Meu ninfetinho 2



Click to Download this video!
Autor

Ele ali pegando no meu pau, com aquela mãozinha, que sensação deliciosa…. ele ficou me punhetando devagar enquanto eu observava ele e ele observava a minha pica, totalmente fascinado, então pus minha mão em cima da dele e bati mais forte até gozar no corpinho magro e lisinho dele. Passei o dedo na minha porra e levei até a boca dele e pedi para ele experimentar, ele fez uma cara estranha e disse que era diferente, meio doce e meio salgado! Me abaixei e lambi toda a minha porra do corpinho delicioso dele, terminamos o banho e levei ele para a minha cama.

Meu pau não abaixava, foi quando eu falei:
-Filho, vc gostou do que a gente fez?
-Sim (balançando a cabeça)
-E vc acha o papai bonito, igual os homens da TV?
-Acho pai, o senhor é o mais bonito para mim, só não gosto muito dos seus pêlos no peito kkkk
-(ri também) E vc já tinha feito isso antes com algum amiguinho?
Ele balançou a cabeça negativamente. Minha rola estava babando na toalha.
-E vc tem vontade de fazer sexo, tipo isso que a gente fez, só que mais gostoso?
-Tenho sim pai, mas eu tenho vergonha, eu posso?
-O papai queria muito fazer com vc, mas tinha que ser um segredo só nosso, ninguém mais pode saber. Vc quer?
-Quero sim, mas eu não sei fazer essas coisas (meio envergonhado).
-Mas o papai te ensina. Pega aqui.

Pus a mão dele na minha rola por cima da toalha e fiz ele me masturbar devagar. Depois virei para ele e dei um selinho na boca dele enquanto passava a mão no corpinho dele que estava só de cuequinha do Batman. Ele parecia ofegante e ao mesmo tempo perdido, sem saber o que fazer.
Peguei o notebook do lado da cama e pus em site gay onde tinha um homem mais velho e barbudo com um adolescente transando e mostrei para ele. Acho que ele nunca tinha visto nenhuma cena de sexo explícito, o pintinho dele ficou mais duro que antes. Falei para ele que era daquele jeito que se fazia e se ele quisesse podíamos fazer igual, só o que ele quisesse, se não a gente parava, ele gostou e disse que queria.

Coloquei o notebook de lado e botei a rola babada para fora da toalha.
-Tira a cuequinha.
-(ele tirou)

Beijei ele de novo e subi em cima dele, eu era enorme e cobria ele inteiro, beijei a boca dele e enfiei minha língua e falei para ele fazer o mesmo, chupei os mamilos dele que eram bem pequenos e desci para a piroquinha dele, chupei e babei muito, botei o pinto e as bolas dele na boca de uma vez, enquanto ele se contorcia, encostei o dedão no cuzinho e dei uma linguada no botãozinho do meu filho. Ele encolheu as pernas como se tivesse tomado um choque.

-Agora vc quer fazer no papai?
-Araaammm
-Então ajoelha aqui na cama e põe o pau do papai na boca, chupa igual um picolé.

Ele pões a cabeça babada na boca e sugou o meu pré gozo, delirei na hora, aquela boquinha não cabia minha rola inteira, pq é muito grossa, ele chupava só a cabeçona e lambia o resto, forçava um pouco para entrar mais, mas ele engasgava e eu parava.

-Agora chupa as bolas do papai igual no filme.
-Tá bom.
-Tá gostando? Ou quer parar?
-Quero continuar. (Bem manhoso, sabia que ele estava gostando).

Minhas bolas são grandes e bem pesadas, ele passou a linguinha e colocou uma de cada vez na boca. Depois pus ele pra chupar de novo até gozar na boca dele, gozei muito na boca e na cara dele. Fui e beijei a cara e boca dele cheio de porra. Enquanto isso ele me segurava pelo pescoço.

