O Melhor Amigo do Homem 7 – A Iniciação de Juliana



Click to Download this video!
Autor

Aquela conversa não me saia da cabeça, Juliana é uma nifetinha muito gostosa, quase do tamanho da mãe, cabelos ondulados castanho escuro em cima dos ombros, olhos graúdos, boca de lábios carnudos sempre pintados, pernas grossas, bunda arrebitada, os peitos um pouco maior que uma laranja grande, duros, de bicos pontudos, eu já tinha visto ela de biquíni na piscina da Karla e discretamente babava naquela delícia.

Dois dias depois, ligo para a Fátima, tinha que saber se ela continuava com o mesmo propósito de ver sua linda filhinha dando para o Zeus e consequentemente para mim também, apesar dela não ter falado diretamente sobre esse assunto, mais eu não poderia deixar passar essa oportunidade.

Oi! Minha gostosa, estou com saudades dessa carequinha gordinha, estou sentindo o gosto dela na minha boca.
Ela – você fala assim ela fica pulsando, é incrível como ela reage só em eu ouvir a sua voz, baba logo, e a dona dela fica que não se aguenta de vontade de dar ela para esse cacetão fazer o que quiser com ela.
Eu- olha que eu acredito!
Ela- assim me deixa chateada, sabe que depois que te conheci só penso em você, só me satisfaço com esse pauzão enfiado em mim.
Eu- liguei porque fiquei pensando naquele papo do seu marido, e ele continua com as mesmas conversa?
Ela- ele naquele dia na hora que estávamos transando falou que eu estava muito exitada porque estava muito melada, mau ele sabe que eu estava encharcada com a tua porra, e ele ainda chupou minha buceta.
Eu- e o papo dele ser corno?
Ela- na hora que ele estava muito exitado metendo em mim, eu falei que gostaria que o pau dele fosse maior e mais grosso para me preencher toda.
Eu- e ele?
Ela- me chamou de tarada e disse que eu estava muito saidinha, mais gozou logo, eu tenho certeza que vou conseguir, da próxima vez vou pedir para ele deixar eu experimentar um maior para ver o que ele vai dizer, só em pensar em colocar você na nossa transa já fico toda escorrendo.
Eu- e quando vamos colocar o Zeus para dividir esse bucetão?
Ela – sabe Paulo vou te confessar uma coisa, sabe aquele assunto que te falei da Juliana?
Eu- sei, que ela estava alisando o Zeus?
Ela- sim, sabe, nunca imaginei que fosse pensar isso, mais eu estou com o maior tesão de ver o Zeus grudado na Juliana, acho que estou ficando doida!
Eu- está não, você tá me saindo uma bela putinha tarada!
Ela- eu acho que tinha uma puta dentro de mim e você fez ela surgir, estou gostando muito.
Eu- tem certeza que quer ver ela com o Zeus? Ele vai tirar aquele cabacinho?
Ela- só se for do cu, eu estava conversando com ela e me confessou que já deu para o namoradinho dela, mais foi só duas vezes e ele tem um pau pequeno.

Meu coração disparou com essa confissão, era tudo que eu queria saber, eu iria ter aquela nifetinha, dada pela sua própria mãe.

Eu- tem certeza que é isso que você quer?
Ela- não vejo a hora de ver, fico de buceta melada só de pensar de ver o Zeus grudado com nela.

Combinei com a Fátima para ir conversando com a Juliana sobre ter pena do Zeus nunca ter transado e de que como seria preocupante ter que colocar ele para cruzar com uma cadela desconhecida e se seu marido visse ele agitado poderia fazer isso.

Estava que não me aguentava de esperar, ligo para a Fátima,: – oi amor, como está indo com a Juliana?
Ela- melhor do que pensava, falei tudo que combinamos e ela não quer nem saber de ver o Zeus com uma cadela.
Eu- então continua fazendo ela ficar cada vez mais com pena dele, e quando você menstruar diz para ela que vai me chamar para vocês conversarem comigo como fazer para ajudar ele, mais ela tem que estar junto!
Ela – porque quando eu menstruar?
Eu – deixa comigo, na hora você vai saber!

