FAZ MAIS…
E ficamos abraçados assim, até pegarmos no sono os dois…

CONTINUA…

PS: O conto é apenas um conto, totalmente fictício, mas espero que gostem assim mesmo (e sim vai ter mais duas continuações kkk). Me dêem um feedback nos comentários se gostaram, e se é pra eu continuar as aventuras da pequenina Lorry!!! Grata a todos, e com todo meu amor… Giulia <3