Despertar (5 parte – Final)



Click to Download this video!

Meu irmão decidiu estudar pela manhã pois queria passar a tarde jogando futebol ou brincando com os moleques aqui da rua por isso sempre chegava muito suado e com cheiro forte, por essa razão tinha um sono muito pesado e a prova disso é que não acordava antes do alarme tocar 3 vezes, ao chegar sempre ia direto para o banheiro tomar banho e vinha assistir algo antes do jantar, eu também chegava do colégio pelo fim da tarde e quase sempre estava no banho quando ele entrava, era só nós dois de irmão é nunca houve vergonha entre a gente ele tomava banho comigo na maioria das vezes.

Ele estava naquele fase da adolescência que tudo o deixava de pau duro, era só ele entrar no chuveiro e aquele pau já ia crescendo, mesmo assim meu irmão sempre foi de boa e nunca tentou nada comigo, eu sempre disfarçava meus olhares e acho que ele nunca reparou em nada, meu irmão é mais parecido com nossa mãe, tem o corpo magro sem nenhum músculo saliente, apesar de sempre se exercitar, seu rosto é fino e seus pêlos são ralos isso ele puxou do papai, tem muitos em baixo do suvaco e ia cria um cheiro meio forte por causa dos hormônios, vez ou outra ele me pedi pra depilar pra ele pois tem medo de se cortar com a gillete.

Ele não tem pêlos nos peito mais abaixo do umbigo já faz aquele descida para o pênis e saco, nunca depilei ele nessas partes pois ele sempre mantinha bem aparados, aliás meu irmão tem aquela entrada do paraíso que na cueca deixa muita gente babando, depois de acontecer aquelas coisas com o papai comecei a quer novas aventuras e vi no meu irmão uma oportunidade, apesar de nunca ter conversado comigo sobre sexo ou mulher, e sempre que pegava ele se masturbando mandava logo eu saí de perto e brincava pra deixar ele se divertir um pouco, eu sempre tirava sarro e saía.

Papai trabalhava no comercial só chegando de madrugada, eu sempre demorava pra dormir e ficava olhando para o teto já que eu ainda não tinha celular e meu irmão não deixava eu mexer no dele o jeito era passar o tempo escrevendo ou lendo, meu irmão dormia na cama ao lado, sempre sem camisa e short de futebol fino pois ele é do tipo que sente muito calor, como já disse anteriormente não usamos cueca, numa noite eu estava entediado na minha cama quando resolvi escrever, na hora que sentei na cama meu irmão estava visível excitado, tinha um volume armado no seu short, eu fiquei olhando pra ver se ele se mexia e ainda chamei o nome dele algumas vezes, mais nem deu sinal de vida.

Eu fiquei numa batalha interior para não saí da minha cama mais não consegui, levantei e fui até sua cama sentei no chão e comecei a passar minha mão levemente por cima da roupa, seu pau dava uns guinchos mais ele nem se mexia, metade das suas bolas eram visíveis pela perna do short e vendo que ele não acordava comecei a passar minha boca e morder de leve aquela rola por cima da roupa, não sei exatamente o tamanho mais devia estar com uns 16cm na época era grossa meio torta pra esquerda e diferente da piroca do papai a dele não tem divisão ela tem uma largura só, aquela rola é bem vermelhinha e a pele do pênis não cobre totalmente a cabeça da rola.

Eu tirei pra fora e comecei a punheta ele de leve, seu pau tava super duro inchando vez ou outra na minha mão, eu me aproximei da cabeça e comecei a cheirar aquela rola, passei a língua e fui colocando aos poucos ela na boca até entrar tudinho eu chupei gostoso, meu irmão continuava dormindo e eu chupei até cansar já que ele não gozava, acabei indo dormir depois de bater uma gostosa punheta enquanto chupava o pau do meu irmãozinho, isso se repetiu todas as noites, ele nunca desconfiou de nada, ele também nunca gozou o que me deixava frustrado, então decidi que queria chupar ele acordado.

Minha pegação com papai continuava todas as manhãs e não falei pra ele que chupava meu irmão, eu já estava acostumado a levar rola toda manhã e papai me tratava cada dia com mais amor, mais tivemos que dá uma pausa no nosso romance pois chegou às férias e meu irmão não sairia mais todas as manhãs e papai decidiu que seria melhor a gente não fazer mais nada por enquant o.

Nos dias seguintes meu irmão começou a acordar mais tarde e depois de tomar café, ficava na sala assistindo ou mexendo no celular, a tarde ia sempre pra rua e como tava de férias às vezes acompanhava ele, a noite quando papai estava no trabalho a gente ficava jogando vídeo game e as vezes ele sai com os amigo a deles, nada aconteceu até uma tarde quando a gente chegou da rua e foi tomar banho já estava na metade do mês e logo às aulas iriam voltar, meu irmão tirou a roupa e vi que ele estava todo peludinho inclusive seu pênis é saco, como não estava mexendo com eles esses dias não tinha reparado nisso, porém não disse nada terminamos o banho e ele me chamou pra jogar vídeo game, foi aí que tive uma idéia. Enquanto ele colocava o jogo eu comecei a tirar onda do fato dele sempre perder pra mim.