Procurei não ligar para a Fátima, apesar de já fazer quase duas semanas sem notícias delas, mais não poderia mostrar que estava ansioso, não parava de pensar que teria Juliana para mim, só que não poderia deixar a Fátima perceber que eu não me aguentava mais de vontade de fuder aquela bucetinha quase virgem, que na verdade para mim era.

Uma tarde recebo uma ligação da Fátima: – oi gostoso, quanto tempo!
Eu:- estava muito ocupado com uns probleminhas na empresa mais com muita saudade de você, não vejo a hora de te dar um beijo!
Fátima: – como você pediu, menstruei hoje, a gordinha entrou em recesso por alguns dias ok.
Eu- quem falou?, vou adorar saborea-la com molho….Ela- sério? Tem certeza que não vai ficar com nojo de mim?
Eu: – você sem molho já é gostosa, imagina com,….seu marido está na cidade? Ela- tá sim, mais viajar depois de amanhã e vamos ficar livre por quinze dias, eu não quero nem saber que a Karla também está chegando, mais não vou te dar descanso, sei que ela vem doidinha para matar a saudade desse colosso de cacete! Te vira!

Eu: – e a Juliana?
Ela: – ela não sabe que estou ligando para você, mais ontem até chorou quando eu disse que iria falar para o pai dela arrumar uma cadela para o Zeus porque estava com dó dele, você sabe que quando ele me ver já vem querendo me pegar o safado, ela me pediu para tentar falar com você, eu disse que estava com vergonha de falar desse assunto com você, mais por causa dela eu iria te procurar.

Eu com o pau doendo de tão duro só de saber que teria aquele presente para mim, mais sempre sem demonstrar o interesse.

Então vamos fazer o seguinte, amanhã você diz para ela que falou comigo e que no outro dia à tarde eu vou passar na sua casa para conversar com vocês duas a respeito de como ajudar o Zeus.

No dia marcado cheguei, toquei a campainha, e Fátima me aparece, estava linda e gostosa, com uma saia curta e rodada, parecia que iria mostrar a calcinha a qualquer momento, apesar de ser um pouco acima do joelho, mais sua bunda deixava mais sexy e a sandália de salto ajudava, os seios na blusa fina e sem sutiã deixava os bicos marcadores, me deu vontade de chupalos, mais tinha que manter a distância.
Eu: – tudo bem, lhe comprimento com Beijinhos no rosto….ela:- tudo bem Paulo, entre!

Fui conduzido até a sala, não vi Juliana, mais fiquei na minha… Fátima: – aceita um suco? acabei de fazer….eu:- aceito estar quente a tarde.

Fátima me encarou com um leve sorriso naquela boca linda me dando uma piscada e saiu rumo a cozinha me deixando com os pensamentos voado, onde estaria Juliana, será que teria ido para a aula junto com o irmão?….ficou com vergonha de conversar comigo…. será .. será… até que me chama a atenção uma voz doce e suave, boa tarde Sr Paulo! Fiquei paralisado por segundos, estava na minha frente uma boneca viva, cabelos escovados, olhos graúdos me olhando e um sorriso lindo naquela boca de lábios grossos pintados com um batom quase vermelho, uma blusa de alça que deixava aqueles monumentos de seios sem sutiã, não precisa usar, marcando o tercido leve da blusa, uma mini saia Jens branca no meio das coxas grossas de pelos dourados e nos delicados pés, uma sandália prata de saltinho.
Sai do transe em que entrei por instantes, e Falei, se me chamar de Sr vou me achar velho! e sorrimos juntos e segurando sua mão dou um beijo, olho para o lado e vejo Fátima com uma bandeja na mão e os copos de suco sobre.

