Eu e o Professor dotadão



Click to Download this video!
Autor

Eu tinha 14 prá 15 anos e estava numa sinuca de bico. Ia ficar em recuperação em matemática(que era um pesadelo prá mim) e provavelmente, iria ser reprovado, levar uma bomba daquelas. Como fazer? Estava um dia entretido em meus pensamentos, quando o Doni(professor de matemática) passou pela minha carteira e disse: Posso falar com vc depois da aula? Eu respondi que sim, e quando o sinal da escola tocou, esperei todo mundo sair, e me aproximei do professor. Ele olhou prá mim, e disse: Espera um pouco. E foi e fechou a porta da sala de aula aonde estávamos. Em seguida, pediu prá eu me sentar na cadeira e se sentou na cadeira ao meu lado. Sem fazer muitos rodeios, ele me disse: estou muito preocupado com vc, e sei que vc não gosta de matemática. Desse jeito, vc vai levar bomba e repetir de ano. É isso o que vc quer? Eu disse que não e perguntei como eu poderia mudar a minha perspectiva. Doni sorriu e disse: bem, eu soube que vc andou tendo uns casos aqui na escola; se vc me chupar, eu posso aliviar pro teu lado. Doni não era de se jogar fora, tinha 1,78m, moreno claro, cabelos aloirados e o mais importante, era muito bem dotado, pq o pau dele fazia um enorme volume por dentro das calças do cara. Eu disse prá ele que, já que eu teria que chupar, eu iria dar prá ele bem gostoso. Doni riu, dizendo que eu não poderia suportar um cacete do tamanho do dele. Eu disse prá ele: acredite, professor, o que eu aguento rindo, muito viado por aí não aguenta chorando. Ao dizer isso, despertei o tesão do professor, que se levantou, passou a chave na porta, e veio com o pauzão duro prá fora. Nossa, era enorme ao extremo, 20 cms só o comprimento do cacete, fora a largura, era grosso por demais. Fiquei com água na boca, o cuzinho começou a piscar de tesão, e aí eu caí de boca, e comecei a tentar mamar naquela pica maravilhosa. Claro que, por mais que eu tentasse, eu jamais iria conseguir pôr tudo aquilo dentro da minha boquinha de adolescente, mas fiz o que pude. Doni revirava os olhos de tesão, e não aguentando mais, pediu prá eu dar a bundinha prá ele. Me levantei, abaixei minhas calças, exibindo minha bunda branca e lisinha, e me deitei sobre a mesa da sala de aula. Aproveitei e passei um pouco de minha saliva no meu cuzinho, deixando ele bem lambuzado pro cacete do Doni poder entrar sem problemas. Doni então, encostou a cabeça daquele cacetão no meu cuzinho e forço uma, duas, três vezes. Ele me disse: não dá vc é muito apertado. Coitado. Que ilusão do Doni! Como eu, iniciado no sexo aos 10 anos de idade, não aguentaria aquela caceta maravilhosa que mais parecia um troféu? Falei prá ele: calma que vai dar certo. Novamente, eu passei mais saliva no meu cuzinho, esbusuntei mesmo, e falei prá ele: agora vem que vc vai conseguir. Ele novamente se posicionou e forçou, ao mesmo tempo, eu empurrei minha bundinha prá trás. O efeito foi instantâneo, a pirocona entrou gostoso, destruindo as pregas restantes do meu cuzinho sedento de pica. Doni se debruçou sobre mim, passou os braços dele por baixo dos meus e começou a bombar freneticamente o meu cuzinho, e eu gemia gostoso e baixinho prá que ninguém nos ouvisse. A cada bombada, parecia que eu iria sair do chão, algumas bombadas eu chegava a sair do chão, tamanho o tesão de Doni ao foder meu botãozinho do amor. E eu gemia e pedia prá ele gozar dentro de mim, e ele falou ao meu ouvido: e vc achou que eu não iria gozar dentro de vc? Com o tesão que eu tô sentindo, é capaz de eu te explodir quando gozar dentro de vc. Ele socava e socava mais e mais, aumentando a velocidade da foda, até que cravou a pica no meu cu e gemeu gostoso no meu ouvido. Senti fortes jatos de porra quente inundarem meu cuzinho esfolado e saciado. Doni tirou a pica do meu cu e deu um beijo na minha bunda, me agradecendo pela foda gostosa. Em seguida, ele se vestiu, e eu fiz o mesmo. Demos um selinho e fomos embora dali sem ninguém nos ver. O resultado é que eu passei de ano, e como Doni foi generoso comigo, eu retribui, indo na casa dele prá dar prá ele de novo bem gostoso. Nunca me esqueci dessas fodas tão gostosas que dei com o Doni.