– Eiii você não cansa de perder pra mim?
– Tá maluco é, hoje eu vou ganhar.
– Duvido tu sempre perder – falei zoando.
– Eita mentiroso eu sempre ganho isso sim, seu leproso.
– Hahaha não sabe perder e fica me xingando.
– E tu que quando perde fica chorando aí, por isso que eu deixo tu ganhar as vezes otário.
– Ah é tu tem garante então? Vamos apostar então seu otário.
– Vamos mesmo, se tu perder vai lavar as louças do jantar o resto do mês.
– E se eu ganhar ???
– Sei lá escolhe aí chorão.
– Tá bom se eu ganhar você vai fazer a janta pelo resto do mesmo.
– Tá valendo quero só ver irmãozinho tu me ganhar kkk

Comecamos uma partida de futebol e fiz de tudo pra ganhar, pois meu irmão odeia cozinhar, deu certo acabei ganhando e ele ficou furioso dizendo que era injusto, que eu tinha roubado e tal, acabei vendo a oportunidade perfeita e fui logo falando.

– Vamos de novo então, se você ganhar não precisa fazer a comida e eu vou ter que depilar você todinho então vai querer?
– Bora otário tu vai perder é agora e ainda vai ter que me deixar lisinho seu leproso, agora tu vai ver quem manda aqui.

Eu joguei pra ganhar, mais sempre tomando cuidado de não exagerar o jogo acabou indo para os pênaltis e nessa hora eu pedir dois gols de propósito, foi a chance dele ganhar e fica me zoando por um tempo, eu fingi que tava triste e fiquei reclamando pra ele não perceber que tava muito era feliz, depois de mais umas partidas ele falou que tava na hora de pagar o desafio, ele tirou a camisa e bermuda e foi se dirigindo para o banheiro eu entrei com roupa e tudo mesmo.

Eu depilei as axilas dele primeiro, os peitos, costa, barriga e finalmente era hora do pênis, ele tirou a cueca e vi aquele monte de pêlos que eu não aparou por causas das férias, chamei ele de nojento e fingi que não tava gostando mais por dentro eu estava adorando aquele momento.

– E presta atenção pra não me cortar, cuidado otário.
– Porra mano tu é nojentinho né nem se depila mais.
– Nojento é meu pau, anda logo que ainda falta meu saco.

Eu segurei bem firme o pau dele e depilei o máximo que podia sem machucar, depois eu subi um pouco ela e raspei o saco dele, eu respirava acelerado e ele só ficava me olhando e rindo.

– Aí seu viado, cuidado!
– Meu cú no teu pau nem te machuquei seu medroso.
– Meu pau no teu cú mesmo, vou te arromba se tu me machucar.

Ao fala isso seu pau comecou a crescer na minha mão, vendo isso eu comecei logo investir, eu segurei bem a chapeleta dele e comecei uma punheta bem lentamente, ele arregalou os olhos mais não falou nada só ficou me olhando, eu bati uns cinco minutos e perguntei se alguém já tinha chupado ele, na hora ele fechou a cara mais respondeu que só uma vez, ele se soltou da minha mão e foi se banhar eu ficou limpando os pêlos do chão, ele perguntou se não ia tomar banho, aproveitando tirei toda minha roupa e entrei no chuveiro com ele eu estava de pau duro e fiquei de costa pra ele, em alguns momentos seu pai encostou no meu bumbum e eu ainda mexia um pouco provocando.

Em determinado momento ele me encoixou contra a parede e senti todo aquele pau na minha bunda ele chegou no meu ouvido e falou bem baixinho – por que tu perguntou se alguém já me chupou, tu quer chupar meu pau?. Eu dei uma boa rebolada daquela vara deixando ele mais excitado e sem falar nada baixei e comecei a sugar seu pau com muito desejo, eu engolia tudo de uma vez, minha boca já conhecia aquele pau, eu chupei por uns 10 minutos e ele não gozava, eu já estava com a boca doida quando ele falou algo que fez meu coração acelerar mais uma vez – Vira aí deixa eu te comer, falou não aguentando mais de tesão.

Eu chamei ele pro quarto e fiquei de 4 na cama, ele fazia cara de surpreso mais não hesitou em nenhum momento, se posicionou atrás de mim e socou o pau dele todinho de uma vez só, eu soltei um grito é fiquei com as pernas bambas, na hora me deu raiva e eu comecei a chorar, ele pediu um monte de desculpa e disse que ia parar, vi que não era maldade dele é sim falta de prática então mandei ele enfiar de novo mais de vaga, ele foi me penetrando bem devagarinho e comecei a senti prazer, eu rebolava e piscava meu cuzinho naquela rola, seu pau ia lá no fundo me fazendo gemer alto, ele tirava tudo e enfiava de uma vez, eu via estrelas mais o tesão era maior, ainda trocamos de posição algumas vezes e o danado demora pra gozar me deixando todo meladinho e com o rabo ardendo, ele tirou o pau do meu cu e gozou litros e mais litros de gala na minha cara, eu fiquei mole depois dessa foda e o melhor é que o rola dele não amoleceu e depois de tomar banho ele me fodeu de novo, naquela noite dormir todo dolorido mais muito feliz, eu fiquei na cama com ele mexendo no seu celular até ele dormir e o papai chegar.

Depois que voltou às aulas eu tinha rola de manhã e a noite antes de dormir, isso durou até meu irmao ir para o exercito, meu pai casou de novo depois dos meus 17 anos e comecei a namorar outros caras, tive outras aventuras muito gostosas e se quiserem saber mais é só pedirem 😉