Começamos uma conversa onde eu elogiei a Juliana para a Fátima dizendo que ela tinha uma filha linda, que parecia com ela, que claro ficou lisonjeada com a comparação.

Sentamos no sofá, as duas de frente para mim, não pode deixar de observar a calcinha de Juliana, parecia de renda, com as pernas cruzadas eu via só a frestinha no fundo do vale formado por suas pernas, Fátima como com ciúmes por saber que eu estava vendo a calcinha da filha, falou: – então você achou minha filha parecida comigo? E por tanto também linda kkk….eu: não sei qual a mais bonita kkk

Depois dos sucos, eu:- então Fátima você me falou que precisava de uma ajuda minha, o que seria?…. Fátima:- sabe Paulo, um dia conversando com a Karla, você sabe que eu também como ela tenho um cachorro e estava preocupada com o meu, o nome dele é Zeus, não sei nem como te falar, mais além dele também estou aqui para te falar desse assunto pela minha filha que igualmente a mim está preocupada com ele, pois Karla me disse que você poderia me ajudar também como ajudou ela. Olhei para Juliana que por vergonha mudou o semblante, mostrando o constrangimento Naquele rostinho lindo.
Eu: – imagina, fique tranquila, eu já imagino o que pode ser, mais não é bicho de sete cabeças, tudo se resolve, mais me fala o motivo de tanta preocupação!
Fátima: – é que o Zeus nunca cruzou com cadela nenhuma e ele não pode ver agente que já vem trepando na nossas pernas, a Juliana por ser pequena e mais frágil, ele à domina, ela não tem forças para ele, e se não ajudar ele pode machucar.
Eu: – tá bom, vou arranjar uma cadela de um amigo para cruzar com ele.

Juliana reagiu de imediato, não! Não queremos que ele cruze com cadela nenhuma, ele pode pegar doença e morrer, a mamãe falou que a Karla disse que você ajudou ela sem precisar de nenhuma cadela!

Eu fiquei olhando para aquela coisinha linda já com os olhos lacrimejando, e falei: – olha da forma que eu fiz com o barão e a Karla, não sei se vocês vão fazer!
Juliana: – pode falar que agente faz, gostamos do Zeus até mais do que ela gosta do dela!
Eu: – então vou falar, mais não me levem a mal, soltei a bomba, mais se não desse certo ia ficar frustado, já estava sentindo aquela bucetinha na minha pica lhe arrombando toda.
Só tem um jeito,…. a Fátima transar com ele!…Juliana me olhou espantada, e perguntou :- como assim transar com ele? Fátima se manteve calada e deixou eu conduzir a conversa.
Eu: – Juliana, deixa te mostrar uma coisa, peguei o celular e usei a mesma mágica que funcionou com a Karla e com a mãe dela, botei o filme para ela ver, uma mulher transando com um cachorro labrador e seu marido ajudando. Ela viu o filme todo, olhou para mim e perguntou, esse nó também entra como entrou nela?
Eu vi que ela se assustou com o nó, falei, nem sempre entra, mais é a única forma de ajudar o Zeus, vou contar um segredo, foi assim que a Karla fez, transou com o barão, mais não vão falar que contei para vocês!
Então como vamos fazer?

Fátima pela primeira vez falou, eu gostaria muito de fazer, de ajudar o pobrezinho, mais estou menstruada, a única solução vai ser arrumar uma cadela mesmo, só que o seu pai vai pegar qualquer uma!…Juliana estava estática olhando para a mãe que disparou: – filha, meu amor, você não quer ajudar o Zeus? Juliana: – quero muito mãe! Então porque você não faz, só nos vamos saber e mesmo assim você não é mais virgem, e com o Paulo aqui tenho certeza que vai correr tudo bém, ele já está acostumado e pode segurar o zeus!