Virei na cama e ele ficou por cima de mim, me beijando, fiz bastante carinho nele e falava umas putarias pesadas no ouvidinho dele. Depois de uns 20 minutos meu pau subiu de novo com força total e já tratei de por ele para chupar de novo, só que com mais violência, batia com a rola enorme na carinha dele e chamava-o de putinha do papai.

-Aaaaaaaaa, vc já chupa tão gostoso, filho! Papai já queria isso faz tanto tempo. Vc quer ser o namorado do papai?
-Eu quero pai, a gente vai fazer isso todo dia?
-A gente faz quando vc quiser, meu amor, é só pedi que o papai te dá o leitinho de macho que vc gosta, mas a gente só pode ser namorado em casa, na rua não, tá?
-Tá bom, e vc vai me comer igual no filme, pai?
-Só se vc quiser!
-Agora o pai pode fazer mais forte? Não vou te machucar.
Ele acenou com a cabeça afirmativamente.
-Então abre a boquinha e põe a língua de fora igual cachorro.

Ele fez, e eu bati com a pica na língua e esfregava nos lábios dele como se fosse um batom. Depois enfiei na boca dele fiz ele engolir meu pau inteiro enquanto saia uma lágrima do lado dos olhos, já estava querendo meter, mas não tinha muito o que fazer, eu vi que o buraquinho dele não ia aguentar minha rola imensa de primeira, ele ia sofrer e chorar muito e não queria que ele recuasse, queria que ele viesse atrás de pica. Lambi e babei muito no cú dele, mordi a nadega esquerda que ficou vermelha. Enfiei um dedo devagar e ele pareceu não gostar, então tirei.

-Filho, queria tanto comer vc, vc deixa?
-Mas vai doer, pai? As meninas na escola uma vez falaram que perder a virgindade dói.
-Dói, mas é só no começo, depois fica bem gostoso e a pessoa fica querendo mais.
-Então me come, pai!
-Mas a rola do papai é bem grossa, e seu cuzinho é muito pequeno, acho que vc não aguenta.
-Tenta pai, me come, por favor! Se doer vc tira.

Aquela carinha me pedindo rola foi irresistível, enfiei a língua bem fundo no cuzinho dele e cuspi muito, pus de frango assado pra ver a cara de ninfetinho dele. Encostei a cabeçona forcei com tudo e passou a cabeça, ele começou a gritar e chorar e eu tentei acalmar um pouco ele e disse que ia ficar gostoso.
Tirei e ele parou, então pedi pra por um dedo, ele disse que não queria, mas o convenci e ele deixou, ele pareceu incomodado, mas fiz um vai e vem devagar e ele não disse nada. Não ia comer ele naquele dia, mas não queria morrer na praia.

-Que foi pai?
-O papai ficou triste que não conseguiu comer vc! Olha minha benga dura balançando.
-(ele riu) Mas vc pode gozar de novo na minha boca.
-Ah mas eu queria fazer diferente. Deixa eu gozar nas suas coxas?
-Como?
-Fica de quatro na cama com as pernas bem juntinhas que o papai vai ir por trás.

Ele ficou do jeito que eu falei e eu pus a rola dura no meio das coxas e as pernas em volta das dele para não separar. Agarrei na cintura e meti com força entre as coxas dele, sentia meu pau tocar no saquinho dele e o corpo dele ir pra frente pela força das estocadas, gozei feito um animal. Caí em cima dele e chupava seu pescocinho.

Depois de alguns dias consegui comer ele, fui alargando o cuzinho dele aos poucos, mas depois da primeira, meti até esfolar o pau. Depilei o peito para ele e ele amou.

Meu filho acabou virando meu namorado dentro de casa e atualmente está com 12 anos, dormimos juntos na cama de casal e fazemos amor toda noite, como ele gosta de dizer. Mas hoje o moleque é uma prostituta na cama, me faz gemer e pede mais, age igual uma menina cavalgando no meu pai, às vezes é bem submisso também.

Depois eu conto uma outra aventura nossa, depois que descabacei ele!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 19 votos)
Loading...