Juliana ficou nos olhando por um instante, baixou a cabeça, e meu coração disparado com o suspense na expectativa da sua resposta, e a Fátima insistiu, faz filha, pensa no Zeus!
Juliana mesmo em dúvida pelo inusitado estava exitada, os bicos dos seios lhe entregavam, parecia que iriam furar o tercido da blusa a qualquer momento, deu uma respirada e falou: – para ajudar o Zeus eu vou fazer, mais se meu namorado souber?
Fátima:- como ele vai saber se só está nos aqui, e ninguém vai contar! Já lhe abraçando.

Eu me adiantei antes que houvesse desistência, Fátima me arranja uma meia do seu marido, uma manta grossa e traz o zeus aqui, claro que tudo já estava preparado por ela, agora é que Fátima tinha entendido o porque de tudo ser feito quando ela estivesse menstruada.
Fátima saiu para providenciar o meu pedido e eu fiquei conversando com a Juliana procurando lhe deixar relachada, Juliana: – Paulo a Karla transou mesmo com o cachorro dela? Eu: – sim, mais não fala que contei para vocês tá? E ela gostou muito….Juliana: – sabe Paulo eu tenho uma amiga que tem um labrador e ele também não cruzou com ninguém, mais ela fica brincando com o bilau dele até ele melar a mão dela com uma gosma, ela fala que no pé do negócio dele tem um caroção!…eu: – o caroção que ela fala é o que você viu no filme é depende de cachorro para cachorro, varia o tamanho,…. Juliana:- será que o do Zeus é Grande?…eu:- não sei, ainda não vi o dele, mais faça tranquila que não vou deixar ele lhe machucar.

Meu pau estava muito duro e tenho certeza que ela percebeu pois olhava disfarçado para ele.

Eu: – Já passando a mão em seu cabelo, vamos lhe preparar, e já com carinho fui retirando sua blusa, saltou ao meus olhos duas maravilhas de bicos duros e rosados, parecia que tinham sidos desenhados pelo mais profissional dos pintores, todo arrepiado com o contato das minhas mãos em seu corpo, abri o zíper da saia e me pus de joelhos e fui baixando, a medida que ia retirando aquela peça meu coração disparava, e aparecia uma calcinha de renda minúscula, uma elevação que mostrava o quanto ela tinha erdado da mãe uma buceta carnuda e grande, mesmo com a calcinha dava para ver que era totalmente carequinha, já com uma pequena mancha que entregava o quanto estava se exitando com a situação. Passei a mão aberta pelo bico dos seios sentido a maciez e ao mesmo tempo o quanto eram firmes, ela aumentou a respiração, não retirei a calcinha apesar de estar louco para isso, preferi ficar acariciando seu corpo até sua mãe chegar.

Fátima entrou na sala com o Zeus, cachorro safado, já tinha certeza que iria desfrutar de mais uma beldade, desta vez uma garota linda, gostosa e novinha, era realmente um cachorro de sorte. Veio fazendo festa quase me entregando, estava me agradecendo de alguma forma. Juliana: – olha mãe o Zeus até parece que conhece ele, nem estranhou? Eu:- é assim mesmo, como vocês estão aqui ele não estranha, Fátima : – é isso mesmo!

Peguei a manta da mão da Fátima e estendi no chão, coloquei as meias nas patas dele, tudo com o olhar curioso de Juliana, pedi para a Fátima retirar sua calcinha, vi nos olhos da mãe o quanto estava se deliciando com a situação, ela foi baixando devagar, e a calcinha ficou com o Fundinho preso naquela maravilha de buceta, mostrando o quanto estava enfiada nela e no seu cuzinho, Juliana abriu levemente as pernas liberando de vez a peça, Fátima retirou de vez e como um troféu me entregou, sem Juliana perceber, levei ao nariz sentindo o aroma gostoso de uma bucetinha novinha e molhada, quase gozei, era demais tudo aquilo. Guardei no meu bolso para ficar de lembrança.
Enquanto a Fátima segurava o Zeus que incrivelmente esperava com a língua pendurada, fui conduzindo a Juliana e lhe posicionado de quatro sobre a manta, meus amigos, que visão! Sua buceta tufou entre as pernas, seus lábios grossos fechadinhos parecia que nunca nada tinha entrado ali, como fiz com sua mãe e a pretexto de prepara-la, cai de boca, para ela foi um susto, acho que o namoradinho nunca tinha feito aquilo, pedi para ela relachar, e fui chupando, metendo a língua o mas fundo que podia, como eu gostaria de ter uma língua pelo menos igual a do Zeus, parecia que estava enfiando numa fornalha. Não sei quanto tempo bebi daquele néctar adocicado e grosso que saia daquela gruta, Juliana com uma mistura de grunhidos e gemidos gozava sem parar na minha boca, tenho certeza que ela nunca tinha sentido nada igual, sua buceta estava maior, brilhante, fechada mostrando um grelinho durinho, apertada entre as coxas, fui beijando suas costas, cada vez que minha boca tocava a sua coluna era como se eu estivesse lhe dando choques, beijei sua orelha mordendo seu lóbulo, desci pelo pescoço Mordendo a sua nuca por baixo do cabelo e fui até o seio que parecia que também estava maior e bem duro, chupei os bicos. Juliana não controlava seus gemidos de prazer.
Fátima ao lado segurando o Zeus e passava a mão na buceta por cima da saia. Peguei o cachorro e levei para trás de Juliana e pedi para a Fátima ficar dando carinho para a filha enquanto eu colocava o zeus. Deixei por conta dele para ela acostumar, ele deu várias lambidas nela que ia da buceta até o cuzinho rosado, toda vez que ele lambia ela reagia com pequenos gritinhos.

Zeus estava no controle, quando satisfeito das lambidas montou nas costas de Juliana fazendo ela sentir todo o seu peso, tentou enfiar vários vezes, deixei, queria que quando ele achasse o caminho meteria de uma vez não dando chance para ela escapar, assim ele fez, dei só um pouco de ajuda, ele achou e ficou mais violento nas metidas.
Juliana reagia com gritos que foram ficando mais fortes diante da supresa e da violência do cachorro, Fátima pedia calma a filha ao mesmo tempo que lhe acariciava o rosto, até Juliana gritar mais alto e falar: – aiiiiiiiiiiiiii! Aiiiiiiiiiiiiii! Mãe por favor me socorre ele está me arombando toda, ele é muito grande não vou aguentar!….. Fátima: – calma filha você vai aguentar sim, e ao mesmo tempo lhe fazia carinho e limpava as lágrimas de Juliana que já lhe escorria pelo seu lindo rosto, pedi para Fátima lhe segurar pois o Zeus já estava com tudo dentro e logo iria passar o nó, foi questão de segundos de metidas e ele segurou Juliana pela cintura e puxou de encontro a si e parou, Juliana tentou sair.
– mãe por favor, estou sentindo algo muito grosso entrando em mim aiiiiiiiiiiiiii, por favor não estou aguentando vou ser partida ao meio aiiiiiiiiiiiiii! Eu pedi calma a ela e acariciei seus seios de bicos duros, lhe acariciei as coxas que tremiam com aquela invasão nunca sentida por ela, ….seu choro foi diminuindo ficando só soluços, a sena era linda ela branquinha com aquela cachorro preto sobre ela, fazendo um contraste bonito de se ver, chamei Fátima para ver a montada, ela veio, lhe acariciei os seios que estavam muito duros, sabia que ela apesar de no início ter temido pela integridade da sua pequena cria, não deixou de confiar em mim e estava muito tesuda querendo pica também, vi que Zeus ficou travado, com jeito, fui lhe virando, apesar das reclamações de Juliana de dor, consegui lhe virar, ficando com as bundas coladas, ele e sua nova cadela, era a terceira que ele pegava com minha ajuda e era a segunda que eu iria pegar com sua.

Não aguentava mais, peguei Fátima diante dos olhos de Juliana e lhe fui tirando a roupa deixando somente a calcinha, a filha olhava e nada dizia, desabotoei a bermuda e tirei ficando só de cueca, meu pau estava bem marcado na peça apertada, puxei Fátima lhe deixando de joelhos na minha frente, ela entendeu, foi retirando a cueca liberando meu pau bem na frente da sua filha que parece que esqueceu que estava engatada no Zeus e reagio abrindo a boca de espanto, e falou, tudo isso!
Fátima colocou a boca e começou a chupar como fazia muito bem, e falava, : – olha filha que lindo! Chupou mais um pouco e ofereceu para a filha me puxando para perto dela, Juliana tentou abocanhar, Fátima pediu que fosse devagar para não me machucar, eu estava no céu, não imaginava ter aquela boquinha no meu pau tão fácil, ela lambeu o que sua mãe permitiu pois logo voltou a chupar com gosto, deixei ela se divertir, lhe puxei e retirei sua calcinha, estava encharcada com seus liquidos é um pouco de sangue, já era o terceiro dia, não dispensei, coloquei a cabeça na entrada e ouvimos Juliana: – mãe você vai aguentar isso? Fátima: – claro que vou e você também vai experimentar!
Juliana : – eu quase não estou aguentando o Zeus!….eu estava adorando aquela conversa entre mãe e filha.

Empurrei devagar até chegar no fundo da buceta da Fátima, estava apertada mais macia e melada, comecei a fuder olhando para a Juliana que parecia espantada e supreza, um por sua mãe está me aguentando e ao mesmo tempo por ela está me aceitando como se já fosse acostumada comigo.

Fudi muito a Fátima lhe tirando muitos orgasmos.
Ela- filha esse pauzão é muito gostoso enfiado na gente, eu me acabo de gozar nele, tenho certeza que você quando acostumar vai gozar muito nele também, nunca mais vai querer o pauzinho do seu namoradinho, mete Paulo faz eu gozar muito nessa gostosura, eu acelerei pois sabia que teria logo de ajudar a Juliana a desengatar do Zeus. Bombei forte até anunciar que estava gozando, eu pela primeira vez e Fátima não tinha contado.
Terminei, tirei lentamente diante dos olhos de Juliana, que ficou observando, o guerreiro saiu pingando de porra é sujo da menstruação da mãe que ficou deitada no chão.

Logo o Zeus deu sinal que também tinha acabado, segurei ele e chamei Fátima para amparar a filha, Fátima: meu bebê estou orgulhosa de você, você é igual a mamãe, vai ser uma verdadeira putinha gostosa, se acalme agora que o Zeus vai sair de você e o nó tem que sair, vai ter um pequeno encomodo, liberei o Zeus que puxou fazendo a Juliana reclamar de dor, mais saiu, como sempre ele foi lamber ela, escorria a porra dele com um filet de sangue que ele lambeu todo, saiu balançando o rabo como agradecendo e foi para seu canto se limpar.
A buceta de Juliana estava muito inchada pelo esforço de ter recebido o Zeus todo dentro dela, afinal era a primeira vez que recebia ele e um cacete maior que do seu namorado.
Deixei ela deitada de pernas abertas ao lado da mãe, até se recuperarem.

Juliana levantou com dificuldade e foi para seu quarto, Fátima apoiou a cabeça na minha coxa e ficou brincando com o meu pau já mole.
Ela:- muito obrigado amor, você não sabe o quanto eu fiquei tarada ao ver o Zeus grudado na minha filha.
Eu: – eu senti o quanto você estava gostosa…ela: eu pensei que você não iria me querer menstruada, mais muito obrigado por isso….eu vi que apesar de está comendo a Juliana com os olhos, não deixou ela perceber, mais te prometo que você vai ter ela só para você, mais comigo junto, tudo bem? Eu: – claro minha gostosa, sem você junto não tem graça. Ela:- sabe estou adorando isso, não vou susegar enquanto você não for o macho da casa, vai ter que enrabar até o corninho, topa?

Depois conto o restante, está muito grande, não deixem de comentar. Bjs!